Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Espaço para ciclistas em Santa Maria

Ciclofaixas de Santa Maria serão semelhantes às ciclofaixas de Curitiba (PR). Fotos:Site Prefeitura Municipal de Curitiba

Ciclofaixas serão implantadas em Santa Maria. O projeto “Pedale Legal”, foi elaborado pelo Escritório da Cidade, uma autarquia do munícipio. O programa visa criar ciclovias para lazer que deverão funcionar em domingos e feriados das 8h às 14h.

O responsável pelo projeto, o arquiteto e vice-presidente do Escritório da Cidade, Fábio Vasconcelos, explica, “É um programa que atinge a utilização e a cultura do uso da bicicleta. A ciclofaixa não é ainda uma ciclorrota e nem uma ciclovia. Na verdade ela nos ajuda em trechos que são escolhidos exclusivamente para que se crie o uso das bicicletas. Estão projetados cinco trechos: na Av. Nossa Senhora da Medianeira, Av. Paulo Lauda, na Tancredo Neve, Av. Nossa Senhora das Dores e na Av. Dois de Novembro. Esperamos que em outubro já estejamos com a primeira fase das ciclofaixas de lazer pronta”.

A ciclista e advogada, Emanuele Hoenisch, 34 anos, diz que “Uma cidade sem qualquer infraestrutura cicloviária e pouco estímulo à adoção da bicicleta: esse é o retrato de Santa Maria. Está cada vez mais difícil praticar o ciclismo pelas ruas da cidade. São vários os motivos que levam a esta triste realidade: a disputa por espaço nas ruas com os carros, os quais têm aumentado em número assustador; a falta de respeito do motorista para com o ciclista, pois aquele considera que o lugar de bicicleta não é na mesma via que os carros (o que de certa forma não deixa de ter certa razão), mas na falta de infraestrutura, como ciclovias, o ciclista tem que disputar as ruas estreitas e abarrotadas de carro de Santa Maria para praticar seu esporte. Sem um lugar adequado para andar e contando com a falta de educação dos motoristas, utilizar a bicicleta, como transporte ou meio para praticar esporte, na cidade de Santa Maria, não é uma tarefa muito fácil. A questão das ciclo faixas pode ajudar sim os ciclistas, uma vez que os retira da disputa por espaço com os carros. Porém, é um projeto que precisa ser bem estudado e estruturado para que realmente surta os efeitos desejados.”

A falta de ciclovias prejudica os pedestres. A coordenadora pedagógica, Fernanda  Andrade, 28 anos, opina, “Eu me incomodo com os ciclistas que andam nas calcadas, pois a calcada é destinada para o pedestre. Porém, temos que levar em consideração que a maioria dos motoristas não respeitam os 1,50m de distância que tem que ter do ciclista nas ruas. Na minha opinião deveria haver uma maior conscientização e respeito da parte dos motoristas para com os ciclistas”.

As ciclofaixas também serão benéficas para os motoristas, segundo a professora, Camila Camillo, 31 anos. Segunda ela, “ é importante a criação de ciclofaixas, porque os ciclistas está muito exposto no trânsito. É um espaço necessário e importante para a prática do esporte e, principalmente,  para quem precisa de deslocar através da bicicleta. Eu vejo que a falta de lugar para os ciclistas andarem faz eles ultrapassarem o limite no trânsito”.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ciclofaixas de Santa Maria serão semelhantes às ciclofaixas de Curitiba (PR). Fotos:Site Prefeitura Municipal de Curitiba

Ciclofaixas serão implantadas em Santa Maria. O projeto “Pedale Legal”, foi elaborado pelo Escritório da Cidade, uma autarquia do munícipio. O programa visa criar ciclovias para lazer que deverão funcionar em domingos e feriados das 8h às 14h.

O responsável pelo projeto, o arquiteto e vice-presidente do Escritório da Cidade, Fábio Vasconcelos, explica, “É um programa que atinge a utilização e a cultura do uso da bicicleta. A ciclofaixa não é ainda uma ciclorrota e nem uma ciclovia. Na verdade ela nos ajuda em trechos que são escolhidos exclusivamente para que se crie o uso das bicicletas. Estão projetados cinco trechos: na Av. Nossa Senhora da Medianeira, Av. Paulo Lauda, na Tancredo Neve, Av. Nossa Senhora das Dores e na Av. Dois de Novembro. Esperamos que em outubro já estejamos com a primeira fase das ciclofaixas de lazer pronta”.

A ciclista e advogada, Emanuele Hoenisch, 34 anos, diz que “Uma cidade sem qualquer infraestrutura cicloviária e pouco estímulo à adoção da bicicleta: esse é o retrato de Santa Maria. Está cada vez mais difícil praticar o ciclismo pelas ruas da cidade. São vários os motivos que levam a esta triste realidade: a disputa por espaço nas ruas com os carros, os quais têm aumentado em número assustador; a falta de respeito do motorista para com o ciclista, pois aquele considera que o lugar de bicicleta não é na mesma via que os carros (o que de certa forma não deixa de ter certa razão), mas na falta de infraestrutura, como ciclovias, o ciclista tem que disputar as ruas estreitas e abarrotadas de carro de Santa Maria para praticar seu esporte. Sem um lugar adequado para andar e contando com a falta de educação dos motoristas, utilizar a bicicleta, como transporte ou meio para praticar esporte, na cidade de Santa Maria, não é uma tarefa muito fácil. A questão das ciclo faixas pode ajudar sim os ciclistas, uma vez que os retira da disputa por espaço com os carros. Porém, é um projeto que precisa ser bem estudado e estruturado para que realmente surta os efeitos desejados.”

A falta de ciclovias prejudica os pedestres. A coordenadora pedagógica, Fernanda  Andrade, 28 anos, opina, “Eu me incomodo com os ciclistas que andam nas calcadas, pois a calcada é destinada para o pedestre. Porém, temos que levar em consideração que a maioria dos motoristas não respeitam os 1,50m de distância que tem que ter do ciclista nas ruas. Na minha opinião deveria haver uma maior conscientização e respeito da parte dos motoristas para com os ciclistas”.

As ciclofaixas também serão benéficas para os motoristas, segundo a professora, Camila Camillo, 31 anos. Segunda ela, “ é importante a criação de ciclofaixas, porque os ciclistas está muito exposto no trânsito. É um espaço necessário e importante para a prática do esporte e, principalmente,  para quem precisa de deslocar através da bicicleta. Eu vejo que a falta de lugar para os ciclistas andarem faz eles ultrapassarem o limite no trânsito”.