Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Uso da voz. Conscientização dos riscos.

dia_da_voz_tais.jpgÉ comum buscar o cuidado do corpo, do cabelo, da pele, das unhas, mas quem cuida da voz? Dia 16 de abril, Dia Mundial da Voz, não é somente um dia comemorativo, mas de conscientização dos cuidados e importância da voz.
 
 

Com propósito de prevenção, o Laboratório de Voz do Departamento de Fonoaudiologia da UFSM está divulgando cartazes e folders impressos e por email, sobre a produção e os cuidados com a voz. No inicio da próxima semana serão dadas dicas sobre a voz nas rádios locais. E seguindo a recomendação do Conselho Regional de Fonoaudilogia (CREFONO),  ao definir que as campanhas desse ano seriam direcionadas à voz dos professores, serão também realizadas palestras em escolas da cidade.

 

 

voz respostas.jpg

De acordo com a cartilha “Respostas para perguntas frequentes na área da voz”, da Sociedade Brasileira de Fonaudiologia (SBFA) que está sendo divulgada pelo laboratório, a  voz humana é resultado de características herdadas e do ambiente em que se vive. Cada voz é única e todos podem ser identificados pela forma como a usam, embora ela varie bastante de acordo com as emoções e com as pessoas com que se fala.  Na cartilha podem ser encontradas respostas para perguntas como: "como saber se eu tenho um problema de voz? Como posso cuidar da minha voz? É natural que um professor seja rouco? Rouquidão pode ser sinal de câncer? A voz que ouço gravada parece diferente da minha voz. Isso é normal? Sussurrar faz mal para a voz?  

Segundo a professora responsável pelo Laboratório de Voz, Carla Aparecida Cielo, há várias doenças que podem comprometer a voz como laringites e câncer de laringe. Também há hábitos vocais inadequados que as pessoas deveriam evitar para conservar a voz.  Alguns deles como falar e cantar gritando, falar em ambientes ruidosos, pigarrear, fumar, beber, comer demais antes de usar a voz profissionalmente, falar sem abrir suficientemente a boca, beber pouca água, e dormir pouco, se eliminados irão evitar sensações na garganta como ardência, cansaço e aspereza.

A cartilha da SBFA indica outros problemas de saúde do corpo e também os relacionados ao cérebro que afetam a voz. Por exemplo, a doença de Parkinson que provoca voz mais fraca e trêmula, ou a depressão, onde a pessoa fica com a voz mais fraca e grossa. “A voz é como o restante do nosso corpo, sofre mudanças, envelhece e até adoece. Por isso deve ser bem cuidada”, diz a professora Carla Cielo. 

Oficinas de voz e dicção para interessados

Além das atividades realizadas no dia Mundial da Voz o curso de Fonoaudilogia, através do Serviço de Atendimento Fonoaudiólogo (SAF) oferece atendimento individual pelo SUS por estagiários supervisionados e orientados. Os interessados devem agendar uma triagem pelo telefone 3220 9239. E para atendimentos em grupo há o Projeto Avaliação e Terapia de Voz realizado por graduandos e pós-graduandos.  

 

Foto: Tais Iensen (Laboratório de Fotografia e Memória)


 

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dia_da_voz_tais.jpgÉ comum buscar o cuidado do corpo, do cabelo, da pele, das unhas, mas quem cuida da voz? Dia 16 de abril, Dia Mundial da Voz, não é somente um dia comemorativo, mas de conscientização dos cuidados e importância da voz.
 
 

Com propósito de prevenção, o Laboratório de Voz do Departamento de Fonoaudiologia da UFSM está divulgando cartazes e folders impressos e por email, sobre a produção e os cuidados com a voz. No inicio da próxima semana serão dadas dicas sobre a voz nas rádios locais. E seguindo a recomendação do Conselho Regional de Fonoaudilogia (CREFONO),  ao definir que as campanhas desse ano seriam direcionadas à voz dos professores, serão também realizadas palestras em escolas da cidade.

 

 

voz respostas.jpg

De acordo com a cartilha “Respostas para perguntas frequentes na área da voz”, da Sociedade Brasileira de Fonaudiologia (SBFA) que está sendo divulgada pelo laboratório, a  voz humana é resultado de características herdadas e do ambiente em que se vive. Cada voz é única e todos podem ser identificados pela forma como a usam, embora ela varie bastante de acordo com as emoções e com as pessoas com que se fala.  Na cartilha podem ser encontradas respostas para perguntas como: "como saber se eu tenho um problema de voz? Como posso cuidar da minha voz? É natural que um professor seja rouco? Rouquidão pode ser sinal de câncer? A voz que ouço gravada parece diferente da minha voz. Isso é normal? Sussurrar faz mal para a voz?  

Segundo a professora responsável pelo Laboratório de Voz, Carla Aparecida Cielo, há várias doenças que podem comprometer a voz como laringites e câncer de laringe. Também há hábitos vocais inadequados que as pessoas deveriam evitar para conservar a voz.  Alguns deles como falar e cantar gritando, falar em ambientes ruidosos, pigarrear, fumar, beber, comer demais antes de usar a voz profissionalmente, falar sem abrir suficientemente a boca, beber pouca água, e dormir pouco, se eliminados irão evitar sensações na garganta como ardência, cansaço e aspereza.

A cartilha da SBFA indica outros problemas de saúde do corpo e também os relacionados ao cérebro que afetam a voz. Por exemplo, a doença de Parkinson que provoca voz mais fraca e trêmula, ou a depressão, onde a pessoa fica com a voz mais fraca e grossa. “A voz é como o restante do nosso corpo, sofre mudanças, envelhece e até adoece. Por isso deve ser bem cuidada”, diz a professora Carla Cielo. 

Oficinas de voz e dicção para interessados

Além das atividades realizadas no dia Mundial da Voz o curso de Fonoaudilogia, através do Serviço de Atendimento Fonoaudiólogo (SAF) oferece atendimento individual pelo SUS por estagiários supervisionados e orientados. Os interessados devem agendar uma triagem pelo telefone 3220 9239. E para atendimentos em grupo há o Projeto Avaliação e Terapia de Voz realizado por graduandos e pós-graduandos.  

 

Foto: Tais Iensen (Laboratório de Fotografia e Memória)