Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Um gesto pela vida

 "Fazer o bem sem olhar a quem".  Neste sábado, dia 26, o ditado popular explicou o desejo das pessoas que participaram do movimento à favor da doação de sangue, na praça Saldanha Marinho. Promovida pelo Hemocentro Regional de Santa Maria, a ação, que visava informar os santa-marienses sobre a importância do ato de solidariedade, arrecadou mais de 130 bolsas de sangue.

De acordo com a coordenadora de enfermagem e captação de doadores do Centro Público de Sangue e Hemocomponentes, Roseliane Andrade dos Reis, a intenção era mostrar e explicar as etapas de doação e desmistificar crenças populares relacionadas a essa atitude voluntária: "Doar sangue não emagrece, engorda ou altera a pressão".

 Para a realização da atividade, foi utilizada uma unidade móvel de coleta, emprestada pelo Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (HEMORGS) de Passo Fundo. Ao ar livre, os profissionais da saúde verificavam as condições físicas dos interressados em praticar o bem. A coleta de sangue, feita dentro do veículo, durava cerca de sete minutos e retirava entre 450ml e 470ml.

A baixa temperatura e o vento frio não foram empecilhos para os doadores, que aguardavam o atendimento. O serviços gerais Luciano Royallki, 32 anos, conta que começou a doar em 1998 e não consegue parar. Ele, que se mostra satisfeito em poder salvar vidas, faz quatro coletas ao ano. Já o aposentado Jarson Coutinho, 59 anos, perdeu as contas de quantas vezes doou sangue. Segundo Coutinho o gesto é uma forma de auxiliar o próximo.

 Entre os que foram doar pela primeira vez estavam a estudante de enfermagem Graziela Fernandes Cortez (na foto), 20 anos, a copeira Ângela Figueiró, 31 anos, e a empregada doméstica Célia Moura, 54 anos. As três compartilharam da mesma opinião: estavam ali para ajudar. Graziela percebeu a importância da transfusão de sangue no estágio e aproveitou o tempo disponível para doar. Ângela decidiu doar por ficar comovida com a falta de sangue nos hospitais. Célia, que revelou estar receosa com a coleta, admitiu que doará outras vezes: "Tem sempre alguém que precisa".

Aos interressados em doar sangue, o Hemocentro de Santa Maria está localizado na Alameda Santiago do Chile, 35. Ele atende de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h30min e 13h30mim às 17h.

Requisitos para doar:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Idade entre 18 e 65 anos;
  • Pesar acima de 50Kg;
  • Ter dormido no mínimo seis horas, no último descanso;
  • Estar com nível de pressão normal;
  • Não estar em jejum;
  • Evitar alimentos gordurosos quatro horas antes,
  • Evitar bebidas alcoólicas 24h antes;
  • Portar documento de identidade com foto.

Intervalo de Doações:

Homens – a cada dois meses, com até quatro doações ao ano.

Mulheres – a cada três meses, com até três doações ao ano.

Fotos: Letícia Sarturi Isaia

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 "Fazer o bem sem olhar a quem".  Neste sábado, dia 26, o ditado popular explicou o desejo das pessoas que participaram do movimento à favor da doação de sangue, na praça Saldanha Marinho. Promovida pelo Hemocentro Regional de Santa Maria, a ação, que visava informar os santa-marienses sobre a importância do ato de solidariedade, arrecadou mais de 130 bolsas de sangue.

De acordo com a coordenadora de enfermagem e captação de doadores do Centro Público de Sangue e Hemocomponentes, Roseliane Andrade dos Reis, a intenção era mostrar e explicar as etapas de doação e desmistificar crenças populares relacionadas a essa atitude voluntária: "Doar sangue não emagrece, engorda ou altera a pressão".

 Para a realização da atividade, foi utilizada uma unidade móvel de coleta, emprestada pelo Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (HEMORGS) de Passo Fundo. Ao ar livre, os profissionais da saúde verificavam as condições físicas dos interressados em praticar o bem. A coleta de sangue, feita dentro do veículo, durava cerca de sete minutos e retirava entre 450ml e 470ml.

A baixa temperatura e o vento frio não foram empecilhos para os doadores, que aguardavam o atendimento. O serviços gerais Luciano Royallki, 32 anos, conta que começou a doar em 1998 e não consegue parar. Ele, que se mostra satisfeito em poder salvar vidas, faz quatro coletas ao ano. Já o aposentado Jarson Coutinho, 59 anos, perdeu as contas de quantas vezes doou sangue. Segundo Coutinho o gesto é uma forma de auxiliar o próximo.

 Entre os que foram doar pela primeira vez estavam a estudante de enfermagem Graziela Fernandes Cortez (na foto), 20 anos, a copeira Ângela Figueiró, 31 anos, e a empregada doméstica Célia Moura, 54 anos. As três compartilharam da mesma opinião: estavam ali para ajudar. Graziela percebeu a importância da transfusão de sangue no estágio e aproveitou o tempo disponível para doar. Ângela decidiu doar por ficar comovida com a falta de sangue nos hospitais. Célia, que revelou estar receosa com a coleta, admitiu que doará outras vezes: "Tem sempre alguém que precisa".

Aos interressados em doar sangue, o Hemocentro de Santa Maria está localizado na Alameda Santiago do Chile, 35. Ele atende de segunda à sexta-feira, das 8h às 11h30min e 13h30mim às 17h.

Requisitos para doar:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Idade entre 18 e 65 anos;
  • Pesar acima de 50Kg;
  • Ter dormido no mínimo seis horas, no último descanso;
  • Estar com nível de pressão normal;
  • Não estar em jejum;
  • Evitar alimentos gordurosos quatro horas antes,
  • Evitar bebidas alcoólicas 24h antes;
  • Portar documento de identidade com foto.

Intervalo de Doações:

Homens – a cada dois meses, com até quatro doações ao ano.

Mulheres – a cada três meses, com até três doações ao ano.

Fotos: Letícia Sarturi Isaia