Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Começam as atividades da Bienal do Mercosul em Santa Maria

O Espaço Recombinante, projeto da Sala Dobradiça que integra a 8ª Bienal
do Mercosul
, será inaugurado na Gare da Estação Férrea nesta
quinta-feira, dia 15 de setembro, às 19h. O evento marca o início das atividades
do espaço expositivo móvel que vai circular por Santa Maria até o final
de outubro.

Em setembro, a cidade recebe o grupo Planta Alta, do Paraguai, que apresenta o trabalho Lo que Llegó e fica até o final deste mês na cidade. Em outubro é a vez dos projetos Batiscafo e Circo, ambos de Cuba, trabalharem junto ao Espaço Recombinante.

Dois dos integrantes do Planta Alta, Wolfgang Krauch e Ana Laura Mandelik, estão em Santa Maria desde o início da semana, depois de passarem pela abertura da 8ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. Entre as atividades previstas na programação para este mês, a dupla de paraguaios pretende estabelecer contato e trocar experiências com outros artistas da cidade, realizando uma vivência artística plena.

O que: Abertura do Espaço Recombinante, com a exposição Lo que se vá/Lo que llegó
Quando: quinta-feira, 15, 19h
Onde: Espaço Recombinante (Gare da Estação)

 

 

 

 

Santa Maria e a Sala Dobradiça

Dentro da sua programação, a Bienal desenvolveu sete ações (ou projetos). Santa Maria participa de dois deles: o projeto Continentes, que divide com Caxias do Sul e Porto Alegre, e o projeto Cadernos de Viagem.

A Sala Dobradiça participa do projeto Continentes, que busca promover a criação de redes de intercâmbio, trocas de conhecimento e colaboração entre organizações culturais independentes. Por Santa Maria vão passar trabalhos de artistas do Paraguai, caso do Planta Alta, e dois projetos cubanos, o Batiscafo e o Proyecto Circo, entre setembro
e outubro.

De acordo com o curador-geral da Bienal, José Roca, a “Sala Dobradiça é um exemplo de que para ter uma programação
de qualidade não é necessário um bom espaço, simplesmente um bom critério. O problema não é de metros quadrados nem de cubos brancos. De fato, a sala em si é um quarto minúsculo, com uma porta e uma janela, mas esta circunstância é aproveitada pelo coletivo para realizar exposições e intervenções onde – por força – a atenção é concentrada em um espaço e um conteúdo muito preciosos”.

É com este conceito multidisciplinar e flexível que os coletivos artísticos convidados vão conviver. A diferença, no entanto, é que eles terão um espaço novo e inédito para expor seus trabalhos e, a partir dali, criarem novas obras. O grupo Sala Dobradiça propõe um espaço expositivo móvel, chamado Espaço Recombinante. “Inicialmente pensamos em trabalhar – e nomear – o espaço de nômade, porém o conceito de nômade implica em, quando ele abandona um lugar, não deixar nada para trás, e não era isso que queríamos. Queremos um espaço de diálogo com o local onde ele for montado e que deixe marcas lá”, explica Elias Maroso, um dos integrantes do grupo. Foi assim que Santa Maria se tornou um dos locais da 8ª Bienal do Mercosul. 

 

Fontes: Assessoria de Comunicação Macondo Coletivo
www.macondocoletivo.com
@macondocoletivo

Grupo Sala Dobradiça

www.saladobradica.blogspot.com
http://twitter.com/saladobradica

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Espaço Recombinante, projeto da Sala Dobradiça que integra a 8ª Bienal
do Mercosul
, será inaugurado na Gare da Estação Férrea nesta
quinta-feira, dia 15 de setembro, às 19h. O evento marca o início das atividades
do espaço expositivo móvel que vai circular por Santa Maria até o final
de outubro.

Em setembro, a cidade recebe o grupo Planta Alta, do Paraguai, que apresenta o trabalho Lo que Llegó e fica até o final deste mês na cidade. Em outubro é a vez dos projetos Batiscafo e Circo, ambos de Cuba, trabalharem junto ao Espaço Recombinante.

Dois dos integrantes do Planta Alta, Wolfgang Krauch e Ana Laura Mandelik, estão em Santa Maria desde o início da semana, depois de passarem pela abertura da 8ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. Entre as atividades previstas na programação para este mês, a dupla de paraguaios pretende estabelecer contato e trocar experiências com outros artistas da cidade, realizando uma vivência artística plena.

O que: Abertura do Espaço Recombinante, com a exposição Lo que se vá/Lo que llegó
Quando: quinta-feira, 15, 19h
Onde: Espaço Recombinante (Gare da Estação)

 

 

 

 

Santa Maria e a Sala Dobradiça

Dentro da sua programação, a Bienal desenvolveu sete ações (ou projetos). Santa Maria participa de dois deles: o projeto Continentes, que divide com Caxias do Sul e Porto Alegre, e o projeto Cadernos de Viagem.

A Sala Dobradiça participa do projeto Continentes, que busca promover a criação de redes de intercâmbio, trocas de conhecimento e colaboração entre organizações culturais independentes. Por Santa Maria vão passar trabalhos de artistas do Paraguai, caso do Planta Alta, e dois projetos cubanos, o Batiscafo e o Proyecto Circo, entre setembro
e outubro.

De acordo com o curador-geral da Bienal, José Roca, a “Sala Dobradiça é um exemplo de que para ter uma programação
de qualidade não é necessário um bom espaço, simplesmente um bom critério. O problema não é de metros quadrados nem de cubos brancos. De fato, a sala em si é um quarto minúsculo, com uma porta e uma janela, mas esta circunstância é aproveitada pelo coletivo para realizar exposições e intervenções onde – por força – a atenção é concentrada em um espaço e um conteúdo muito preciosos”.

É com este conceito multidisciplinar e flexível que os coletivos artísticos convidados vão conviver. A diferença, no entanto, é que eles terão um espaço novo e inédito para expor seus trabalhos e, a partir dali, criarem novas obras. O grupo Sala Dobradiça propõe um espaço expositivo móvel, chamado Espaço Recombinante. “Inicialmente pensamos em trabalhar – e nomear – o espaço de nômade, porém o conceito de nômade implica em, quando ele abandona um lugar, não deixar nada para trás, e não era isso que queríamos. Queremos um espaço de diálogo com o local onde ele for montado e que deixe marcas lá”, explica Elias Maroso, um dos integrantes do grupo. Foi assim que Santa Maria se tornou um dos locais da 8ª Bienal do Mercosul. 

 

Fontes: Assessoria de Comunicação Macondo Coletivo
www.macondocoletivo.com
@macondocoletivo

Grupo Sala Dobradiça

www.saladobradica.blogspot.com
http://twitter.com/saladobradica