Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Frio não impediu acadêmicos de protestar

Muito frio, dia nublado, uma manhã cinzenta de sábado, 27 de junho. Mesmo assim quem foi ao Calçadão de Santa Maria pode perceber a manifestação de acadêmicos de Jornalismo da Unifra. Com faixas e panfletos ,o protesto silencioso arrecadou assinaturas em prol da exigência do diploma de Jornalismo para exercer a profissão, extinto pelo Supremo Tribunal Federal.

Em meio a declarações de “palhaçada” e “sacanagem” a palavra “desrespeito” também foi ouvida. Várias pessoas pediram para assinar o abaixo-assinado e deram sua opinião sobre a desregulamentação do Jornalismo: 

“Não é justo, escrever bem não é ser jornalista, é ser escritor. Tem toda parte técnica. Um investimento feito na graduação, não só financeiro, como a dedicação que invalidaram”, diz a aposentada Sônia Arigany Braga.

 A professora Eunice Martins apóia a manifestação: “É isso mesmo que vocês têm que fazer. É falta de respeito com vocês que estudam e com a gente. Pensam que a população é ignorante. Cercearam a liberdade de imprensa. A decisão é um retrocesso”.  

O estudante Rodrigo Perez  também é contra a decisão do STF: “Muita gente se aperfeiçoando, estudando e querem colocar qualquer pessoa no lugar, é desrespeito”.  

Para o estudante Vinícius Xavier, a decisão é uma “palhaçada”: “É sacanagem para quem estuda, qualquer profissional deve se aliar ao que vocês fazem. O cara quer se especializar fazendo graduação e tiram o diploma”. 

“Absurdo! só eles mesmo para fazerem essas coisas”, aposentado João Carlos.

Para a jornalista Lílian Santos, “a decisão desvaloriza quem estudou para não considerarem a formação acadêmica”. 

Aposentado Edson Vontühlen caracteriza como “sacanagem”: “Fazer faculdade e dizerem que não fez nada, que não vale. Já tem piada dizendo que pessoas querem vender diploma de jornalista, mas que é o único que ninguém quer pagar”.   

 

Leia mais sobre o diploma e a repercussão do tema:

www.fenaj.org.br

artigo Jornal Zero Hora

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Muito frio, dia nublado, uma manhã cinzenta de sábado, 27 de junho. Mesmo assim quem foi ao Calçadão de Santa Maria pode perceber a manifestação de acadêmicos de Jornalismo da Unifra. Com faixas e panfletos ,o protesto silencioso arrecadou assinaturas em prol da exigência do diploma de Jornalismo para exercer a profissão, extinto pelo Supremo Tribunal Federal.

Em meio a declarações de “palhaçada” e “sacanagem” a palavra “desrespeito” também foi ouvida. Várias pessoas pediram para assinar o abaixo-assinado e deram sua opinião sobre a desregulamentação do Jornalismo: 

“Não é justo, escrever bem não é ser jornalista, é ser escritor. Tem toda parte técnica. Um investimento feito na graduação, não só financeiro, como a dedicação que invalidaram”, diz a aposentada Sônia Arigany Braga.

 A professora Eunice Martins apóia a manifestação: “É isso mesmo que vocês têm que fazer. É falta de respeito com vocês que estudam e com a gente. Pensam que a população é ignorante. Cercearam a liberdade de imprensa. A decisão é um retrocesso”.  

O estudante Rodrigo Perez  também é contra a decisão do STF: “Muita gente se aperfeiçoando, estudando e querem colocar qualquer pessoa no lugar, é desrespeito”.  

Para o estudante Vinícius Xavier, a decisão é uma “palhaçada”: “É sacanagem para quem estuda, qualquer profissional deve se aliar ao que vocês fazem. O cara quer se especializar fazendo graduação e tiram o diploma”. 

“Absurdo! só eles mesmo para fazerem essas coisas”, aposentado João Carlos.

Para a jornalista Lílian Santos, “a decisão desvaloriza quem estudou para não considerarem a formação acadêmica”. 

Aposentado Edson Vontühlen caracteriza como “sacanagem”: “Fazer faculdade e dizerem que não fez nada, que não vale. Já tem piada dizendo que pessoas querem vender diploma de jornalista, mas que é o único que ninguém quer pagar”.   

 

Leia mais sobre o diploma e a repercussão do tema:

www.fenaj.org.br

artigo Jornal Zero Hora