Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Limpeza e Cidadania – por que me preocupar?

No segundo sábado do mês de setembro é comemorado o Dia Internacional da
Limpeza e Cidadania
. Por que se preocupar com isso?

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Porque, em média, uma pessoa produz 500 gramas de lixo por
dia, ou seja, uma cidade grande pode produzir 3 milhões de toneladas por dia.
Esse volume é preocupante, pois ainda não se possui uma solução prática em cidades como Santa Maria.

Esse foi um dos temas discutidos na mesa-redonda sobre a geração e destinação
de resíduos sólidos em
Santa Maria
, realizada na manhã de quarta-feira, dia 16, na Unifra.

 

A professora da UFSM,  Marta
Tocchetto,  comentou que com mudanças
básicas no nosso cotidiano já podemos colaborar. “Atitudes bastante simples –
por que não podemos levar apenas uma sacola plástica quando saímos do super
mercado, em vez de várias para poucas coisas?”, 
enfatiza.

 

O problema ou a solução para os catadores também foram discutidos já que na
cidade existem muitos deles. Caracterizados como dinâmicos, pois esvaziam e
enchem seus carrinhos várias vezes em comparação com os contêineres. Para o
químico e responsável pela FEPAM, Enry Meihrnart, os catadores são polêmicos, mas
importantes porque compõem uma rede social importante. Um dos questionamentos
dele foi para onde vai o rejeito dos catadores depois da triagem? Para o leito
dos rios, para as estradas? Por essas e outras ações  é que eles são questionados.

O engenheiro florestal e representante do secretário de Proteção
Ambiental, Luiz Geraldo, tentou esclarecer as dúvidas dos presentes, das tantas
irregularidades que existem neste novo sistema de coleta.

Uma delas foi o porque de tantas cláusulas não cumpridas no contrato
entre a Prefeitura e a empresa de coleta PRT. Segundo Luiz Geraldo, o contrato tem vigência de cinco anos e ele é
renovado a cada ano. “Ele foi renovado no início de agosto e foi feito um
ajuste de coisas que não tinham sido cumpridas” enfatizou. Adiantou que uma das
mudanças será a da coleta seletiva, e que os contêineres já chegaram. Dentro de
um mês eles já devem estar à disposição. Os locais ainda não foram estipulados, mas
não será nas calçadas e nem nas ruas para que não interfiram no trânsito e nem
no tráfego, garante ele.

Uma das questões que preocupa muitas pessoas é onde deixar as pilhas,
baterias e lâmpadas. Quando questionado se 
a cidade terá um posto de coleta, o engenheiro florestal admitiu da
necessidade de um, mas que a prefeitura não tem planos de implantar no momento.
Comunicou apenas que estão em negociação com uma empresa para fazer a coleta de
pneus.

Como a manhã rendeu muitos questionamentos aos participantes do por que
de tantas irregularidades, uma das soluções oferecidas por Enry foi a denúncia.

Todos aqueles que se sentirem lesados, seja por excesso de lixo em
frente à sua casa ou por qualquer outro  motivo, oodem denunciar. “Fotografem e denunciem
formalmente na Prefeitura que ela será obrigada a apresentar à prestadora do
serviço, que terá que tomar providências”, finalizou Enry.

 

 

 

 

                                                                      

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No segundo sábado do mês de setembro é comemorado o Dia Internacional da
Limpeza e Cidadania
. Por que se preocupar com isso?

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Porque, em média, uma pessoa produz 500 gramas de lixo por
dia, ou seja, uma cidade grande pode produzir 3 milhões de toneladas por dia.
Esse volume é preocupante, pois ainda não se possui uma solução prática em cidades como Santa Maria.

Esse foi um dos temas discutidos na mesa-redonda sobre a geração e destinação
de resíduos sólidos em
Santa Maria
, realizada na manhã de quarta-feira, dia 16, na Unifra.

 

A professora da UFSM,  Marta
Tocchetto,  comentou que com mudanças
básicas no nosso cotidiano já podemos colaborar. “Atitudes bastante simples –
por que não podemos levar apenas uma sacola plástica quando saímos do super
mercado, em vez de várias para poucas coisas?”, 
enfatiza.

 

O problema ou a solução para os catadores também foram discutidos já que na
cidade existem muitos deles. Caracterizados como dinâmicos, pois esvaziam e
enchem seus carrinhos várias vezes em comparação com os contêineres. Para o
químico e responsável pela FEPAM, Enry Meihrnart, os catadores são polêmicos, mas
importantes porque compõem uma rede social importante. Um dos questionamentos
dele foi para onde vai o rejeito dos catadores depois da triagem? Para o leito
dos rios, para as estradas? Por essas e outras ações  é que eles são questionados.

O engenheiro florestal e representante do secretário de Proteção
Ambiental, Luiz Geraldo, tentou esclarecer as dúvidas dos presentes, das tantas
irregularidades que existem neste novo sistema de coleta.

Uma delas foi o porque de tantas cláusulas não cumpridas no contrato
entre a Prefeitura e a empresa de coleta PRT. Segundo Luiz Geraldo, o contrato tem vigência de cinco anos e ele é
renovado a cada ano. “Ele foi renovado no início de agosto e foi feito um
ajuste de coisas que não tinham sido cumpridas” enfatizou. Adiantou que uma das
mudanças será a da coleta seletiva, e que os contêineres já chegaram. Dentro de
um mês eles já devem estar à disposição. Os locais ainda não foram estipulados, mas
não será nas calçadas e nem nas ruas para que não interfiram no trânsito e nem
no tráfego, garante ele.

Uma das questões que preocupa muitas pessoas é onde deixar as pilhas,
baterias e lâmpadas. Quando questionado se 
a cidade terá um posto de coleta, o engenheiro florestal admitiu da
necessidade de um, mas que a prefeitura não tem planos de implantar no momento.
Comunicou apenas que estão em negociação com uma empresa para fazer a coleta de
pneus.

Como a manhã rendeu muitos questionamentos aos participantes do por que
de tantas irregularidades, uma das soluções oferecidas por Enry foi a denúncia.

Todos aqueles que se sentirem lesados, seja por excesso de lixo em
frente à sua casa ou por qualquer outro  motivo, oodem denunciar. “Fotografem e denunciem
formalmente na Prefeitura que ela será obrigada a apresentar à prestadora do
serviço, que terá que tomar providências”, finalizou Enry.