Índice de custo de vida em Santa Maria registra aumento


Por Flora Quinhones

 

Calculada pelo Laboratório de Práticas Econômicas (LAPE) do curso de Ciências Econômicas da Universidade Franciscana, a variável do custo de vida em Santa Maria identificou que a alimentação, habitação, saúde e educação ficaram mais caros na cidade, enquanto o transporte registrou uma baixa de 1,01%.
O relatório divulgado pela Assessoria de Comunicação da UFN aponta que o grupo habitação teve um aumento nos preços de + 0,10%, principalmente nos preços de produtos de limpeza, como alvejantes e detergentes líquidos.
Já o grupo alimentação teve uma pequena variação com preços menores e maiores, mas manteve o aumento com 0.1% ao mês. De acordo com o relatório, itens como bergamota, uva, feijão, arroz e carnes como picanha, costela, guisado, porco e coxa e sobre coxa de frango tiveram uma redução de preço. No entanto, a alimentação fora do domicilio, tanto o quilo/livre ou lanches, contrabalançou a queda dos produtos de supermercado, assim ocasionando o aumento no grupo.
O grupo saúde e cuidados pessoais apresentou um aumento representativo nos preços em relação ao mês anterior, registrando 0,07% de alta, enquanto o mês de fevereiro teve -0,19% ao mês. Este resultado deve-se em parte ao reajuste anual dos medicamentos aprovado pela ANVISA, na ordem de +2,43% em média.

Variação no índice de custo de vida em Santa Maria no mês de março

Na educação, os preços mantiveram a tendência do período, apresentando uma leve alta de 0,7% ao mês. Esta estabilidade é consequência de um período pós reajustes, sendo que as principais correções de preços do grupo ocorrem em janeiro e fevereiro. Entre os itens que apresentaram alta em março estão a mensalidade do transporte escolar, os preços de lápis e canetas e o preço dos cursos de informática. Por outro lado, o preço dos cursos de idiomas e as taxas de documentos escolares, apresentaram queda de -0,5% no período.
O único grupo que apresentou uma queda nos valores foi o transporte, com 0,14% ao mês. Isso aconteceu devido à redução no preço médio da gasolina. A segundo o relatório, a variação mensal dos combustíveis ocorre devido à mudança na regra de preços estabelecida pelo governo.
O relatório ainda informa que nos três primeiros meses do ano, a variação teve um aumento de 0,49% e nos últimos 12 meses de 2,44% ao mês.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *