Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Talentos que passaram pela Aldeia Sesc Imembuy

Noite de encerramento. Foto: Silvana Righi

O Aldeia Sesc Imembuy está na sua 2ª edição, com uma programação diversificada e com vários espaços para os artistas locais e regionais.A responsável pela área cultural do Sesc e das ilhas de som Vanessa Giovanella, 32 anos, fala que uma das características do Aldeia de Santa Maria é que 90% da sua programação é local e de altíssima qualidade.Dentro disso, começou-se a separar o que era música, teatro, artes visuais e nesse meio de campo brotou muita coisa que não havia dentro dos projetos. Ela conta que foram inseridas no cronograma oficinas de “contação”, onde se reúnem contadores de histórias infantis. Então, quando se faz a programação para quem vem de fora, prima-se pela qualidade de esquema e o conceito que cada projeto tem e o quanto eles se encontram com os objetivos do Sesc. Esses projetos começam a ser analisados com um ano de antecedência para que se alinhem de acordo com a necessidade da temática. A responsável assegura que através do planejamento consegue abrir e dar passagem por todos os palcos do evento: eles não são simultâneos, mas é mantida uma organização.

Para dar início as atrações musicais da Aldeia Sesc Imembuy, a banda Lonely Hearts Club Band subiu ao palco do Theatro Treze de Maio,  terça-feira, 16. O show durou 1h e 45 minutos e animou o público com músicas do Beatles e da Wings, banda do Paul McCartney. A platéia cantou junto sucessos com Hey Jude, Let it Be e Penny Lane.

Márcio Grings. Foto: Gilvan Ribeiro

Na quarta-feira, 17, quem comandou a noite foi a banda Jack Of Hearts, com um setlist misturando músicas autorais, Bob Dylan e Led Zeppelin. Márcio Grings, vocalista da banda, comentou sobre a iniciativa cultural do Sesc. “É uma iniciativa espetacular, é bacana poder tocar ao ar livre para um público diferente”, salienta Grings.

A ideia de homenagear os 30 anos da Música Popular Gaúcha (MPG) já estava sendo estudada. O Sesc sempre teve intenção de dispor de um show para cada um dos atuantes, mas como surgiu através de uma vontade deles a necessidade de escolher duas cidades no RS para fazer os shows de comemoração, Santa Maria foi a segunda escolhida e na hora foi exclamado: “por favor, venham e abraçamos juntos a programação da Aldeia Imembuy”, enfatiza Vanessa. Retornaram à Praça Saldanha Marinho, no dia 18, o Musical Popular Gaúcho (MPG) que começou sua trajetória no Rio de Janeiro em 1982, passou por Porto Alegre e Santa Maria. Neste ano o MPG está comemorando os 30 anos do movimento. O mentor dessa ideia que deu certo lá na década de 80, Ayrton dos Anjos “Patineti”, 65 anos, demonstra que a sua passagem por Santa Maria foi muito gratificante nesses 30 anos que se passaram. Quando se apresentaram no Cinema Independência, onde hoje é o Shopping Popular, saíram engrandecidos com o carinho do público presente na época. Patinete ressalta que essa oportunidade da Aldeia Sesc Imembuy é muito importante porque assim o produtor tem condições de mostrar a música de cada um. “Existe uma grande valorização nesses tipos de movimentos, é que a gente pode ficar onde a gente é, não precisa ir embora do Rio Grande do Sul, podemos fazer nosso trabalho bem-feito e ser reconhecido aqui no RS, e tomara que o Brasil nos abrace também”.

Ayrton dos Anjos “Patineti” saudando a plateia presente. Foto: Tiéle Abreu

No ano em que a MPG completa três décadas, o cantor e compositor Bebeto Alves, 68 anos, salienta que que é como se fosse o aniversário de alguém que está sendo comemorado. Trinta anos do “Patineti”, um momento especial de estar ao lado dele. Alves valoriza os laços de amizades que foram construídos ao longo desses anos: “Nada mais justo que trazer para Santa Maria a história da música brasileira do Rio Grande do Sul.” O cantor, quando subiu ao palco, dedicou duas importantes canções da sua carreira (Depois da Chuva e Pegadas) ao mentor desse projeto que levou adiante. “A essência e a energia de Ayrton dos Anjos une todos e é o que fez isso proceder há 30 anos”, vibra Alves.

