Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Os benefícios da terapia floral

Cada vez mais a medicina alternativa tem conquistado adeptos. No Brasil, muitas são as técnicas utilizadas que buscam auxiliar a medicina tradicional. Segundo os defensores, a diferença é que as terapias alternativas em grande parte, não possuem efeitos colaterais. Nestas práticas, existem ainda aquelas que buscam tratar o emocional, visando os reflexos de cura nas enfermidades do corpo, como a terapia floral.

florais 04.jpgO uso de flores e plantas em tratamentos é antigo, mesmo antes de Cristo elas já eram utilizadas Nas antigas civilizações os aborígenes australianos comiam a flores inteiras, e tanto egípicios, como africanos e malaios faziam uso delas para tratar doenças emocionais. Registros indicam que no século XVI o curador Parcelsus já empregava as essências florais para tratar desequilíbrios emocionais.

O tratamento com floral

Os florais são essências energéticas retiradas das plantas por manipulação. A terapia floral busca trabalhar o emocional e tem como objetivo o autoconhecimento do ser humano, de suas emoções, para que  ele possa tomar decisões de forma tranqüila. Conforme a terapeuta Valquiria Mara Zuse, o tratamento acontece de formas diferentes. “Cada paciente responde ao tratamento a seu tempo, sendo que o período de cada paciente será sempre respeitado. Para alguns, inclusive, é necessário acrescentar, retirar ou mudar as formulações” explica. Valquiria trabalha com florais junto a sua irmã, a terapeuta Marisa Ilora Zuse, na cidade de São Pedro do sul, distante a 38 Km de Santa Maria, região central do estado.

Elas conheceram os florais no ano de 2004, quando Marisa encontrou na terapia a solução para as dores da filha, que sofria de cólica. “A resposta foi imediata. Então procuramos um curso sobre florais em 2005 e acrescentamos em nossas terapias. Tem sido um poderoso aliado” conta Marisa.

Elas explicam que todas as doenças físicas têm origem no emocional e que a terapia com florais harmoniza as emoções, com isso o corpo físico acaba recebendo os benefícios. Ainda conforme as terapeutas, não há contra indicação e todas as doenças físicas e emocionais podem ser tratadas com florais. Quanto a idade, o tratamento não tem restrições e até as crianças podem participar. “Pode ser feito desde o momento do nascimento” complementa Marisa.

A procura pela terapia na cidade de São Pedro, interior do RS, tem se intensificado. “A cada dia, mais pessoas nos procuram, sempre com indicação de alguém que fez ou faz uso de florais e percebeu bons resultados” conta Valquiria. Em grande parte, as pessoas que procuram o tratamento buscam auxílio em problemas de ansiedade, depressão, estresse, pânico e por estudantes que querem um melhor aproveitamento nos estudos. Os pacientes são acompanhados durante o tratamento. “Os resultados são avaliados normalmente uma vez por semana” diz Marisa.

 Os florais comercializados pelas terapeutas são os de Bach e Saint Germain. Um frasco de 30 ml custa R$ 10,00 e as consultas não são cobradas.

    A busca por tranquilidade 

A pedagoga Ângela Regina Danieli, 34 anos, aderiu aos florais há cerca de um mês, buscando tranquilidade e relaxamento. Apesar do pouco tempo, ela diz que já percebeu os resultados. “Me sinto mais tranquila desde que passei a tomar os florais. Agora tenho eles sempre em casa” afirma. florais 01.jpg

A comerciante Cristiane Hilgeman, 39 anos e sua filha de 07 anos, fazem uso de florais há cerca de três meses. Primeiramente elas fizeram uma consulta para verificar qual o composto mais indicado. Cristiane diz que resolveu incluir a filha no tratamento por acreditar que toda a sensação de nervosismo e estresse que ela tiver pode acabar transmitindo para a criança. “Meus filhos sentem se estou nervosa e por isso foi muito bom fazer a terapia em conjunto” afirma.

Cristiane diz que já percebeu melhoras. “Eu e minha filha estamos mais tranquilas e a qualidade do sono também melhorou” diz. Mas ela afirma que os benefícios não são imediatos. “É preciso tempo para se perceber o efeito. No início a sensação que tive parece que foi ao contrário, é como se ficasse mais agitada nos primeiros dias até colocar todo o nervosismo para fora” conta a comerciante.

