Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Gabriela Machado e a entrevista que garantiu o seu primeiro emprego

Eles passaram pelo curso de Jornalismo da Unifra.  Hoje estão no mercado de trabalho. São jornalistas, assessores, professores, pesquisadores, consultores. Atuam com a comunicação em diferentes partes do país e do mundo, e agora retornam em depoimentos sobre os 10 anos do curso.
Todos muito bem-vindos!

 

Gabriela Machado formou-se em 2010 na Unifra.

Diploma na mão era hora de garimpar uma oportunidade demostrar o que eu havia aprendido nos quatro anos de faculdade a algum veículo de comunicação e seu público. Foi com este espírito que comecei a buscar a minha inserção nomercado de trabalho nos primeiros dias de 2010.

A preferência por impresso me motivou a enviar currículos para diversos jornais do estado. Sem demora, convocações para as entrevistas começaram a chegar – e um dos itens que constava entre as minhas experiências profissionais foi fundamental para que eu obtivesse visibilidade nas triagens: a passagem pela Agência Central Sul de Notícias como repórter aprendiz e monitora.

Conquistei meu primeiro emprego depois que o editor de um jornal da serra gaúcha leu algumas reportagens que produzi para agência. Da mesma forma, quando fui atrás de novas oportunidades na área, a informação continuou integrando meu currículo. Mais recentemente, a experiência que eu julgava ser modesta veio a se somar com outras e colaborar para meu êxito na seleção de Mestrado em Ciências Sociais na UFSM. Além disso, o exercício colaborou para a construção do perfil profissional que atualmente sustento na minha cidade (São Sepé) como repórter do jornal A Fonte.

Desta trajetória ficaram muitas lições. Entre elas, a de que vale a pena driblar a insegurança e exercitar conhecimentos quando ainda se é estudante. Sob a proteção da universidade e dos professores, há espaço para experimentação, erros, acertos e correções. Depois de tanto treino, aqui fora a estratégia é colocar todo o aprendizado em prática e torcer para que venham safras de bons frutos. E elas chegam, acredite.

Gabriela Machado, repórter do Jornal A Fonte de São Sepé e mestranda em Ciências Sociais na UFSM, egressa do curso de Jornalismo da Unifra.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Eles passaram pelo curso de Jornalismo da Unifra.  Hoje estão no mercado de trabalho. São jornalistas, assessores, professores, pesquisadores, consultores. Atuam com a comunicação em diferentes partes do país e do mundo, e agora retornam em depoimentos sobre os 10 anos do curso.
Todos muito bem-vindos!

 

Gabriela Machado formou-se em 2010 na Unifra.

Diploma na mão era hora de garimpar uma oportunidade demostrar o que eu havia aprendido nos quatro anos de faculdade a algum veículo de comunicação e seu público. Foi com este espírito que comecei a buscar a minha inserção nomercado de trabalho nos primeiros dias de 2010.

A preferência por impresso me motivou a enviar currículos para diversos jornais do estado. Sem demora, convocações para as entrevistas começaram a chegar – e um dos itens que constava entre as minhas experiências profissionais foi fundamental para que eu obtivesse visibilidade nas triagens: a passagem pela Agência Central Sul de Notícias como repórter aprendiz e monitora.

Conquistei meu primeiro emprego depois que o editor de um jornal da serra gaúcha leu algumas reportagens que produzi para agência. Da mesma forma, quando fui atrás de novas oportunidades na área, a informação continuou integrando meu currículo. Mais recentemente, a experiência que eu julgava ser modesta veio a se somar com outras e colaborar para meu êxito na seleção de Mestrado em Ciências Sociais na UFSM. Além disso, o exercício colaborou para a construção do perfil profissional que atualmente sustento na minha cidade (São Sepé) como repórter do jornal A Fonte.

Desta trajetória ficaram muitas lições. Entre elas, a de que vale a pena driblar a insegurança e exercitar conhecimentos quando ainda se é estudante. Sob a proteção da universidade e dos professores, há espaço para experimentação, erros, acertos e correções. Depois de tanto treino, aqui fora a estratégia é colocar todo o aprendizado em prática e torcer para que venham safras de bons frutos. E elas chegam, acredite.

Gabriela Machado, repórter do Jornal A Fonte de São Sepé e mestranda em Ciências Sociais na UFSM, egressa do curso de Jornalismo da Unifra.