Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Cinema: o conformismo e a dublagem

É impressionante e assustadora a quantidade de filmes dublados distribuídos nos cinemas do país.

Após a estreia do filme “O Planeta dos Macacos – A origem”, que contava com mais cópias dubladas do que legendadas, a situação ficou ainda mais complicada.  O que as distribuidoras e o próprio público não percebem é existir um descaso em relação ao cinema em si.

A dublagem desconsidera todo um trabalho de composição do ator que, muitas vezes, treina a própria voz para encarnar com mais naturalidade algum personagem.  Atualmente é comum esse nível de comprometimento com o trabalho de ator e parece que muitas pessoas não respeitam tal esforço. Ao assistirem um filme dublado, uma boa parte deste processo se perde e, muitas vezes, a dublagem acaba por prejudicar os efeitos sonoros da produção como um todo.

Existem casos menos graves como o de algumas animações que são vistas por muitas crianças que não conseguem acompanhar as legendas. Nestes casos é até compreensível, porém, não devem ser definitivas. As crianças devem ser ensinadas sobre a importância da leitura, tanto na literatura quanto no cinema. Qualquer pessoa que tenha o hábito de ler, não terá trabalho ao acompanhar as legendas de um filme.

Quem tem condições de ir até um cinema, pode muito bem ter condições de ler uma legenda. Fato é que muitas pessoas estão cada vez mais conformadas com a dublagem. Muitas não entendem que, ao olharem um filme dublado, elas não só prejudicam a sua própria experiência audiovisual como também menosprezam o trabalho de profissionais que se esforçaram para criar uma atmosfera dentro do filme.

Deveria ser inaceitável o aumento de filmes dublados nas salas de cinema do país. Todo público assíduo dos cinemas deveria reclamar com o cinema da sua cidade sobre esse problema. Tudo bem se um filme vem com cópias dubladas, mas as pessoas deveriam ter no mínimo a escolha de acompanhar o filme dublado ou legendado.

Matheus Prado é acadêmico do 6º semestre  no curso de Jornalismo da Unifra.

LEIA TAMBÉM

2 respostas

  1. Que bom que esta é apenas uma OPINIÃO pessoal. Não concordo com ela e a considero leviana. TER OPÇÕES deve ser o lema. Isso é ter RESPEITO pelo GOSTO DE CADA UM, acima de tudo. Fique tranquilo. No Brasil, dificilmente acontecerá como é na Europa em que TODAS AS SALAS DE CINEMA APRESENTAM FILMES DUBLADOS NO IDIOMA PÁTRIO. Mas, Graças à Deus o Brasil está evoluindo como nação e oferecendo a OPÇÃO à população. Pessoas que compartilham da mesma opinião que você continuarão a ter a opção do original. Outras que preferem assistir o filme dublado 9por diversas razões) também terá esta opção. Viva o Brasil, que, ENFIM, entendeu que o importante é colocar ambas as alternativas!!!!!!

    1. Não creio que seja uma opinião leviana. Na realidade, é muito pontual e procedente. As dublagens não têm a qualidade que deveriam e isso prejudica sim o resultado final de um trabalho de produção fílmica. E na Europa também se legenda filmes. Basta observar o documentário Pina, do Wim Wenders, que reúne depoimentos em vários idiomas, inclusive o nosso. Impossível dublar sem perder a riqueza da diversidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

É impressionante e assustadora a quantidade de filmes dublados distribuídos nos cinemas do país.

Após a estreia do filme “O Planeta dos Macacos – A origem”, que contava com mais cópias dubladas do que legendadas, a situação ficou ainda mais complicada.  O que as distribuidoras e o próprio público não percebem é existir um descaso em relação ao cinema em si.

A dublagem desconsidera todo um trabalho de composição do ator que, muitas vezes, treina a própria voz para encarnar com mais naturalidade algum personagem.  Atualmente é comum esse nível de comprometimento com o trabalho de ator e parece que muitas pessoas não respeitam tal esforço. Ao assistirem um filme dublado, uma boa parte deste processo se perde e, muitas vezes, a dublagem acaba por prejudicar os efeitos sonoros da produção como um todo.

Existem casos menos graves como o de algumas animações que são vistas por muitas crianças que não conseguem acompanhar as legendas. Nestes casos é até compreensível, porém, não devem ser definitivas. As crianças devem ser ensinadas sobre a importância da leitura, tanto na literatura quanto no cinema. Qualquer pessoa que tenha o hábito de ler, não terá trabalho ao acompanhar as legendas de um filme.

Quem tem condições de ir até um cinema, pode muito bem ter condições de ler uma legenda. Fato é que muitas pessoas estão cada vez mais conformadas com a dublagem. Muitas não entendem que, ao olharem um filme dublado, elas não só prejudicam a sua própria experiência audiovisual como também menosprezam o trabalho de profissionais que se esforçaram para criar uma atmosfera dentro do filme.

Deveria ser inaceitável o aumento de filmes dublados nas salas de cinema do país. Todo público assíduo dos cinemas deveria reclamar com o cinema da sua cidade sobre esse problema. Tudo bem se um filme vem com cópias dubladas, mas as pessoas deveriam ter no mínimo a escolha de acompanhar o filme dublado ou legendado.

Matheus Prado é acadêmico do 6º semestre  no curso de Jornalismo da Unifra.