Os integrantes presentes finalizaram o show no palco: Bebeto Alves, Nelson Coelho de Castro, Monica Tomasi, Ana Lonardi, Hermes Aquino, Chico Saratt, Zé Caradípia, Pery  Souza, Cidade Baixa: Caetano Silveira, Ana Kriger, Alex Alano, Andrea Cavalheiro e Fausto Prado.

Um dos grandes nomes da música popular brasileira, Nei Lisboa, que esteve afastado dos palcos de Santa Maria por alguns anos, retornou à cidade nesse domingo, 21, para o show de encerramento da 2ª edição do Aldeia Sesc Imembuy. A Praça Saldanha Marinho reuniu centenas de pessoas. O que não faltou do público bastante diversificado a cada final de canção foram aplausos entusiasmados.

A alegria e irreverência de Bebeto Alves no palco. Foto Tiéle Abreu

O cantor relembra que nos anos 80 e 90 vinha com frequência a Santa Maria, e torce para que essa iniciativa do Sesc perdure, já que a cidade é interessada na cultura. Lisboa confessou ter sentido falta do público caloroso de Santa Maria. Embora ter cantando músicas clássicas de sua carreira como Cena Beanik, Frase Feita, Pra te lembrar, Verão em Calcutá, Telhados de Paris entre outras, optou por um repertório menos conhecido. Lisboa força isso muitas vezes para que o show não se torne sedimentado e por ter algumas de suas canções já executadas por outros artistas. Ainda deu uma palhinha do seu novo trabalho, que pretende gravar no verão e lançar ainda em 2013. “Faz muito tempo que não lanço um disco”, completa Lisboa.

 

 

 

Texto produzido pelas acadêmicas de jornalismo Silvana Righi e Tiéle Abreu.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Noite de encerramento. Foto: Silvana Righi

O Aldeia Sesc Imembuy está na sua 2ª edição, com uma programação diversificada e com vários espaços para os artistas locais e regionais.A responsável pela área cultural do Sesc e das ilhas de som Vanessa Giovanella, 32 anos, fala que uma das características do Aldeia de Santa Maria é que 90% da sua programação é local e de altíssima qualidade.Dentro disso, começou-se a separar o que era música, teatro, artes visuais e nesse meio de campo brotou muita coisa que não havia dentro dos projetos. Ela conta que foram inseridas no cronograma oficinas de “contação”, onde se reúnem contadores de histórias infantis. Então, quando se faz a programação para quem vem de fora, prima-se pela qualidade de esquema e o conceito que cada projeto tem e o quanto eles se encontram com os objetivos do Sesc. Esses projetos começam a ser analisados com um ano de antecedência para que se alinhem de acordo com a necessidade da temática. A responsável assegura que através do planejamento consegue abrir e dar passagem por todos os palcos do evento: eles não são simultâneos, mas é mantida uma organização.

Para dar início as atrações musicais da Aldeia Sesc Imembuy, a banda Lonely Hearts Club Band subiu ao palco do Theatro Treze de Maio,  terça-feira, 16. O show durou 1h e 45 minutos e animou o público com músicas do Beatles e da Wings, banda do Paul McCartney. A platéia cantou junto sucessos com Hey Jude, Let it Be e Penny Lane.

Márcio Grings. Foto: Gilvan Ribeiro

Na quarta-feira, 17, quem comandou a noite foi a banda Jack Of Hearts, com um setlist misturando músicas autorais, Bob Dylan e Led Zeppelin. Márcio Grings, vocalista da banda, comentou sobre a iniciativa cultural do Sesc. “É uma iniciativa espetacular, é bacana poder tocar ao ar livre para um público diferente”, salienta Grings.

