Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Bloomsday Santa Maria

 

     Literalmente uma festa. Essa é a idéia do XVI Bloomsday Santa Maria que ocorre neste sábado, 16 de junho, comemorando também os 29 anos da CESMA. O evento vai acontecer no Ponto de Cinema Bar e na CESMA.

     O Bloomsday é uma festa literária que homenageia o escritor irlandês James Joyce e seu livro ‘Ulysses’, publicado no início do século XX. O professor e organizador da festa, Agnaldo Severino, diz que “a idéia do Blooms é que as pessoas leiam Ulysses, trechos do Joyce, num ambiente não acadêmico, porque isso é um evento literário.” Ele é comemorado em diversos lugares do mundo, em variadas línguas e tem como objetivo relembrar os acontecimentos das 18 horas vividas pelo personagem de Ulysses no dia 16 de junho de 1904. Confira parte da programação:

Sábado, 16/06/2007

Centro Cultural CESMA

9h – Café da CESMA: Exposição de livros de James Joyce; degustação de rins de porco na manteiga – que foi o café da manhã do personagem do livro, Leopold Bloom; chás expressos; leituras de Ulysses e debate sobre a obra e o Bloomsday.

Ponto de Cinema Bar

19h – Abertura do Bloomsday: Leitura das efemérides (acontecimentos do dia 16/06 e do ano, exatamente como é feito num capítulo do livro); história do Ponto de Cinema Bar (16 anos), CESMA (29 anos) e Bloomsday (103 anos).

21h – Leituras comparativas de trechos de Ulysses em português, inglês, espanhol, catalão, russo, italiano, alemão e francês. Leitura de trechos das quatro versões para o português.

22h – Leituras de trechos de prosas e poesias de Joyce, de seus contemporâneos e de outros autores.

Um pouco mais sobre o Bloomsday

     O Bloomsday é um feriado comemorado no dia 16 de junho na Irlanda. No Brasil, ele existe desde 1986 em São Paulo. Em Santa Maria, ele surgiu em 1994, idealizado pelo professor Aguinaldo, que sempre participou das comemorações em SP, e por um grupo de amigos.

     A história do livro dá-se toda num dia só, numa quinta-feira, 16 de junho de 1904, e conta as 18 horas vividas pelo personagem, desde o momento em que acorda até quando vai dormir. Durante esse dia, os personagens vivem situações corriqueiras. “A mágica do livro, é que na descrição dessas situações, ele está praticamente contando a história da humanidade, como uma pessoa comum vive um dia pleno de atividades e quando volta para casa, pensa na vida”, comenta Severino.

     Outro aspecto, é que a obra foi censurada durante algum tempo em países como Estados Unidos, Inglaterra e Irlanda por conter descrições minuciosas das atividades humanas, que foram consideradas pornográficas para a moral daquela época. O professor acrescenta ainda que “O livro tem um paralelo com a Odisséia de Homero, onde Ulysses sai da Guerra de Tróia e demora 10 anos para voltar para casa. Ele é uma pessoa valorosa, forte, é um herói. E o personagem do Joyce é tudo, menos um herói, ele é uma pessoa comum que chega em casa e combate seus fantasmas, seus problemas”. Além disso, ele inova ao apresentar os sub-pensamentos do narrador, sua consciência, enquanto conversa com alguém, criando uma multiplicidade de vozes.

Fotografia: Arquivos do evento.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

     Literalmente uma festa. Essa é a idéia do XVI Bloomsday Santa Maria que ocorre neste sábado, 16 de junho, comemorando também os 29 anos da CESMA. O evento vai acontecer no Ponto de Cinema Bar e na CESMA.

     O Bloomsday é uma festa literária que homenageia o escritor irlandês James Joyce e seu livro ‘Ulysses’, publicado no início do século XX. O professor e organizador da festa, Agnaldo Severino, diz que “a idéia do Blooms é que as pessoas leiam Ulysses, trechos do Joyce, num ambiente não acadêmico, porque isso é um evento literário.” Ele é comemorado em diversos lugares do mundo, em variadas línguas e tem como objetivo relembrar os acontecimentos das 18 horas vividas pelo personagem de Ulysses no dia 16 de junho de 1904. Confira parte da programação:

Sábado, 16/06/2007

Centro Cultural CESMA

9h – Café da CESMA: Exposição de livros de James Joyce; degustação de rins de porco na manteiga – que foi o café da manhã do personagem do livro, Leopold Bloom; chás expressos; leituras de Ulysses e debate sobre a obra e o Bloomsday.

Ponto de Cinema Bar

19h – Abertura do Bloomsday: Leitura das efemérides (acontecimentos do dia 16/06 e do ano, exatamente como é feito num capítulo do livro); história do Ponto de Cinema Bar (16 anos), CESMA (29 anos) e Bloomsday (103 anos).

21h – Leituras comparativas de trechos de Ulysses em português, inglês, espanhol, catalão, russo, italiano, alemão e francês. Leitura de trechos das quatro versões para o português.

22h – Leituras de trechos de prosas e poesias de Joyce, de seus contemporâneos e de outros autores.

Um pouco mais sobre o Bloomsday

     O Bloomsday é um feriado comemorado no dia 16 de junho na Irlanda. No Brasil, ele existe desde 1986 em São Paulo. Em Santa Maria, ele surgiu em 1994, idealizado pelo professor Aguinaldo, que sempre participou das comemorações em SP, e por um grupo de amigos.

     A história do livro dá-se toda num dia só, numa quinta-feira, 16 de junho de 1904, e conta as 18 horas vividas pelo personagem, desde o momento em que acorda até quando vai dormir. Durante esse dia, os personagens vivem situações corriqueiras. “A mágica do livro, é que na descrição dessas situações, ele está praticamente contando a história da humanidade, como uma pessoa comum vive um dia pleno de atividades e quando volta para casa, pensa na vida”, comenta Severino.

     Outro aspecto, é que a obra foi censurada durante algum tempo em países como Estados Unidos, Inglaterra e Irlanda por conter descrições minuciosas das atividades humanas, que foram consideradas pornográficas para a moral daquela época. O professor acrescenta ainda que “O livro tem um paralelo com a Odisséia de Homero, onde Ulysses sai da Guerra de Tróia e demora 10 anos para voltar para casa. Ele é uma pessoa valorosa, forte, é um herói. E o personagem do Joyce é tudo, menos um herói, ele é uma pessoa comum que chega em casa e combate seus fantasmas, seus problemas”. Além disso, ele inova ao apresentar os sub-pensamentos do narrador, sua consciência, enquanto conversa com alguém, criando uma multiplicidade de vozes.

Fotografia: Arquivos do evento.