Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Quadrinhos e regionalismo no bate-papo do Livro Livre

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

feira2011_pastoreio2_gabriel.jpg“Como transpor
barreiras? Como causar curiosidade e diálogo com uma história gaúcha?”, pergunta o jornalista e roteirista Rodrigo dMart. Em turnê pelo Brasil, Indio San e Rodrigo dMart estiveram na
Feira do Livro nesta quarta-feira, 4 de maio. O autores de “Um Outro Pastoreio”
contaram ao público sobre como surgiu uma graphic novel baseada em uma lenda
gaúcha.

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

O jornalista e roteirista Rodrigo dMart e o ilustrador Indio
San, criadores da obra “Um Outro Pastoreio”, estiveram pela segunda vez em
Santa Maria para mostrar um trabalho criativo que mistura fotografia, desenho,
teatro de bonecos e ilustração digital. O mediador do debate foi o jornalista,
aluno egresso da Unifra, Nicholas Fonseca.

Parceria entre o ilustrador e o jornalista e também músico
Rodrigo dMart, a graphic novel (novela gráfica) “Um Outro Pastoreio” foi
lançada de forma independente, em agosto de 2010, através de uma ação coletiva
de micro financiamento (dos amigos e familiares). Os “guris” – um de Pelotas e
outro de Santa Maria – se conheceram por acaso depois de pegar um carona juntos
após um show de rock. Na sequência da conversa, surgiu a ideia de criar um
livro inspirado na lenda de “O Negrinho do Pastoreio” – conhecida na versão do
escritor Simões Lopes Neto.

fgeira2011_pastoreio2_gabriel.jpgA novela gráfica dos gaúchos é uma fábula sobre a procura da
esperança e da fé. Ela trata de preconceitos, intolerâncias, de questões
ambientais e do poder da imaginação. A trama agrega também elementos da
religiosidade afro-brasileira e da mitologia dos orixás.

A motivação dos autores surgiu através do regionalismo
versus globalização, da curiosidade de se fazer um diálogo dentro de uma
mistura de linguagem.

 O trabalho iniciou
com poesias, mas logo virou 98 páginas de texto e muitas imagens de bonecos
montados por dMart. Em cinco anos, se transformou em um livro que mescla a
fotografia digital com o desenho. Uma mistura que agrega a literatura ao
folclore deu certo. Além da tiragem de 1.000 exemplares, já se promete uma
segunda edição.

Segundo os autores, durante a busca por editoras que
tivessem interesse em publicar o livro, algumas empresas não acreditavam no
efeito do produto. Desprestigiavam a criação ao negar espaço no mercado para um
livro de quadrinhos. Hoje, o livro está publicado, todo colorido, numa edição
de qualidade, impressa em papel pólen, capa dura e 208 páginas.

O projeto também ganhou destaque da mídia nacional com
resenhas e reportagens publicadas nas revistas Rolling Stone, Galileu e Revista
da Cultura, no portal Overmundo, e entre outros veículos de comunicação do Rio
Grande do Sul.

O Livro Livre traz todas as noites, à Praça Saldanha
Marinho, bate-papos com escritores, músicos e artistas.

 

Fotos: Gabriel Saccol (Laboratório de Fotografia e Memória)

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

feira2011_pastoreio2_gabriel.jpg“Como transpor
barreiras? Como causar curiosidade e diálogo com uma história gaúcha?”, pergunta o jornalista e roteirista Rodrigo dMart. Em turnê pelo Brasil, Indio San e Rodrigo dMart estiveram na
Feira do Livro nesta quarta-feira, 4 de maio. O autores de “Um Outro Pastoreio”
contaram ao público sobre como surgiu uma graphic novel baseada em uma lenda
gaúcha.

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-qformat:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

O jornalista e roteirista Rodrigo dMart e o ilustrador Indio
San, criadores da obra “Um Outro Pastoreio”, estiveram pela segunda vez em
Santa Maria para mostrar um trabalho criativo que mistura fotografia, desenho,
teatro de bonecos e ilustração digital. O mediador do debate foi o jornalista,
aluno egresso da Unifra, Nicholas Fonseca.

Parceria entre o ilustrador e o jornalista e também músico
Rodrigo dMart, a graphic novel (novela gráfica) “Um Outro Pastoreio” foi
lançada de forma independente, em agosto de 2010, através de uma ação coletiva
de micro financiamento (dos amigos e familiares). Os “guris” – um de Pelotas e
outro de Santa Maria – se conheceram por acaso depois de pegar um carona juntos
após um show de rock. Na sequência da conversa, surgiu a ideia de criar um
livro inspirado na lenda de “O Negrinho do Pastoreio” – conhecida na versão do
escritor Simões Lopes Neto.

fgeira2011_pastoreio2_gabriel.jpgA novela gráfica dos gaúchos é uma fábula sobre a procura da
esperança e da fé. Ela trata de preconceitos, intolerâncias, de questões
ambientais e do poder da imaginação. A trama agrega também elementos da
religiosidade afro-brasileira e da mitologia dos orixás.

A motivação dos autores surgiu através do regionalismo
versus globalização, da curiosidade de se fazer um diálogo dentro de uma
mistura de linguagem.

 O trabalho iniciou
com poesias, mas logo virou 98 páginas de texto e muitas imagens de bonecos
montados por dMart. Em cinco anos, se transformou em um livro que mescla a
fotografia digital com o desenho. Uma mistura que agrega a literatura ao
folclore deu certo. Além da tiragem de 1.000 exemplares, já se promete uma
segunda edição.

Segundo os autores, durante a busca por editoras que
tivessem interesse em publicar o livro, algumas empresas não acreditavam no
efeito do produto. Desprestigiavam a criação ao negar espaço no mercado para um
livro de quadrinhos. Hoje, o livro está publicado, todo colorido, numa edição
de qualidade, impressa em papel pólen, capa dura e 208 páginas.

O projeto também ganhou destaque da mídia nacional com
resenhas e reportagens publicadas nas revistas Rolling Stone, Galileu e Revista
da Cultura, no portal Overmundo, e entre outros veículos de comunicação do Rio
Grande do Sul.

O Livro Livre traz todas as noites, à Praça Saldanha
Marinho, bate-papos com escritores, músicos e artistas.

 

Fotos: Gabriel Saccol (Laboratório de Fotografia e Memória)