A ideia de homenagear os 30 anos da Música Popular Gaúcha (MPG) já estava sendo estudada. O Sesc sempre teve intenção de dispor de um show para cada um dos atuantes, mas como surgiu através de uma vontade deles a necessidade de escolher duas cidades no RS para fazer os shows de comemoração, Santa Maria foi a segunda escolhida e na hora foi exclamado: “por favor, venham e abraçamos juntos a programação da Aldeia Imembuy”, enfatiza Vanessa. Retornaram à Praça Saldanha Marinho, no dia 18, o Musical Popular Gaúcho (MPG) que começou sua trajetória no Rio de Janeiro em 1982, passou por Porto Alegre e Santa Maria. Neste ano o MPG está comemorando os 30 anos do movimento. O mentor dessa ideia que deu certo lá na década de 80, Ayrton dos Anjos “Patineti”, 65 anos, demonstra que a sua passagem por Santa Maria foi muito gratificante nesses 30 anos que se passaram. Quando se apresentaram no Cinema Independência, onde hoje é o Shopping Popular, saíram engrandecidos com o carinho do público presente na época. Patinete ressalta que essa oportunidade da Aldeia Sesc Imembuy é muito importante porque assim o produtor tem condições de mostrar a música de cada um. “Existe uma grande valorização nesses tipos de movimentos, é que a gente pode ficar onde a gente é, não precisa ir embora do Rio Grande do Sul, podemos fazer nosso trabalho bem-feito e ser reconhecido aqui no RS, e tomara que o Brasil nos abrace também”.

Ayrton dos Anjos “Patineti” saudando a plateia presente. Foto: Tiéle Abreu

No ano em que a MPG completa três décadas, o cantor e compositor Bebeto Alves, 68 anos, salienta que que é como se fosse o aniversário de alguém que está sendo comemorado. Trinta anos do “Patineti”, um momento especial de estar ao lado dele. Alves valoriza os laços de amizades que foram construídos ao longo desses anos: “Nada mais justo que trazer para Santa Maria a história da música brasileira do Rio Grande do Sul.” O cantor, quando subiu ao palco, dedicou duas importantes canções da sua carreira (Depois da Chuva e Pegadas) ao mentor desse projeto que levou adiante. “A essência e a energia de Ayrton dos Anjos une todos e é o que fez isso proceder há 30 anos”, vibra Alves.

Os integrantes presentes finalizaram o show no palco: Bebeto Alves, Nelson Coelho de Castro, Monica Tomasi, Ana Lonardi, Hermes Aquino, Chico Saratt, Zé Caradípia, Pery  Souza, Cidade Baixa: Caetano Silveira, Ana Kriger, Alex Alano, Andrea Cavalheiro e Fausto Prado.

Um dos grandes nomes da música popular brasileira, Nei Lisboa, que esteve afastado dos palcos de Santa Maria por alguns anos, retornou à cidade nesse domingo, 21, para o show de encerramento da 2ª edição do Aldeia Sesc Imembuy. A Praça Saldanha Marinho reuniu centenas de pessoas. O que não faltou do público bastante diversificado a cada final de canção foram aplausos entusiasmados.

A alegria e irreverência de Bebeto Alves no palco. Foto Tiéle Abreu

O cantor relembra que nos anos 80 e 90 vinha com frequência a Santa Maria, e torce para que essa iniciativa do Sesc perdure, já que a cidade é interessada na cultura. Lisboa confessou ter sentido falta do público caloroso de Santa Maria. Embora ter cantando músicas clássicas de sua carreira como Cena Beanik, Frase Feita, Pra te lembrar, Verão em Calcutá, Telhados de Paris entre outras, optou por um repertório menos conhecido. Lisboa força isso muitas vezes para que o show não se torne sedimentado e por ter algumas de suas canções já executadas por outros artistas. Ainda deu uma palhinha do seu novo trabalho, que pretende gravar no verão e lançar ainda em 2013. “Faz muito tempo que não lanço um disco”, completa Lisboa.

 

 

 

Texto produzido pelas acadêmicas de jornalismo Silvana Righi e Tiéle Abreu.