Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

… E para você, o que é o Natal?

 Em uma sociedade tão desigual, onde o politicamente correto faz parte do vocabulário de muitas pessoas mas quase nunca se encaixa na prática, a frase “para ele falar contigo é necessário que você faça um agradinho para as crianças, dê um brinquedinho, ou um doce. Você dá um presentinho para eles?”, soaria de forma natural? Assim iniciou a conversa com um grupo de índios a respeito do significado do Natal.

 

 

 

 Com a família hierarquizada de forma patriarcal, onde o pai, ou o homem da casa é quem decide o que pode ou deve ser feito, a conversa demorou para iniciar com a tribo vinda de Tenente Portela, região noroeste do Estado. De forma simples e humilde, quem se rendeu aos encantos do Natal e dominou a conversa foi Zacarias Sales, 27 anos, artesão, índio da tribo da Pedra Lisa, que tem como língua de origem o caingangue. Com costumes religiosos semelhantes aos dos cristãos, ele diz “Natal é tudo, alegria, é onde as pessoas estão mais sensíveis com outras pessoas”. Para ele, este vai ser o primeiro ano sem a família reunida, “infelizmente esta vai ser a primeira vez que vou ter que ficar em Santa Maria para passar o Natal, mas, no ano novo estarei lá”. Quando questionado sobre o por quê de estar em Santa Maria, ele disse que na cidade consegue vender um pouco melhor o artesanato, aqui ele tem bastante amigos e se sente bem.

 

 

 

  Na conversa com  membros de outra tribo, vinda de Porto Alegre, da Aldeia do Cantagalo, e com costumes diferentes da tribo de Tenente Portela, quem fala sobre o Natal é Celina Benites, 16 anos, artesã que pela primeira vez vem para Santa Maria. “No Natal a gente canta, dança, na aldeia, e depois os homens matam um tatu pra gente comer e comemorar junto todo mundo”. “O natal é época de respeitar as pessoas”, diz Celina.  

 

 

 

 

 


Para eles, o significado é, de certa forma, a união e confraternização, mas o que as outras pessoas que circulam no centro da cidade pensam sobre o Natal?


 Jéssica Aquelino, estudante, 16 anos, diz que “é uma época em que as pessoas ficam mais sensíveis, mais carinhosas, mais calorosas com as outras pessoas, significa harmonia, paz, felicidade”.


Eucílio Duarte de Souza, 75 anos, aposentado, se refere ao natal como “desejo para todos aquilo que eu quero para mim, saúde. Natal é a imagem de Jesus”.


Para José Inácio, 26 anos estudante de História, o Natal é “uma data que gira em torno do comércio, porque se a gente for ver de onde surgiu o Papai Noel, antes ele usava roupa marrom e hoje é vermelha, Jesus que deveria ser lembrado, fica de fora”.


Se você quer deixar sua opinião sobre o significado do Natal, vote em nossa enquete aqui na página da Agência CentralSul.

 

 

 

Fotos: Ariéli Ziegler (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 Em uma sociedade tão desigual, onde o politicamente correto faz parte do vocabulário de muitas pessoas mas quase nunca se encaixa na prática, a frase “para ele falar contigo é necessário que você faça um agradinho para as crianças, dê um brinquedinho, ou um doce. Você dá um presentinho para eles?”, soaria de forma natural? Assim iniciou a conversa com um grupo de índios a respeito do significado do Natal.

 

 

 

 Com a família hierarquizada de forma patriarcal, onde o pai, ou o homem da casa é quem decide o que pode ou deve ser feito, a conversa demorou para iniciar com a tribo vinda de Tenente Portela, região noroeste do Estado. De forma simples e humilde, quem se rendeu aos encantos do Natal e dominou a conversa foi Zacarias Sales, 27 anos, artesão, índio da tribo da Pedra Lisa, que tem como língua de origem o caingangue. Com costumes religiosos semelhantes aos dos cristãos, ele diz “Natal é tudo, alegria, é onde as pessoas estão mais sensíveis com outras pessoas”. Para ele, este vai ser o primeiro ano sem a família reunida, “infelizmente esta vai ser a primeira vez que vou ter que ficar em Santa Maria para passar o Natal, mas, no ano novo estarei lá”. Quando questionado sobre o por quê de estar em Santa Maria, ele disse que na cidade consegue vender um pouco melhor o artesanato, aqui ele tem bastante amigos e se sente bem.

 

 

 

  Na conversa com  membros de outra tribo, vinda de Porto Alegre, da Aldeia do Cantagalo, e com costumes diferentes da tribo de Tenente Portela, quem fala sobre o Natal é Celina Benites, 16 anos, artesã que pela primeira vez vem para Santa Maria. “No Natal a gente canta, dança, na aldeia, e depois os homens matam um tatu pra gente comer e comemorar junto todo mundo”. “O natal é época de respeitar as pessoas”, diz Celina.  

 

 

 

 

 


Para eles, o significado é, de certa forma, a união e confraternização, mas o que as outras pessoas que circulam no centro da cidade pensam sobre o Natal?


 Jéssica Aquelino, estudante, 16 anos, diz que “é uma época em que as pessoas ficam mais sensíveis, mais carinhosas, mais calorosas com as outras pessoas, significa harmonia, paz, felicidade”.


Eucílio Duarte de Souza, 75 anos, aposentado, se refere ao natal como “desejo para todos aquilo que eu quero para mim, saúde. Natal é a imagem de Jesus”.


Para José Inácio, 26 anos estudante de História, o Natal é “uma data que gira em torno do comércio, porque se a gente for ver de onde surgiu o Papai Noel, antes ele usava roupa marrom e hoje é vermelha, Jesus que deveria ser lembrado, fica de fora”.


Se você quer deixar sua opinião sobre o significado do Natal, vote em nossa enquete aqui na página da Agência CentralSul.

 

 

 

Fotos: Ariéli Ziegler (Laboratório de Fotografia e Memória)