  Os florais e a medicina 

Um dos nomes mais conhecidos quando se fala em floral é o Dr. Edward Bach, que deu origem aos “Florais de Bach”. O médico estudou as flores buscando descobrir seus efeitos na cura de doenças. Ele pesquisou e identificou 38 flores silvestres e posteriormente escreveu sobre o assunto. Com o passar do tempo mais pessoas foram aderindo à prática e hoje, apesar de ainda se ter resistência por parte de profissionais da saúde, a terapia floral vem sendo utilizada por médicos, terapeutas e psicólogos.

Conforme Dr. José Otávio Flores Binato, médico de adolescentes com formação em terapia da família, a maioria dos médicos ainda não conhece os princípios da terapia de florais. “Eles não acreditam ou, em alguns casos, aceitam, mas não receitam. Também não fazem cursos para conhecer os aspectos teóricos que embasam a terapia de florais” afirma.

Binato diz que no curso de Medicina não se entra em contato com este tipo de realidade. Então para que ele aprendesse mais sobre o assunto, foi preciso buscar o “conhecimento a partir da realidade energética que nos envolve e aí sim encontrar, como em outras terapias ditas alternativas, um potencial para tratar o ser humano do ponto de vista biopsicossocial e espiritual” explica o médico. Ainda segundo ele, o resultado será sempre a soma do conhecimento adquirido pelo terapeuta e a vontade do paciente em melhorar.

Ao ser questionado sobre quando a terapia floral deve ser utilizada, Binato afirma que primeiramente deve se levar em conta o posicionamento do paciente. “A vontade dele é soberana, não esquecendo que todos os profissionais podem esclarecê-lo para que ele tome uma decisão sensata e embasada cientificamente” destaca.

Em suas consultas, Dr. Binato não receita florais por não ter nenhum curso nesta área. “Mas indico para que a família possa entrar em contato com algum profissional apto para receitar” afirma. Ele esclarece ainda que os florais não precisam de orientação médica, já que em suas palavras “o conhecimento desta terapia requer cursos e atualizações específicas e que não necessita ser de um profissional da área médica”.

Andressa Scherer é acadêmica do sexto semestre do curso de Jornalismo da Unifra.

 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cada vez mais a medicina alternativa tem conquistado adeptos. No Brasil, muitas são as técnicas utilizadas que buscam auxiliar a medicina tradicional. Segundo os defensores, a diferença é que as terapias alternativas em grande parte, não possuem efeitos colaterais. Nestas práticas, existem ainda aquelas que buscam tratar o emocional, visando os reflexos de cura nas enfermidades do corpo, como a terapia floral.

florais 04.jpgO uso de flores e plantas em tratamentos é antigo, mesmo antes de Cristo elas já eram utilizadas Nas antigas civilizações os aborígenes australianos comiam a flores inteiras, e tanto egípicios, como africanos e malaios faziam uso delas para tratar doenças emocionais. Registros indicam que no século XVI o curador Parcelsus já empregava as essências florais para tratar desequilíbrios emocionais.

O tratamento com floral

Os florais são essências energéticas retiradas das plantas por manipulação. A terapia floral busca trabalhar o emocional e tem como objetivo o autoconhecimento do ser humano, de suas emoções, para que  ele possa tomar decisões de forma tranqüila. Conforme a terapeuta Valquiria Mara Zuse, o tratamento acontece de formas diferentes. “Cada paciente responde ao tratamento a seu tempo, sendo que o período de cada paciente será sempre respeitado. Para alguns, inclusive, é necessário acrescentar, retirar ou mudar as formulações” explica. Valquiria trabalha com florais junto a sua irmã, a terapeuta Marisa Ilora Zuse, na cidade de São Pedro do sul, distante a 38 Km de Santa Maria, região central do estado.

Elas conheceram os florais no ano de 2004, quando Marisa encontrou na terapia a solução para as dores da filha, que sofria de cólica. “A resposta foi imediata. Então procuramos um curso sobre florais em 2005 e acrescentamos em nossas terapias. Tem sido um poderoso aliado” conta Marisa.

Elas explicam que todas as doenças físicas têm origem no emocional e que a terapia com florais harmoniza as emoções, com isso o corpo físico acaba recebendo os benefícios. Ainda conforme as terapeutas, não há contra indicação e todas as doenças físicas e emocionais podem ser tratadas com florais. Quanto a idade, o tratamento não tem restrições e até as crianças podem participar. “Pode ser feito desde o momento do nascimento” complementa Marisa.

