Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Oficina ressalta importância da espiritualidade no crescimento pessoal

O tema espiritualidade é vasto e pode ser abordado de diversos ângulos. A oficina Espiritualidade: um caminho de crescimento, ministrada pela reitora da Unifra, profª. Iraní Rupolo, na terça-feira, 16 de junho, tratou a espiritualidade pelo viés do crescimento pessoal. O evento, promovido e realizado pela Pastoral da Unifra, reuniu funcionários, professores e acadêmicos de diferentes cursos.

 Partindo da pergunta "o que é espiritualidade?", a ministrante dividiu a oficina em quatro momentos. No primeiro, buscou-se responder a essa pergunta tratando a espiritualidade como elemento fundamental para a compreensão do sentido da vida humana. “Pensar a espiritualidade é considerar a pessoa em sua integralidade. A espiritualidade relaciona-se com a experiência do ser humano de saber sobre si e de transcender-se. Ela conduz a aproximar-se do mistério de Deus”, disse a professora.

 

A espiritualidade relaciona-se com o autoconhecimento. O ser humano, em algum momento da vida, questiona-se sobre o sentido de sua existência. É inevitável. Para a professora Iraní, homens e mulheres precisam superar-se, precisam valorizar-se e, acima de tudo, precisam desafiar-se. É nesse sentido que falou-se em transcendência.

 

O segundo momento da oficina tratou da relação entre espiritualidade e religião. Aqui, falou-se do indivíduo entendido como espaço sagrado de reflexão, prece e meditação. A professora Iraní explica desta forma tal relação: ”Existe uma relação entre religião e espiritualidade, mas uma não depende da outra. A religião ocupa-se de ensinamentos, doutrina, rituais, crenças. A espiritualidade leva à descoberta da subjetividade humana, ao cultivo do caminho espiritual que produz transformação interior e da vida do ser humano em sua relação com as pessoas e com a realidade”.

 

Espiritualidade para quê?

Num mundo onde cresce o desamor pelo planeta, onde aumenta a violência contra o corpo e o espírito, para quê serve a espiritualidade? Para ser caminho de libertação e de felicidade do ser humano. Para tornar as pessoas melhores na convivência e no respeito à vida. Segundo a professora, “cada pessoa se comunica com Deus a partir de sua história de vida, de seu trabalho, de sua cultura, de sua relação com a natureza, a arte, o cotidiano. A espiritualidade introduz a pessoa num espaço sagrado”.

Ciência e espiritualidade

A separação entre ciência e religião e a relação entre espiritualidade e ciência foram os assuntos do terceiro momento da oficina. A professora Iraní explicou que “a necessidade de uma visão não fragmentada entre ciência e fé surgiu do próprio método científico, até então comprometido com a abordagem racionalista. A síntese das polaridades entre ciência e espiritualidade passou a ser discutida por várias áreas de conhecimento, entre as quais: a física, a neurologia, a psicologia, a filosofia, a química, a biologia, etc”. A ministrante ilustrou a explicação com frases relacionadas ao tema de cientistas célebres como o físico Albert Einstein (1879 – 1955) e o diretor do Projeto Genoma Humano, Francis Collins (1950 -).

Espiritualidade e vida

 No quarto momento, a professora Iraní falou sobre espiritualidade e vida. Para ela, “a espiritualidade se expressa na atitude de simplicidade e de transparência. Está relacionada à compaixão, tolerância e perdão. A vida tem um sentido que transcende o material e o palpável. Este é o significado da espiritualidade”.

Ao término da apresentação, houve espaço para perguntas e comentários dos presentes. A oficina teve duração de uma hora e meia e ocorreu no Salão Azul do Conjunto I da Unifra.

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O tema espiritualidade é vasto e pode ser abordado de diversos ângulos. A oficina Espiritualidade: um caminho de crescimento, ministrada pela reitora da Unifra, profª. Iraní Rupolo, na terça-feira, 16 de junho, tratou a espiritualidade pelo viés do crescimento pessoal. O evento, promovido e realizado pela Pastoral da Unifra, reuniu funcionários, professores e acadêmicos de diferentes cursos.

 Partindo da pergunta "o que é espiritualidade?", a ministrante dividiu a oficina em quatro momentos. No primeiro, buscou-se responder a essa pergunta tratando a espiritualidade como elemento fundamental para a compreensão do sentido da vida humana. “Pensar a espiritualidade é considerar a pessoa em sua integralidade. A espiritualidade relaciona-se com a experiência do ser humano de saber sobre si e de transcender-se. Ela conduz a aproximar-se do mistério de Deus”, disse a professora.

 

A espiritualidade relaciona-se com o autoconhecimento. O ser humano, em algum momento da vida, questiona-se sobre o sentido de sua existência. É inevitável. Para a professora Iraní, homens e mulheres precisam superar-se, precisam valorizar-se e, acima de tudo, precisam desafiar-se. É nesse sentido que falou-se em transcendência.

 

O segundo momento da oficina tratou da relação entre espiritualidade e religião. Aqui, falou-se do indivíduo entendido como espaço sagrado de reflexão, prece e meditação. A professora Iraní explica desta forma tal relação: ”Existe uma relação entre religião e espiritualidade, mas uma não depende da outra. A religião ocupa-se de ensinamentos, doutrina, rituais, crenças. A espiritualidade leva à descoberta da subjetividade humana, ao cultivo do caminho espiritual que produz transformação interior e da vida do ser humano em sua relação com as pessoas e com a realidade”.

 

Espiritualidade para quê?

Num mundo onde cresce o desamor pelo planeta, onde aumenta a violência contra o corpo e o espírito, para quê serve a espiritualidade? Para ser caminho de libertação e de felicidade do ser humano. Para tornar as pessoas melhores na convivência e no respeito à vida. Segundo a professora, “cada pessoa se comunica com Deus a partir de sua história de vida, de seu trabalho, de sua cultura, de sua relação com a natureza, a arte, o cotidiano. A espiritualidade introduz a pessoa num espaço sagrado”.

Ciência e espiritualidade

A separação entre ciência e religião e a relação entre espiritualidade e ciência foram os assuntos do terceiro momento da oficina. A professora Iraní explicou que “a necessidade de uma visão não fragmentada entre ciência e fé surgiu do próprio método científico, até então comprometido com a abordagem racionalista. A síntese das polaridades entre ciência e espiritualidade passou a ser discutida por várias áreas de conhecimento, entre as quais: a física, a neurologia, a psicologia, a filosofia, a química, a biologia, etc”. A ministrante ilustrou a explicação com frases relacionadas ao tema de cientistas célebres como o físico Albert Einstein (1879 – 1955) e o diretor do Projeto Genoma Humano, Francis Collins (1950 -).

Espiritualidade e vida

 No quarto momento, a professora Iraní falou sobre espiritualidade e vida. Para ela, “a espiritualidade se expressa na atitude de simplicidade e de transparência. Está relacionada à compaixão, tolerância e perdão. A vida tem um sentido que transcende o material e o palpável. Este é o significado da espiritualidade”.

Ao término da apresentação, houve espaço para perguntas e comentários dos presentes. A oficina teve duração de uma hora e meia e ocorreu no Salão Azul do Conjunto I da Unifra.