Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

É brincadeira

Para celebrar o 1° de Abril, a ACS decidiu não enganar ninguém e ir direto ao assunto.  Fomos ao calçadão Salvador Isaia e perguntamos: O que seria uma brincadeira de mau gosto em Santa Maria? A opinião dos entrevistados revelam o carinho e a preocupação com a cidade.

Sobre a origem do dia, existem algumas histórias. Dizem que tudo começou há muito tempo, em um reino chamado França. Certo dia, o Rei Carlos IX decidiu trocar o calendário. Desde o começo do século XVI, as comemorações de Ano Novo começavam no dia 25 de março, data da chegada da primavera. A festa era grande, começava dia 25 e só terminava dia 1° de abril. Em 1564, o rei decidiu adotar o calendário gregoriano, calendário atual, e o primeiro dia do ano passou a ser 1° de janeiro. Os mais tradicionais não aceitaram a mudança e continuaram a comemorar no dia 1° de abril. Foi assim que começaram as plaisanteries, como ficaram conhecidas as brincadeiras feitas por aqueles que não aceitavam a troca do calendário.

As brincadeiras chegaram ao Brasil através de um jornal pernambucano lançado em 1° de abril de 1848.  A primeira manchete explicava o nome do periódico. “A Mentira” publicou em sua primeira capa a notícia da morte de Dom Pedro, desmentida na edição seguinte.

Existem outras explicações, mas o que importa é que o Dia da Mentira popularizou-se por seus trotes e brincadeiras, umas inocentes e outras nem tanto. Nesse dia, resolvemos descobrir o que são brincadeiras de mau gosto para os santa-marienses. Selecionamos algumas opiniões.

 

 

 

“Com os idosos, brincadeiras que não respeitem eles.”

Vildete Balmarti, 54, atendente

 

 

 

 “Falarem mal de Santa Maria. Aqui tem muita coisa boa, sempre tem alguém fazendo algo pra melhorar.”

Aldo Jaime de Paula, 44, auxiliar de indústria.

 

 

 

“Aquelas que denigrem a cidade, como críticas ridicularizando o título de cidade cultura, comparando e falando que não é.”

Roselei Sanchotene, 44, professora.

 

 

 

“A brincadeira de mau gosto são as pessoas sem educação. A cidade seria limpa se o pessoal cooperasse.”

Danton de Almeida, 69, aposentado.

 

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para celebrar o 1° de Abril, a ACS decidiu não enganar ninguém e ir direto ao assunto.  Fomos ao calçadão Salvador Isaia e perguntamos: O que seria uma brincadeira de mau gosto em Santa Maria? A opinião dos entrevistados revelam o carinho e a preocupação com a cidade.

Sobre a origem do dia, existem algumas histórias. Dizem que tudo começou há muito tempo, em um reino chamado França. Certo dia, o Rei Carlos IX decidiu trocar o calendário. Desde o começo do século XVI, as comemorações de Ano Novo começavam no dia 25 de março, data da chegada da primavera. A festa era grande, começava dia 25 e só terminava dia 1° de abril. Em 1564, o rei decidiu adotar o calendário gregoriano, calendário atual, e o primeiro dia do ano passou a ser 1° de janeiro. Os mais tradicionais não aceitaram a mudança e continuaram a comemorar no dia 1° de abril. Foi assim que começaram as plaisanteries, como ficaram conhecidas as brincadeiras feitas por aqueles que não aceitavam a troca do calendário.

As brincadeiras chegaram ao Brasil através de um jornal pernambucano lançado em 1° de abril de 1848.  A primeira manchete explicava o nome do periódico. “A Mentira” publicou em sua primeira capa a notícia da morte de Dom Pedro, desmentida na edição seguinte.

Existem outras explicações, mas o que importa é que o Dia da Mentira popularizou-se por seus trotes e brincadeiras, umas inocentes e outras nem tanto. Nesse dia, resolvemos descobrir o que são brincadeiras de mau gosto para os santa-marienses. Selecionamos algumas opiniões.

 

 

 

“Com os idosos, brincadeiras que não respeitem eles.”

Vildete Balmarti, 54, atendente

 

 

 

 “Falarem mal de Santa Maria. Aqui tem muita coisa boa, sempre tem alguém fazendo algo pra melhorar.”

Aldo Jaime de Paula, 44, auxiliar de indústria.

 

 

 

“Aquelas que denigrem a cidade, como críticas ridicularizando o título de cidade cultura, comparando e falando que não é.”

Roselei Sanchotene, 44, professora.

 

 

 

“A brincadeira de mau gosto são as pessoas sem educação. A cidade seria limpa se o pessoal cooperasse.”

Danton de Almeida, 69, aposentado.

 

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)