Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Por que tanta chuva nessa época do ano?

Meteorologia

O sol apareceu depois de dias cinzentos e chuvosos. Agora a aparência do dia está bem típica da estação mais bela do ano. Porém, as previsões já marcam chuva novamente para o final de semana. Afinal, por que tanta chuva nesse período do ano?

 

Na foto ao lado: mesmo com o sol de quinta e sexta-feira, ainda ha resquícios da chuva em alguns pontos da cidade.

O mês de setembro no Rio Grande do Sul foi o mais chuvoso dos últimos 23 anos. Em Santa Maria, a precipitação de chuva superou em 130% a média histórica na região. Há um mês, Itaara sofreu um dos maiores temporais que a cidade já presenciou. Em todo o estado e fora dele, enchentes assustam a população. Qual seria a explicação para essas tragédias ambientais?

Afrânio
“Quando chove, a água deveria infiltrar e ser armazenada na terra. Porém, o homem interferiu na crosta e a água acaba escoando lateralmente nas superfícies. Assim, vai para os rios e gera as enchentes”, explica o engenheiro agrônomo e pesquisador Afrânio Righes, PHD em Solo e Água pela Iowa State University, nos EUA.

Ele ressalta que a ação do homem na criação das cidades e do asfalto fez com que a cidade ficasse impermeabilizada, o que não permite que a chuva fique armazenada no solo. “A água escoa na superfície e vai para os rios, e dos rios para o mar. Então é água perdida”, comenta.

AfrânioSegundo o professor de Meteorologia da UFSM, Everson Dal Piva, casos como o que aconteceu em Itaara são rotineiros nessa época do ano. “Vivemos em uma área de transição entre ar quente, tropical, e o ar frio, polar. Essa área de choques entre massas polares acaba gerando tempestades muito fortes”, acrescenta.

Em relação à grande quantidade de chuvas e enchentes nas últimas semanas, Afrânio esclarece que sempre houve essa oscilação. Muita chuva e muita seca em determinadas épocas do ano sempre foram normais.

“Não está chovendo mais ou menos. O que acontece é que a cidade impermeabilizada pela ação do homem acumula a água e gera essas inundações. A interferência do homem na natureza influencia. O meio ambiente tem um equilíbrio, e qualquer alteração que for feita pode mudar tudo”, ressalta.

O pesquisador aponta uma solução: "Se em todas as casas tivesse uma captação da água da chuva, não haveria enchentes. Os rios não são os culpados. O problema são as cidades, que estão impermeabilizadas", conclui.

Fotos: Maiara Bersch (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Meteorologia

O sol apareceu depois de dias cinzentos e chuvosos. Agora a aparência do dia está bem típica da estação mais bela do ano. Porém, as previsões já marcam chuva novamente para o final de semana. Afinal, por que tanta chuva nesse período do ano?

 

Na foto ao lado: mesmo com o sol de quinta e sexta-feira, ainda ha resquícios da chuva em alguns pontos da cidade.

O mês de setembro no Rio Grande do Sul foi o mais chuvoso dos últimos 23 anos. Em Santa Maria, a precipitação de chuva superou em 130% a média histórica na região. Há um mês, Itaara sofreu um dos maiores temporais que a cidade já presenciou. Em todo o estado e fora dele, enchentes assustam a população. Qual seria a explicação para essas tragédias ambientais?

Afrânio
“Quando chove, a água deveria infiltrar e ser armazenada na terra. Porém, o homem interferiu na crosta e a água acaba escoando lateralmente nas superfícies. Assim, vai para os rios e gera as enchentes”, explica o engenheiro agrônomo e pesquisador Afrânio Righes, PHD em Solo e Água pela Iowa State University, nos EUA.

Ele ressalta que a ação do homem na criação das cidades e do asfalto fez com que a cidade ficasse impermeabilizada, o que não permite que a chuva fique armazenada no solo. “A água escoa na superfície e vai para os rios, e dos rios para o mar. Então é água perdida”, comenta.

AfrânioSegundo o professor de Meteorologia da UFSM, Everson Dal Piva, casos como o que aconteceu em Itaara são rotineiros nessa época do ano. “Vivemos em uma área de transição entre ar quente, tropical, e o ar frio, polar. Essa área de choques entre massas polares acaba gerando tempestades muito fortes”, acrescenta.

Em relação à grande quantidade de chuvas e enchentes nas últimas semanas, Afrânio esclarece que sempre houve essa oscilação. Muita chuva e muita seca em determinadas épocas do ano sempre foram normais.

“Não está chovendo mais ou menos. O que acontece é que a cidade impermeabilizada pela ação do homem acumula a água e gera essas inundações. A interferência do homem na natureza influencia. O meio ambiente tem um equilíbrio, e qualquer alteração que for feita pode mudar tudo”, ressalta.

O pesquisador aponta uma solução: "Se em todas as casas tivesse uma captação da água da chuva, não haveria enchentes. Os rios não são os culpados. O problema são as cidades, que estão impermeabilizadas", conclui.

Fotos: Maiara Bersch (Laboratório de Fotografia e Memória)