Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

As boas expectativas no segundo dia de prova

 

      As atividades do segundo dia de provas do vestibular de inverno da Unifra foram bem tranqüilas, como já esperava a COPERVES (Comissão Permanente do Vestibular). Os candidatos, que na sua maioria conferiram o gabarito de ontem, estavam contentes com o desempenho obtido.

Na manhã de hoje a equipe da ACS conversou com alguns dos candidatos para saber o que acharam da prova de ontem, sobre a expectativa do curso e por qual motivo escolheram a instituição para sua formação. Guilherme Abelin, de 20 anos, que faz técnico em Publicidade, resolveu investir nesta área. “Acredito que o curso pode me oferecer aquilo que procuro profissionalmente” ressalta. Para ele, a prova de ontem estava bem acessível e acha que hoje será do mesmo nível. “Não sou muito chegado com a matemática, além de não gostar nada de história”, cometa Abelin.

 Natural de Tupanciretã, Aline de Lima está tentando o vestibular para Jornalismo. “Irei fazer o primeiro semestre, se gostar continuarei cursando”, pois diz preferir Terapia Ocupacional, mas a Comunicação Social sempre foi sua segunda opção. Jonatas Castilhos, que veio de Porto Alegre para trabalhar no Detram, vê na Unifra uma instituição de boa formação. “Minha mãe, por exemplo, fez pedagogia aqui, faz algum tempo, e sempre elogia muito a instituição, além das pessoas falarem que o curso é bom” destaca.

  Para o santa-mariense Lucas Azambuja, de 24 anos, trabalhar na área ajuda muito na hora da escolha profissional. “Eu já fazia Administração em outra instituição na cidade, mas acabei desistindo. A Unifra além de perto, tem ótimo conceito, e os valores são mais em conta” comenta.  A jovem de 19 anos, Cíntia Franco, também de Santa Maria, optou por tentar Psicologia, pois acredita ser o curso que se encaixa melhor naquilo que deseja para o futuro. A escolha da instituição é fundamental, segundo Cíntia, pois precisa analisar a qualidade do curso para depois conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho. “Espero gostar bastante, acho que não irei me arrepender” destaca.

A samborjense Ana Carolina Krassmann, de 17 anos, quer cursar Odontologia principalmente por ser seu sonho de menina. “Eu sempre quis fazer Odontologia, desde pequena, nunca me imaginei fazendo outro curso”. Da mesma forma Madjer Augusto Pinto, 19 anos e natural de Santiago, viu na Unifra a possibilidade de conquistar seus ideais. “Como é muito difícil passar na federal, a Unifra é uma ótima opção. O curso é bem comentado, principalmente sua estrutura” afirma.

 A candidata de Fisioterapia Jaqueline Oliverira Barato de 24 anos é natural do Mato Grosso e escolheu vir morar no Rio Grande do Sul por causa da qualidade do ensino no estado. “O profissional que se forma no Rio Grande do Sul é bem reconhecido na região centro-oeste. Saindo daqui a chance de ter uma carreira promissora é grande” comenta. Para escolher a instituição, segundo ela, levou em conta os bons comentários de suas amigas sobre o Centro Universitário Franciscano.

Fotos: Núcleo de Fotografia e Memória (Douglas Menezes)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

      As atividades do segundo dia de provas do vestibular de inverno da Unifra foram bem tranqüilas, como já esperava a COPERVES (Comissão Permanente do Vestibular). Os candidatos, que na sua maioria conferiram o gabarito de ontem, estavam contentes com o desempenho obtido.

Na manhã de hoje a equipe da ACS conversou com alguns dos candidatos para saber o que acharam da prova de ontem, sobre a expectativa do curso e por qual motivo escolheram a instituição para sua formação. Guilherme Abelin, de 20 anos, que faz técnico em Publicidade, resolveu investir nesta área. “Acredito que o curso pode me oferecer aquilo que procuro profissionalmente” ressalta. Para ele, a prova de ontem estava bem acessível e acha que hoje será do mesmo nível. “Não sou muito chegado com a matemática, além de não gostar nada de história”, cometa Abelin.

 Natural de Tupanciretã, Aline de Lima está tentando o vestibular para Jornalismo. “Irei fazer o primeiro semestre, se gostar continuarei cursando”, pois diz preferir Terapia Ocupacional, mas a Comunicação Social sempre foi sua segunda opção. Jonatas Castilhos, que veio de Porto Alegre para trabalhar no Detram, vê na Unifra uma instituição de boa formação. “Minha mãe, por exemplo, fez pedagogia aqui, faz algum tempo, e sempre elogia muito a instituição, além das pessoas falarem que o curso é bom” destaca.

  Para o santa-mariense Lucas Azambuja, de 24 anos, trabalhar na área ajuda muito na hora da escolha profissional. “Eu já fazia Administração em outra instituição na cidade, mas acabei desistindo. A Unifra além de perto, tem ótimo conceito, e os valores são mais em conta” comenta.  A jovem de 19 anos, Cíntia Franco, também de Santa Maria, optou por tentar Psicologia, pois acredita ser o curso que se encaixa melhor naquilo que deseja para o futuro. A escolha da instituição é fundamental, segundo Cíntia, pois precisa analisar a qualidade do curso para depois conseguir uma boa colocação no mercado de trabalho. “Espero gostar bastante, acho que não irei me arrepender” destaca.

A samborjense Ana Carolina Krassmann, de 17 anos, quer cursar Odontologia principalmente por ser seu sonho de menina. “Eu sempre quis fazer Odontologia, desde pequena, nunca me imaginei fazendo outro curso”. Da mesma forma Madjer Augusto Pinto, 19 anos e natural de Santiago, viu na Unifra a possibilidade de conquistar seus ideais. “Como é muito difícil passar na federal, a Unifra é uma ótima opção. O curso é bem comentado, principalmente sua estrutura” afirma.

 A candidata de Fisioterapia Jaqueline Oliverira Barato de 24 anos é natural do Mato Grosso e escolheu vir morar no Rio Grande do Sul por causa da qualidade do ensino no estado. “O profissional que se forma no Rio Grande do Sul é bem reconhecido na região centro-oeste. Saindo daqui a chance de ter uma carreira promissora é grande” comenta. Para escolher a instituição, segundo ela, levou em conta os bons comentários de suas amigas sobre o Centro Universitário Franciscano.

Fotos: Núcleo de Fotografia e Memória (Douglas Menezes)