Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

TFGs de Jornalismo na vitrina

 Começou na noite de ontem a I Jornada Científica do curso de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (Unifra). As temáticas abordadas foram Cinema, Jornalismo Empresarial e Mídia Impressa.  Os expositores são os acadêmicos que estão matriculados na disciplina de TFG II, na qual desenvolvem a sua monografia. O evento é destinado a alunos de Jornalismo que estejam cursando a partir do 3° semestre e tem por objetivos propiciar um espaço para a reflexão sobre diversas temáticas, além de possibilitar a troca de experiências entre os acadêmicos.

A mediação da primeira parte das exposições foi feita por Maria Cristina Tonetto, que além de professora de cinema, é orientadora de algumas das monografias realizadas na área. A primeira aluna a apresentar sua pesquisa foi Elisa Fonseca que com o tema “Cinema, ditadura e representações” e pretende analisar através do filme “O ano que em que meus pais saíram de férias” como o cinema atual aborda o período ditatorial.

A segunda exposição foi feita por Melina Zucolo Guterres que tem por objetivo realizar um resgate histórico sobre a produção audiovisual na cidade desde o ano de 2002 até 2007 e seu título é “O resgate audiovisual em Santa Maria”. Já Vanessa Ayres Pires, estuda a evolução cinematográfica no Brasil através do documentário “Edifício Máster” e seu trabalho leva o título “Documentário: possibilidades de construções”.  

Ainda na área do cinema, o estudo realizado por Vinícius Dias, “O jornalismo no Cinema”, trata sobre o jornalista no cinema e sua retratação através do filme “O jornal”. O primeiro momento dos relatos foi encerrado pela temática do jornalismo empresarial, por Carina Batista Bohnert. Através do título “Jornalismo empresarial como agente das construções simbólica das instituições privadas de ensino em Santa Maria”, Carina busca saber como se dá a construção da imagem de uma instituição feita pelo Assessor de Imprensa.

A mídia impressa

A segunda parte da noite foi dedicada à apresentação dos TFGs na área da mídia impressa, tendo como mediadora a professora Sione Gomes, professora de redação jornalística, além de orientadora de parte dos temas relacionados à área discutida. O acadêmico Alessandro Mathias de Oliveira, que tem como tema “O projeto gráfico como elemento da construção da identidade do jornal: estudo do Diário de Santa Maria” pretende analisar a reformulação do projeto gráfico do jornal Diário de Santa Maria através da sua linguagem gráfica e estética.

Já as acadêmicas  Ane Daniele Paulon Gomes e Kelly Ramos Martini estudam o jornalismo cultural através de suplementos de jornais. Com o tema "Jornalismo cultural e entretenimento na Revista Mix, do jornal Diário de Santa Maria", Ane Daniele busca fazer uma análise quali-quantitativa sobre o suplemento Mix, do Diário de Santa Maria, com o objetivo de compreender que espaço é dedicado à cultura e, em outra categoria de análise,  ao entretenimento. Enquanto Kelly estuda através do caderno Cultua ZH, do jornal Zero Hora, subtemáticas da cultura, como a cultura popular, por exemplo. O trabalho de Kelly leva o nome de “Análise do ZH cultura sobre questões culturais das regiões brasileiras”.

O jornalismo investigativo nos jornais A razão e Diário de Santa Maria é o foco de análise de Daiana de Oliveira Martins. Seu estudo é intitulado “Jornalismo investigativo na mídia santa-mariense” e toma como base dois crimes que ocorrera na cidade no início deste ano. Mileni Denardim Portella também analisa os jornais de maior circulação da cidade através do recorte semantização: “A cidade e os jornais a semantização de Santa Maria nos jornais A Razão e Diário de Santa Maria”.

Paulo André Porto Dutra encerrou as apresentações da noite com a sua pesquisa: “A cobertura jornalista de ZH relativa aos movimentos sociais de luta pela terra e sua relação com os governos estaduais da época” que co-relaciona o contexto político com as questões agrárias no estado.

A I Jornada Científica de Jornalismo vai até quinta feira, dia 4. Hoje, os temas a serem apresentados são Televisão e Mídia e Esporte e quinta-feira Rádio, Mídia e Política. A jornada tem organização do Nupec (Núcleo de Pesquisa em Comunicação), com coordenação das professoras Sibila Rocha e Viviane Borelli. Segundo dados do Nupec, 125 alunos estão participando do evento.