A procura pela terapia na cidade de São Pedro, interior do RS, tem se intensificado. “A cada dia, mais pessoas nos procuram, sempre com indicação de alguém que fez ou faz uso de florais e percebeu bons resultados” conta Valquiria. Em grande parte, as pessoas que procuram o tratamento buscam auxílio em problemas de ansiedade, depressão, estresse, pânico e por estudantes que querem um melhor aproveitamento nos estudos. Os pacientes são acompanhados durante o tratamento. “Os resultados são avaliados normalmente uma vez por semana” diz Marisa.

 Os florais comercializados pelas terapeutas são os de Bach e Saint Germain. Um frasco de 30 ml custa R$ 10,00 e as consultas não são cobradas.

    A busca por tranquilidade 

A pedagoga Ângela Regina Danieli, 34 anos, aderiu aos florais há cerca de um mês, buscando tranquilidade e relaxamento. Apesar do pouco tempo, ela diz que já percebeu os resultados. “Me sinto mais tranquila desde que passei a tomar os florais. Agora tenho eles sempre em casa” afirma. florais 01.jpg

A comerciante Cristiane Hilgeman, 39 anos e sua filha de 07 anos, fazem uso de florais há cerca de três meses. Primeiramente elas fizeram uma consulta para verificar qual o composto mais indicado. Cristiane diz que resolveu incluir a filha no tratamento por acreditar que toda a sensação de nervosismo e estresse que ela tiver pode acabar transmitindo para a criança. “Meus filhos sentem se estou nervosa e por isso foi muito bom fazer a terapia em conjunto” afirma.

Cristiane diz que já percebeu melhoras. “Eu e minha filha estamos mais tranquilas e a qualidade do sono também melhorou” diz. Mas ela afirma que os benefícios não são imediatos. “É preciso tempo para se perceber o efeito. No início a sensação que tive parece que foi ao contrário, é como se ficasse mais agitada nos primeiros dias até colocar todo o nervosismo para fora” conta a comerciante.

  Os florais e a medicina 

Um dos nomes mais conhecidos quando se fala em floral é o Dr. Edward Bach, que deu origem aos “Florais de Bach”. O médico estudou as flores buscando descobrir seus efeitos na cura de doenças. Ele pesquisou e identificou 38 flores silvestres e posteriormente escreveu sobre o assunto. Com o passar do tempo mais pessoas foram aderindo à prática e hoje, apesar de ainda se ter resistência por parte de profissionais da saúde, a terapia floral vem sendo utilizada por médicos, terapeutas e psicólogos.

Conforme Dr. José Otávio Flores Binato, médico de adolescentes com formação em terapia da família, a maioria dos médicos ainda não conhece os princípios da terapia de florais. “Eles não acreditam ou, em alguns casos, aceitam, mas não receitam. Também não fazem cursos para conhecer os aspectos teóricos que embasam a terapia de florais” afirma.

Binato diz que no curso de Medicina não se entra em contato com este tipo de realidade. Então para que ele aprendesse mais sobre o assunto, foi preciso buscar o “conhecimento a partir da realidade energética que nos envolve e aí sim encontrar, como em outras terapias ditas alternativas, um potencial para tratar o ser humano do ponto de vista biopsicossocial e espiritual” explica o médico. Ainda segundo ele, o resultado será sempre a soma do conhecimento adquirido pelo terapeuta e a vontade do paciente em melhorar.

Ao ser questionado sobre quando a terapia floral deve ser utilizada, Binato afirma que primeiramente deve se levar em conta o posicionamento do paciente. “A vontade dele é soberana, não esquecendo que todos os profissionais podem esclarecê-lo para que ele tome uma decisão sensata e embasada cientificamente” destaca.

Em suas consultas, Dr. Binato não receita florais por não ter nenhum curso nesta área. “Mas indico para que a família possa entrar em contato com algum profissional apto para receitar” afirma. Ele esclarece ainda que os florais não precisam de orientação médica, já que em suas palavras “o conhecimento desta terapia requer cursos e atualizações específicas e que não necessita ser de um profissional da área médica”.

Andressa Scherer é acadêmica do sexto semestre do curso de Jornalismo da Unifra.