Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Chat com Pimenta debateu exigência do diploma de Jornalismo

Na
tarde desta segunda-feira, o deputado federal Paulo Pimenta, autor da PEC
dos Jornalistas, participou de um chat no portal da Câmara dos Deputados sobre
a obrigatoriedade do diploma de jornalismo. Por mais de uma hora, Pimenta
conversou e respondeu a perguntas enviadas pelos internautas.

No
chat, o parlamentar sustentou que o STF “cometeu
um grande equívoco” ao confundir informação com opinião. Pimenta lembrou que o
jornalismo opinativo faz parte da primeira fase do jornalismo.  “Já no século XVIII, o jornalista inglês Samuel
Buckley separou as notícias dos artigos,
deixando clara a necessidade de se diferenciar informação de opinião. Portanto,
jornalismo não é opinião, logo não é exercício de liberdade de expressão”,
esclareceu o deputado.

Ao ser questionado sobre como ficariam os profissionais que atuam
sem diploma, Pimenta explicou que a PEC dos Jornalistas não tem objetivo
retirar do
mercado quem já atua e tem reconhecido trabalho na área do jornalismo. “Tivemos
o cuidado de colocar textualmente essa preocupação na PEC, em que sustentamos que
a alteração constitucional proposta não revoga o direito ao integral exercício
e reconhecimento profissional, inclusive sindical, de todos os jornalistas
possuidores de registro precário”, ressaltou Pimenta.

Outra dúvida que foi tema de várias
indagações foi quando a PEC será votada. Segundo Pimenta, há uma grande
expectativa para que o plenário aprecie a proposta ainda até o final do primeiro
semestre de 2011. ”A Pec dos Jornalistas já foi aprovada na Comissão de
Constituição e Justiça, que avaliou a constitucionalidade da proposta, foi
aprovada também na Comissão Especial. Estamos trabalhando para votar ainda nesse
semestre. Criamos uma frente parlamentar e a Fenaj e os sindicatos são partes
importantes dessa mobilização”.

Com relação aos blogs e sites na
internet, Pimenta assegurou que web deve
ser um ambiente livre. Ao final do chat, o parlamentar criticou o
posicionamento dos grandes grupos de comunicação, que priorizam, a qualquer
preço, o lucro à informação de qualidade. “A informação não pode
ser tratada como uma mercadoria qualquer. A precarização das relações de
trabalho visa à redução de custos e, dessa forma, a sociedade é quem é
penalizada”.

Pimenta valorizou a
iniciativa do grupo e-Democracia da Câmara dos Deputados pela realização do
chat e sugeriu que práticas como essa fossem mais constantes no Congresso
Nacional. “O Parlamento precisa ouvir a sociedade. A população deve ter facilitada
sua participação, e nós temos obrigação em trabalhar para abrir a Câmara e o Senado aos brasileiros”, defendeu Pimenta.
 
Foto: Beto Oliveira/Agência Câmara

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Na
tarde desta segunda-feira, o deputado federal Paulo Pimenta, autor da PEC
dos Jornalistas, participou de um chat no portal da Câmara dos Deputados sobre
a obrigatoriedade do diploma de jornalismo. Por mais de uma hora, Pimenta
conversou e respondeu a perguntas enviadas pelos internautas.

No
chat, o parlamentar sustentou que o STF “cometeu
um grande equívoco” ao confundir informação com opinião. Pimenta lembrou que o
jornalismo opinativo faz parte da primeira fase do jornalismo.  “Já no século XVIII, o jornalista inglês Samuel
Buckley separou as notícias dos artigos,
deixando clara a necessidade de se diferenciar informação de opinião. Portanto,
jornalismo não é opinião, logo não é exercício de liberdade de expressão”,
esclareceu o deputado.

Ao ser questionado sobre como ficariam os profissionais que atuam
sem diploma, Pimenta explicou que a PEC dos Jornalistas não tem objetivo
retirar do
mercado quem já atua e tem reconhecido trabalho na área do jornalismo. “Tivemos
o cuidado de colocar textualmente essa preocupação na PEC, em que sustentamos que
a alteração constitucional proposta não revoga o direito ao integral exercício
e reconhecimento profissional, inclusive sindical, de todos os jornalistas
possuidores de registro precário”, ressaltou Pimenta.

Outra dúvida que foi tema de várias
indagações foi quando a PEC será votada. Segundo Pimenta, há uma grande
expectativa para que o plenário aprecie a proposta ainda até o final do primeiro
semestre de 2011. ”A Pec dos Jornalistas já foi aprovada na Comissão de
Constituição e Justiça, que avaliou a constitucionalidade da proposta, foi
aprovada também na Comissão Especial. Estamos trabalhando para votar ainda nesse
semestre. Criamos uma frente parlamentar e a Fenaj e os sindicatos são partes
importantes dessa mobilização”.

Com relação aos blogs e sites na
internet, Pimenta assegurou que web deve
ser um ambiente livre. Ao final do chat, o parlamentar criticou o
posicionamento dos grandes grupos de comunicação, que priorizam, a qualquer
preço, o lucro à informação de qualidade. “A informação não pode
ser tratada como uma mercadoria qualquer. A precarização das relações de
trabalho visa à redução de custos e, dessa forma, a sociedade é quem é
penalizada”.

Pimenta valorizou a
iniciativa do grupo e-Democracia da Câmara dos Deputados pela realização do
chat e sugeriu que práticas como essa fossem mais constantes no Congresso
Nacional. “O Parlamento precisa ouvir a sociedade. A população deve ter facilitada
sua participação, e nós temos obrigação em trabalhar para abrir a Câmara e o Senado aos brasileiros”, defendeu Pimenta.
 
Foto: Beto Oliveira/Agência Câmara