Fotos: Rodrigo Simões (Núcleo de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 Começou na noite de ontem a I Jornada Científica do curso de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (Unifra). As temáticas abordadas foram Cinema, Jornalismo Empresarial e Mídia Impressa.  Os expositores são os acadêmicos que estão matriculados na disciplina de TFG II, na qual desenvolvem a sua monografia. O evento é destinado a alunos de Jornalismo que estejam cursando a partir do 3° semestre e tem por objetivos propiciar um espaço para a reflexão sobre diversas temáticas, além de possibilitar a troca de experiências entre os acadêmicos.

A mediação da primeira parte das exposições foi feita por Maria Cristina Tonetto, que além de professora de cinema, é orientadora de algumas das monografias realizadas na área. A primeira aluna a apresentar sua pesquisa foi Elisa Fonseca que com o tema “Cinema, ditadura e representações” e pretende analisar através do filme “O ano que em que meus pais saíram de férias” como o cinema atual aborda o período ditatorial.

A segunda exposição foi feita por Melina Zucolo Guterres que tem por objetivo realizar um resgate histórico sobre a produção audiovisual na cidade desde o ano de 2002 até 2007 e seu título é “O resgate audiovisual em Santa Maria”. Já Vanessa Ayres Pires, estuda a evolução cinematográfica no Brasil através do documentário “Edifício Máster” e seu trabalho leva o título “Documentário: possibilidades de construções”.  

Ainda na área do cinema, o estudo realizado por Vinícius Dias, “O jornalismo no Cinema”, trata sobre o jornalista no cinema e sua retratação através do filme “O jornal”. O primeiro momento dos relatos foi encerrado pela temática do jornalismo empresarial, por Carina Batista Bohnert. Através do título “Jornalismo empresarial como agente das construções simbólica das instituições privadas de ensino em Santa Maria”, Carina busca saber como se dá a construção da imagem de uma instituição feita pelo Assessor de Imprensa.

A mídia impressa

A segunda parte da noite foi dedicada à apresentação dos TFGs na área da mídia impressa, tendo como mediadora a professora Sione Gomes, professora de redação jornalística, além de orientadora de parte dos temas relacionados à área discutida. O acadêmico Alessandro Mathias de Oliveira, que tem como tema “O projeto gráfico como elemento da construção da identidade do jornal: estudo do Diário de Santa Maria” pretende analisar a reformulação do projeto gráfico do jornal Diário de Santa Maria através da sua linguagem gráfica e estética.

Já as acadêmicas  Ane Daniele Paulon Gomes e Kelly Ramos Martini estudam o jornalismo cultural através de suplementos de jornais. Com o tema "Jornalismo cultural e entretenimento na Revista Mix, do jornal Diário de Santa Maria", Ane Daniele busca fazer uma análise quali-quantitativa sobre o suplemento Mix, do Diário de Santa Maria, com o objetivo de compreender que espaço é dedicado à cultura e, em outra categoria de análise,  ao entretenimento. Enquanto Kelly estuda através do caderno Cultua ZH, do jornal Zero Hora, subtemáticas da cultura, como a cultura popular, por exemplo. O trabalho de Kelly leva o nome de “Análise do ZH cultura sobre questões culturais das regiões brasileiras”.

O jornalismo investigativo nos jornais A razão e Diário de Santa Maria é o foco de análise de Daiana de Oliveira Martins. Seu estudo é intitulado “Jornalismo investigativo na mídia santa-mariense” e toma como base dois crimes que ocorrera na cidade no início deste ano. Mileni Denardim Portella também analisa os jornais de maior circulação da cidade através do recorte semantização: “A cidade e os jornais a semantização de Santa Maria nos jornais A Razão e Diário de Santa Maria”.

Paulo André Porto Dutra encerrou as apresentações da noite com a sua pesquisa: “A cobertura jornalista de ZH relativa aos movimentos sociais de luta pela terra e sua relação com os governos estaduais da época” que co-relaciona o contexto político com as questões agrárias no estado.

A I Jornada Científica de Jornalismo vai até quinta feira, dia 4. Hoje, os temas a serem apresentados são Televisão e Mídia e Esporte e quinta-feira Rádio, Mídia e Política. A jornada tem organização do Nupec (Núcleo de Pesquisa em Comunicação), com coordenação das professoras Sibila Rocha e Viviane Borelli. Segundo dados do Nupec, 125 alunos estão participando do evento.

Fotos: Rodrigo Simões (Núcleo de Fotografia e Memória)