Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Hemocentro abre só na próxima semana

 

 

 

Problemas técnicos com a instalação da linha telefônica atrasaram o início das atividades do Hemocentro em Santa Maria. Inaugurado no último dia 11, deveria começar a funcionar nesta manhã. Esse é o nono centro público de sangue e hemocomponentes a integrar a hemorrede pública do Rio Grande do Sul. A dificuldade de acesso aos cabos da rua Alameda Santiago do Chile prejudicou a instalação dos computadores. 

O sistema de cadastro de doadores e pessoas impedidas de doar sangue é totalmente informatizado e seria inviável iniciar as atividades sem o acesso às listas e de modo manual. “Os problemas técnicos dependem de empresas terceirizadas e devem ser resolvidos até o final da semana”, explica a médica Raquel Sillis, diretora do Hemocentro. A estrutura do prédio está pronta e os funcionários treinados. Os novos equipamentos e os transferidos do Banco de Sangue do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) já foram instalados.

O hemocentro está habilitado para receber de 500 a 800 doações de sangue mensais e o principal objetivo é atingir 2 mil doações. A distribuição de sangue é prioritária ao HUSM e pretende atender a demanda regional de 54 municípios. Os serviços oferecidos são a pré-triagem, teste de anemia, triagem clínica e transfusão. Todos exigem apenas atendimento ambulatorial, sem internação. Os pacientes da Hemato-oncologia e do Centro de Transplante de Medula Óssea tem prioridade.

A idéia de parceria deu certo. A estrutura estava parada por falta de recursos humanos e o banco de sangue necessitava de uma ampliação. Com incentivo do poder público federal, estadual e municipal foi possível construir um centro que unisse o prédio com a reestruturação necessária. “A estrutura ficou ótima, porém no serviço de hemoterapia as coisas vão aos poucos. São muitos detalhes para tudo funcionar”, conclui Raquel.

Uma campanha de conscientização está sendo criada para motivar os jovens a doarem sangue. “Os doadores mais novos permanecem mais tempo doando. Eles são multiplicadores dessa ação”, incentiva a enfermeira Reseliane Reis, integrante da equipe do Hemocentro. O sangue em estoque continua no Banco de Sangue do HUSM e a coleta das doações é feita no Hospital de Caridade.

Para obter informações sobre doação de sangue acesse o site: Hemorgs

 

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

 

 

 

Problemas técnicos com a instalação da linha telefônica atrasaram o início das atividades do Hemocentro em Santa Maria. Inaugurado no último dia 11, deveria começar a funcionar nesta manhã. Esse é o nono centro público de sangue e hemocomponentes a integrar a hemorrede pública do Rio Grande do Sul. A dificuldade de acesso aos cabos da rua Alameda Santiago do Chile prejudicou a instalação dos computadores. 

O sistema de cadastro de doadores e pessoas impedidas de doar sangue é totalmente informatizado e seria inviável iniciar as atividades sem o acesso às listas e de modo manual. “Os problemas técnicos dependem de empresas terceirizadas e devem ser resolvidos até o final da semana”, explica a médica Raquel Sillis, diretora do Hemocentro. A estrutura do prédio está pronta e os funcionários treinados. Os novos equipamentos e os transferidos do Banco de Sangue do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) já foram instalados.

O hemocentro está habilitado para receber de 500 a 800 doações de sangue mensais e o principal objetivo é atingir 2 mil doações. A distribuição de sangue é prioritária ao HUSM e pretende atender a demanda regional de 54 municípios. Os serviços oferecidos são a pré-triagem, teste de anemia, triagem clínica e transfusão. Todos exigem apenas atendimento ambulatorial, sem internação. Os pacientes da Hemato-oncologia e do Centro de Transplante de Medula Óssea tem prioridade.

A idéia de parceria deu certo. A estrutura estava parada por falta de recursos humanos e o banco de sangue necessitava de uma ampliação. Com incentivo do poder público federal, estadual e municipal foi possível construir um centro que unisse o prédio com a reestruturação necessária. “A estrutura ficou ótima, porém no serviço de hemoterapia as coisas vão aos poucos. São muitos detalhes para tudo funcionar”, conclui Raquel.

Uma campanha de conscientização está sendo criada para motivar os jovens a doarem sangue. “Os doadores mais novos permanecem mais tempo doando. Eles são multiplicadores dessa ação”, incentiva a enfermeira Reseliane Reis, integrante da equipe do Hemocentro. O sangue em estoque continua no Banco de Sangue do HUSM e a coleta das doações é feita no Hospital de Caridade.

Para obter informações sobre doação de sangue acesse o site: Hemorgs

 

Fotos: Bibiane Moreira (Núcleo de Fotografia e Memória)