Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Comenda homenageia a comunidade negra de Santa Maria

Nesta terça-feira, dia 17, a Câmara de Vereadores de Santa Maria entregou à família de Marco Aurélio Pahim a comenda “Zumbi dos Palmares”. O objetivo da comenda é reconhecer as pessoas que ajudaram a dar visibilidade à comunidade afrodescendente de Santa Maria. A solenidade contou com entidades como a Associação de Capoeira de Rua, Berimbau.

 

 

“Marco Aurélio Pahim traduz a cultura afro descendente de Santa Maria”. Foi assim que a vereadora Helen Cabral se referiu àquele que foi protagonista na luta contra o preconceito. Neto de escravos, Marco Pahim se denominava um utópico por achar que um dia todos poderiam viver numa sociedade igualitária, sem discriminações.
 
O homenageado, além da luta no movimento negro, lutou por outras causas como a redemocratização do país. Nesta luta, liderou o “Ato da panela vazia” que buscava o fim da ditadura civil-militar. No movimento negro, Pahim foi incansável: criou a Associação dos Moradores da Vila Urlândia e a União das Associações Comunitárias de Santa Maria, UAC. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“No momento em que recebemos a notícia de quem seria o homenageado nós começamos a dialogar, a conversar com os familiares e amigos. Pensamos que essa homenagem deve se estender; não só à pessoa de Marco Pahim, mas principalmente às suas idéias, à sua luta e à causa que ele traz, que é o amor ao próximo, ao bem comum”, comenta o filho Alexandre Pahim.
 
 
Para levar ao público um pouco da cultura negra, a Associação de Capoeira de Rua Berimbau, apresentou as danças típicas da cultura afrodescendente. Engana-se quem pensa que a cultura negra está somente na dança. Os sons, as artes, a culinária e a cultura também são legados da cultura. É essa miscigenação que  faz com que o nosso país seja tão rico culturalmente.
 
 
A valorização da comunidade negra santa-mariense é uma luta constante, na opinião do filho do homenageado.  para ele, a comenda “Zumbi dos Palmares” cumpre o papel no processo de visibilidade dessa comunidade e de seus representantes. Mas muita coisa ainda precisa ser feita, isto é só o início,  garante. “Eu acredito que esta homenagem, os depoimentos que foram dados, a presença de todos, faz com que a gente lembre de Marco Aurélio Pahim como essa pessoa lutadora”, argumenta Alexandre Pahim.
 
Zumbi dos Palmares foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas, no tempo do Brasil Colônia.
 
Fotos: Diego Fontanella (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nesta terça-feira, dia 17, a Câmara de Vereadores de Santa Maria entregou à família de Marco Aurélio Pahim a comenda “Zumbi dos Palmares”. O objetivo da comenda é reconhecer as pessoas que ajudaram a dar visibilidade à comunidade afrodescendente de Santa Maria. A solenidade contou com entidades como a Associação de Capoeira de Rua, Berimbau.

 

 

“Marco Aurélio Pahim traduz a cultura afro descendente de Santa Maria”. Foi assim que a vereadora Helen Cabral se referiu àquele que foi protagonista na luta contra o preconceito. Neto de escravos, Marco Pahim se denominava um utópico por achar que um dia todos poderiam viver numa sociedade igualitária, sem discriminações.
 
O homenageado, além da luta no movimento negro, lutou por outras causas como a redemocratização do país. Nesta luta, liderou o “Ato da panela vazia” que buscava o fim da ditadura civil-militar. No movimento negro, Pahim foi incansável: criou a Associação dos Moradores da Vila Urlândia e a União das Associações Comunitárias de Santa Maria, UAC. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“No momento em que recebemos a notícia de quem seria o homenageado nós começamos a dialogar, a conversar com os familiares e amigos. Pensamos que essa homenagem deve se estender; não só à pessoa de Marco Pahim, mas principalmente às suas idéias, à sua luta e à causa que ele traz, que é o amor ao próximo, ao bem comum”, comenta o filho Alexandre Pahim.
 
 
Para levar ao público um pouco da cultura negra, a Associação de Capoeira de Rua Berimbau, apresentou as danças típicas da cultura afrodescendente. Engana-se quem pensa que a cultura negra está somente na dança. Os sons, as artes, a culinária e a cultura também são legados da cultura. É essa miscigenação que  faz com que o nosso país seja tão rico culturalmente.
 
 
A valorização da comunidade negra santa-mariense é uma luta constante, na opinião do filho do homenageado.  para ele, a comenda “Zumbi dos Palmares” cumpre o papel no processo de visibilidade dessa comunidade e de seus representantes. Mas muita coisa ainda precisa ser feita, isto é só o início,  garante. “Eu acredito que esta homenagem, os depoimentos que foram dados, a presença de todos, faz com que a gente lembre de Marco Aurélio Pahim como essa pessoa lutadora”, argumenta Alexandre Pahim.
 
Zumbi dos Palmares foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas, no tempo do Brasil Colônia.
 
Fotos: Diego Fontanella (Laboratório de Fotografia e Memória)