Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Motivação contra o alcoolismo

A irmandade Alcoólicos Anônimos (AA), fundada em 1935 por dois americanos, ajuda alcoólatras a lutarem contra a dependência química. O primeiro grupo AA no Brasil surgiu no Rio de Janeiro, idéia trazida por um brasileiro que visitava os Estados Unidos.

Em 1974, o grupo Bravura surgiu em Santa Maria. Com 32 anos é o mais antigo da cidade e do estado. O padre Paulo Fernando Dallas Dea, da Igreja do Rosário, explica que o grupo AA é constituído por pessoas que buscam ajuda com outras com o mesmo problema. “As pessoas se reúnem toda a semana para contar suas histórias e apoiarem uns aos outros. Eles têm metas de ficar 24 horas sem beber, ficar abstinente até o próximo encontro. Os 12 passos que devem ser percorridos durante a fase de re-habilitação dão motivação para o alcoólatra”, explica o padre.  Dallas Dea falou de sua experiência pessoal com a irmandade, pois seu pai freqüentava os encontros: “meu pai freqüentou a irmandade por 15 anos. Ele virou até coordenador, ajudou muito a nossa família”.

Os encontros dos AA são coordenados por ex alcoólatras, que já são freqüentadores dos grupos há mais tempo e que se sentem capazes de ajudar os mais novatos. “Sou um alcoólatra, comecei freqüentando os AA, um dia meu coordenador perguntou se gostaria de assumir um dos grupos. Hoje trabalho com os alcoólatras há 12 anos e ao mesmo que ajudo os demais, estou me ajudando e tento passar todo o carinho e a força que recebi nos grupos que participei.Qualquer um dos freqüentadores pode coordenar o grupo desde que se sinta capaz”, diz E.C, 52 anos, coordenador do A.A Doze Passos.

Freqüentador do grupo A.A Doze Passos e abstinente  há três meses, F.P.O, de 23 anos, disse que a vergonha de suas atitudes quando embriagado o fez buscar ajuda na irmandade. “Já magoei muita gente, bati o carro, estraguei relacionamentos, briguei. Fui até internado, pois problemas com o álcool me levaram a ter problemas com outras drogas, como a cocaína. Eu precisava urgentemente de ajuda”, complementa F.P.O. “Estou muito feliz. Nunca pensei em parar de vir, quero que esta seja a minha segunda casa”, finaliza F.P.O.

“Procurei os A.A com o apoio da minha tia, ela era a única que não havia desistido de mim por completo. Minha mãe e meus irmãos queriam me internar, me tiraram de casa na época, eu havia perdido o terceiro emprego. Depois que minha família me apoiou no tratamento e todos nós entendemos que era uma doença, ficou mais fácil para mim. Faço tratamento com psicóloga, mas nada se compara ao apoio que recebo nos A.A. Sei que preciso continuar o tratamento, acredito ser uma doença sem cura, mas que posso viver sem ter recaídas”,diz L.R,  que é freqüentador do grupo há dois anos e sete meses e nesse tempo teve duas recaídas já superadas, segundo ele. “Teve um Natal que minha família me trancou em um quarto para eu não vê-los beber, foi horrível, também tive que me afastar dos meus amigos para não ver ninguém com bebidas. Hoje, já posso passar o natal em família, eles bebem, eu não, mas sei que eu sou o doente, me sinto muito mais capaz de tudo hoje, estou até procurando um novo emprego”, completa L.R.

Nos tempos atuais, milhões de pessoas já ouviram falar alguma coisa a respeito de AA. Porém, em geral têm uma vaga impressão que a irmandade é algum tipo de grupo que ajuda bêbados a parar de beber e não sabem o real significado dessa organização.Muitos com problemas de dependência química não buscam ajuda por vergonha e por medo de admitirem que têm um problema. O primeiro dos 12 passos é admitir o problema e buscar ajuda. 

 

Grupos em Santa Maria:

A.A. Serenidade
Dependências Igreja São José
Av. Borges de Medeiros, 698 km 02 – 97010-070
Sábados – 18h

A.A. Orientação
Próximo ao CONEN
Rua Euclides da Cunha, 1885 – 97090-000
Terças e Domingos – 19h 30min

A.A. Bravura
Dependências Igreja Metodista
Rua Tuiuti, 2033 esq. Acampamento– 97050-420
Segundas e Quartas – 19h 30min
Sextas – 19h 30min

A.A. Doze Passos
Rua do Rosário, 401
Bairro Rosário – 97010-430
Quintas – 19h

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A irmandade Alcoólicos Anônimos (AA), fundada em 1935 por dois americanos, ajuda alcoólatras a lutarem contra a dependência química. O primeiro grupo AA no Brasil surgiu no Rio de Janeiro, idéia trazida por um brasileiro que visitava os Estados Unidos.

Em 1974, o grupo Bravura surgiu em Santa Maria. Com 32 anos é o mais antigo da cidade e do estado. O padre Paulo Fernando Dallas Dea, da Igreja do Rosário, explica que o grupo AA é constituído por pessoas que buscam ajuda com outras com o mesmo problema. “As pessoas se reúnem toda a semana para contar suas histórias e apoiarem uns aos outros. Eles têm metas de ficar 24 horas sem beber, ficar abstinente até o próximo encontro. Os 12 passos que devem ser percorridos durante a fase de re-habilitação dão motivação para o alcoólatra”, explica o padre.  Dallas Dea falou de sua experiência pessoal com a irmandade, pois seu pai freqüentava os encontros: “meu pai freqüentou a irmandade por 15 anos. Ele virou até coordenador, ajudou muito a nossa família”.

Os encontros dos AA são coordenados por ex alcoólatras, que já são freqüentadores dos grupos há mais tempo e que se sentem capazes de ajudar os mais novatos. “Sou um alcoólatra, comecei freqüentando os AA, um dia meu coordenador perguntou se gostaria de assumir um dos grupos. Hoje trabalho com os alcoólatras há 12 anos e ao mesmo que ajudo os demais, estou me ajudando e tento passar todo o carinho e a força que recebi nos grupos que participei.Qualquer um dos freqüentadores pode coordenar o grupo desde que se sinta capaz”, diz E.C, 52 anos, coordenador do A.A Doze Passos.

Freqüentador do grupo A.A Doze Passos e abstinente  há três meses, F.P.O, de 23 anos, disse que a vergonha de suas atitudes quando embriagado o fez buscar ajuda na irmandade. “Já magoei muita gente, bati o carro, estraguei relacionamentos, briguei. Fui até internado, pois problemas com o álcool me levaram a ter problemas com outras drogas, como a cocaína. Eu precisava urgentemente de ajuda”, complementa F.P.O. “Estou muito feliz. Nunca pensei em parar de vir, quero que esta seja a minha segunda casa”, finaliza F.P.O.

“Procurei os A.A com o apoio da minha tia, ela era a única que não havia desistido de mim por completo. Minha mãe e meus irmãos queriam me internar, me tiraram de casa na época, eu havia perdido o terceiro emprego. Depois que minha família me apoiou no tratamento e todos nós entendemos que era uma doença, ficou mais fácil para mim. Faço tratamento com psicóloga, mas nada se compara ao apoio que recebo nos A.A. Sei que preciso continuar o tratamento, acredito ser uma doença sem cura, mas que posso viver sem ter recaídas”,diz L.R,  que é freqüentador do grupo há dois anos e sete meses e nesse tempo teve duas recaídas já superadas, segundo ele. “Teve um Natal que minha família me trancou em um quarto para eu não vê-los beber, foi horrível, também tive que me afastar dos meus amigos para não ver ninguém com bebidas. Hoje, já posso passar o natal em família, eles bebem, eu não, mas sei que eu sou o doente, me sinto muito mais capaz de tudo hoje, estou até procurando um novo emprego”, completa L.R.

Nos tempos atuais, milhões de pessoas já ouviram falar alguma coisa a respeito de AA. Porém, em geral têm uma vaga impressão que a irmandade é algum tipo de grupo que ajuda bêbados a parar de beber e não sabem o real significado dessa organização.Muitos com problemas de dependência química não buscam ajuda por vergonha e por medo de admitirem que têm um problema. O primeiro dos 12 passos é admitir o problema e buscar ajuda. 

 

Grupos em Santa Maria:

A.A. Serenidade
Dependências Igreja São José
Av. Borges de Medeiros, 698 km 02 – 97010-070
Sábados – 18h

A.A. Orientação
Próximo ao CONEN
Rua Euclides da Cunha, 1885 – 97090-000
Terças e Domingos – 19h 30min

A.A. Bravura
Dependências Igreja Metodista
Rua Tuiuti, 2033 esq. Acampamento– 97050-420
Segundas e Quartas – 19h 30min
Sextas – 19h 30min

A.A. Doze Passos
Rua do Rosário, 401
Bairro Rosário – 97010-430
Quintas – 19h