Shoppings apostam no clima do Natal para potencializar vendas


Por Jornalismo Digital

 

Monet Plaza Shopping oferece visita do Papai Noel. Foto: Bárbara Canha

O mês de novembro marca o início das vendas de Natal no comércio de Santa Maria. Os shoppings entram no clima com decorações, programações e visita do papai Noel.

A publicitária Lívia Craidy, 28 anos, gerente de Marketing do shopping Praça Nova, conta que a perspectiva de vendas para é positiva, apesar de o Brasil ainda estar passando por uma crise financeira. Segundo ela, o Natal é uma das datas mais importantes do varejo, seguida da Black Friday.

Com relação às estratégias para dar conta do momento de uma troca de governo, Lívia diz que a gerência busca, constantemente, ações para aumentar o fluxo de clientes no Praça Nova. Uma das apostas é a premiação da Promoção de Natal. O shopping irá sortear um ano de compras e uma viagem para Chamonix, na França. Além disso, neste ano, as trocas efetuadas de segunda a quinta ganham cupom em dobro, ou seja, o cliente tem mais possibilidades de ganhar e, desta forma, há incentivo ao fluxo na semana.

A psicóloga Bianca Cechella Garcia, 40 anos, revela que no mês de outubro já começa a comprar os presentes de Natal porque adora dar presentes e gosta de pensar no que quer presentear. Diz que não tem um produto que prioriza, mas que pensa na pessoa, no que ela gosta e consome, o que já deu e o que não foi dado ainda. Vai nessa linha de raciocínio, porém menciona que gosta de presentear livros e acessórios.

A gerente comercial da loja SuperLegal, Jeane Bairros, 45 anos, diz que a expectativa é de crescimento e que tenta fazer o que concorrência não faz. Além de ter produtos diferenciados, tenta proporcionar opções diferenciadas para o cliente. Por exemplo, a loja tem atendimento personalizado, ofertando produtos selecionados para cada faixa etária das crianças e trabalha com marcas conceituadas, para proporcionar encantamento e uma venda assertiva ao cliente. Jeane expõe que as estratégias usadas pela loja envolvem também trazer produtos novos, que chamem a atenção do público infantil. Diz que a loja não sentiu os efeitos da crise financeira, justamente por adotar práticas que visam atrair os clientes em todos os períodos do ano.

Shoppings investem em decorações para atrair clientes. Foto: Bárbara Canha

A cozinheira Aura Fernanda Fagundes Paz, 39 anos, que estava passeando no shopping Royal Plaza informa que ainda não se organizou para as compras de Natal, que passará em Portugal. O produto que está pensando em priorizar para as compras de Natal é brinquedo, pois tem filha de 8 anos. Também pretende comprar roupas para a filha adolescente.

Na opinião da empresária Ângela Maria Giuliani, 56 anos, da loja Hangar, do Royal Plaza shopping, a perspectiva de venda em tempos de crise traz a necessidade de se reinventar a cada dia. Ela avalia que o ano foi bem difícil e o cenário econômico ainda não deu a resposta a qual está aguardando. Entre as suas estratégias está faz eventos na loja, a comunicação com os clientes pelas redes sociais e a busca por fidelizar os clientes.

Texto: Bárbara Canha

Produzido para a disciplina de Jornalismo I sob a supervisão da professora Sione Gomes

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *