Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Livro Livre trouxe Moacyr Scliar à Feira

Normal.dotm
0
0
1
40
232
Centro Universitario Franciscano
1
1
284
12.0

0
false

18 pt
18 pt
0
0

false
false
false


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0in 5.4pt 0in 5.4pt;
mso-para-margin-top:0in;
mso-para-margin-right:0in;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0in;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-ansi-language:PT-BR;}

dsc_3462.jpg
 
Esta
cidade foi feita para receber escritores, é um berço histórico do Rio Grande do
Sul”. Essa foi uma das primeiras frases ditas pelo médico e escritor Moacyr
Scliar, que participou, na segunda-fira, 3 de maio, da Feira do Livro de Santa Maria.
Mesmo com a chuva, o público lotou a praça.

 


Normal.dotm
0
0
1
334
1909
Centro Universitario Franciscano
15
3
2344
12.0

0
false

18 pt
18 pt
0
0

false
false
false


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0in 5.4pt 0in 5.4pt;
mso-para-margin-top:0in;
mso-para-margin-right:0in;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0in;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-ansi-language:PT-BR;}

Segundo
Scliar, a paixão por escrever veio desde pequeno, antes mesmo de entrar para o
colégio, quando foi estimulado pela mãe. Porém, optou pela carreira de Medicina. Seus livros carregam o passado e costumam abordar imigração
judaica e Medicina, temáticas comentadas durante o bate-papo. Scliar também
explicou ao público que para ser escritor não precisa cursar Letras, mas gostar
de ler e escrever. “Eu não tenho hora para escrever, qualquer hora é hora. Com
ou sem inspiração.”

A
substituição das novas tecnologias pelos livros é um assunto recorrente mas,
segundo o autor, não deve acontecer, pois o livro vem resistindo até mesmo com
as últimas tecnologias, como os “tablets” (suportes de leitura). “Eu sou a
favor do livro”, disse.

A platéia
participou com diversas perguntas sobre Literatura e escritores gaúchos e a sua
participação na Academia Brasileira de Letras (ABL) . Com seu jeito simples e
calmo, Scliar respondeu a todos. Foi com apoio da população e incentivo das associações rio-grandenses que ele chegou a integrar a ABL. “Eu tinha medo de não
entrar, porque Mario Quintana tinha sido rejeitado por três vezes e eu achava que
não tinha chance”.

A última pergunta
foi sobre o suposto plágio, pelo escritor canadense Yann Martel, de sua obra “Max e os Felinos”,
em 2002. Segundo o escritor, jornais
da Inglaterra, Estados Unidos e outros países começaram a ligar para ele,
pedindo explicações e o que pensava sobre a questão. “Eu tive que saber
mais sobre o assunto, porque eu não sabia o que estava acontecendo”, comentou.
Yann Martel escreveu A vida de Pi, um
romance que se tornou famoso e ganhou o prêmio “Man booker”.  Na
época, o brasileiro teve que ir até os EUA dar entrevistas. Porém, decidiu não processar
o jovem escritor, que ligou para ele e pediu desculpas. Até hoje o assunto gera
interesse.

No final
do bate-papo Livro Livre, uma fila se formou
no palco para pedir autógrafos e
tirar fotos com o convidado.

 

As notícias, fotos,
lista dos mais vendidos e atualizações da programação da Feira do Livro
de Santa Maria 2010
podem ser encontradas em www.feiradolivrosm.com.br

A novidade este ano é o twitter.com/feiradolivrosm

 

Fotos: Maiara Bersch (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Normal.dotm
0
0
1
40
232
Centro Universitario Franciscano
1
1
284
12.0

0
false

18 pt
18 pt
0
0

false
false
false


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0in 5.4pt 0in 5.4pt;
mso-para-margin-top:0in;
mso-para-margin-right:0in;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0in;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-ansi-language:PT-BR;}

dsc_3462.jpg
 
Esta
cidade foi feita para receber escritores, é um berço histórico do Rio Grande do
Sul”. Essa foi uma das primeiras frases ditas pelo médico e escritor Moacyr
Scliar, que participou, na segunda-fira, 3 de maio, da Feira do Livro de Santa Maria.
Mesmo com a chuva, o público lotou a praça.

 


Normal.dotm
0
0
1
334
1909
Centro Universitario Franciscano
15
3
2344
12.0

0
false

18 pt
18 pt
0
0

false
false
false


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Table Normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0in 5.4pt 0in 5.4pt;
mso-para-margin-top:0in;
mso-para-margin-right:0in;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0in;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-ansi-language:PT-BR;}

Segundo
Scliar, a paixão por escrever veio desde pequeno, antes mesmo de entrar para o
colégio, quando foi estimulado pela mãe. Porém, optou pela carreira de Medicina. Seus livros carregam o passado e costumam abordar imigração
judaica e Medicina, temáticas comentadas durante o bate-papo. Scliar também
explicou ao público que para ser escritor não precisa cursar Letras, mas gostar
de ler e escrever. “Eu não tenho hora para escrever, qualquer hora é hora. Com
ou sem inspiração.”

A
substituição das novas tecnologias pelos livros é um assunto recorrente mas,
segundo o autor, não deve acontecer, pois o livro vem resistindo até mesmo com
as últimas tecnologias, como os “tablets” (suportes de leitura). “Eu sou a
favor do livro”, disse.

A platéia
participou com diversas perguntas sobre Literatura e escritores gaúchos e a sua
participação na Academia Brasileira de Letras (ABL) . Com seu jeito simples e
calmo, Scliar respondeu a todos. Foi com apoio da população e incentivo das associações rio-grandenses que ele chegou a integrar a ABL. “Eu tinha medo de não
entrar, porque Mario Quintana tinha sido rejeitado por três vezes e eu achava que
não tinha chance”.

A última pergunta
foi sobre o suposto plágio, pelo escritor canadense Yann Martel, de sua obra “Max e os Felinos”,
em 2002. Segundo o escritor, jornais
da Inglaterra, Estados Unidos e outros países começaram a ligar para ele,
pedindo explicações e o que pensava sobre a questão. “Eu tive que saber
mais sobre o assunto, porque eu não sabia o que estava acontecendo”, comentou.
Yann Martel escreveu A vida de Pi, um
romance que se tornou famoso e ganhou o prêmio “Man booker”.  Na
época, o brasileiro teve que ir até os EUA dar entrevistas. Porém, decidiu não processar
o jovem escritor, que ligou para ele e pediu desculpas. Até hoje o assunto gera
interesse.

No final
do bate-papo Livro Livre, uma fila se formou
no palco para pedir autógrafos e
tirar fotos com o convidado.

 

As notícias, fotos,
lista dos mais vendidos e atualizações da programação da Feira do Livro
de Santa Maria 2010
podem ser encontradas em www.feiradolivrosm.com.br

A novidade este ano é o twitter.com/feiradolivrosm

 

Fotos: Maiara Bersch (Laboratório de Fotografia e Memória)