FLISM relembrou o lendário Jack Kerouac


Por Emanuely Guterres

 

Conversa sobre Jack Kerouac. Foto: Lavignea Witt

A Festa da Literatura de Santa Maria (FLISM) trouxe a história de Jack Kerouac nos seus “50 anos da morte do autor de On The Road” nas vozes dos especialistas e fãs, Gérson Werlang e Márcio Grings. O momento de conversa teve início às 17 horas na Cesma, onde reuniu diversos jovens e adultos que acompanharam e conheceram o trabalho de  Jack. 

Os convidados relatam a vida de Jean-Louis Lebris de Kerouac, mais conhecido por Jack Kerouac, escritor estadunidense e um do líderes do movimento literário conhecido como geração beat. O movimento beat foi usado tanto para descrever um grupo de escritores e poetas, que tornaram-se conhecidos no final de 1950 e no começo de 1960, pelo fenômeno cultural que eles inspiraram, levando vida nômade e fundando comunidades. Posteriormente, associado à cultura hippie. 

O livro On the Road que no Brasil ficou conhecido como “Pé na estrada” exemplificou para o mundo aquilo que ficou conhecido como a “geração beatnik” e fez com que Kerouac se transformasse em um dos mais controversos e famosos escritores de seu tempo. 

O guitarrista, violonista, poeta e compositor, Gérson Werlang e o pesquisador e desbravador pela música mundial Márcio Grings, citaram diversas obras de Jack e fizeram referência com sua história profissional. Durante a conversa foram tratados o quanto o movimento teve importância na época, assim colocando Jack como um “deus”, embora ele não levasse em conta esse tempo, além do uso de drogas no período e o crescimento do rock, assim tendo seus aprimoramentos. 

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *