Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Alimentos dão energia na hora da prova

 Vestibular: nervosismo e ansiedade. Estes dois fatores geralmente provocam nos vestibulandos um consumo excessivo de alimentos.

Isso pode ser percebido durante a realização das questões, quando a mesa disputa lugar com água, cereais, chocolates. A vestibulanda de Publicidade e Propaganda, Raíssa de Medeiros Trindade, 16 anos, comentou que é muito ansiosa, por isso trouxe chocolate para não dar sono, além de ser energético e um remédio para dor de cabeça. Além disso, ela carrega um rosário para dar sorte nas provas.

A vestibulanda de Design, Francielle Canabarro Fialho, 19 anos, salientou que não consegue ficar muito tempo sem se alimentar porque tem problemas de estômago. Ela precisa comer pouco, mas várias vezes ao dia. Na prova de ontem, Fracielle estava nervosa e trouxe água e cereais.

Entretanto, para muitos deles, a reação é inversa. Alguns preferem não comer nada. “Fico ansiosa para ver a prova, depois me concentro. E, se comer alguma coisa durante a resolução, me disperso”, disse Fernanda Volpato Chiapinato, 19 anos.

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 Vestibular: nervosismo e ansiedade. Estes dois fatores geralmente provocam nos vestibulandos um consumo excessivo de alimentos.

Isso pode ser percebido durante a realização das questões, quando a mesa disputa lugar com água, cereais, chocolates. A vestibulanda de Publicidade e Propaganda, Raíssa de Medeiros Trindade, 16 anos, comentou que é muito ansiosa, por isso trouxe chocolate para não dar sono, além de ser energético e um remédio para dor de cabeça. Além disso, ela carrega um rosário para dar sorte nas provas.

A vestibulanda de Design, Francielle Canabarro Fialho, 19 anos, salientou que não consegue ficar muito tempo sem se alimentar porque tem problemas de estômago. Ela precisa comer pouco, mas várias vezes ao dia. Na prova de ontem, Fracielle estava nervosa e trouxe água e cereais.

Entretanto, para muitos deles, a reação é inversa. Alguns preferem não comer nada. “Fico ansiosa para ver a prova, depois me concentro. E, se comer alguma coisa durante a resolução, me disperso”, disse Fernanda Volpato Chiapinato, 19 anos.

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)