Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Estacionamentos do Bairro Rosário dependem do ano letivo da Unifra

Foto: Pedro Lenz Piegas

Nos meses de janeiro e fevereiro, estudantes, funcionários e professores do Centro Universitário Franciscano (Unifra) estão de férias, o que reflete na economia dos estacionamentos rotativos próximos à instituição, localizada no Bairro Rosário em Santa Maria.

Segundo Tércio Michael Eickhoff, Coordenador adjunto do SER Unifra, o Centro Universitário dispõe de 33 cursos de graduação e 19 de pós-graduação, divididos em três conjuntos e onze prédios. São 6.430 alunos, 425 professores e 223 funcionários que frequentam o local no período de aulas, de março a dezembro. Durante o recesso –  janeiro e fevereiro –  poucos acadêmicos se inscrevem nas disciplinas ofertadas, momento em que diminui também o movimento da região.

O funcionário do estacionamento do Conjunto III, Eduardo Carneiro, 19 anos, conta que a maioria dos usuários sâo professores devido ao convênio que possuem. “Isso tem a ver com o fato de que o estabelecimento abre somente durante as aulas”, explica Eduardo que cursa o segundo semestre do Curso de Direito. Carlos Giovane Rodrigues, 34 anos, responsável pelo Departamento na Unifra informa que o local suporta 120 vagas. No momento da reportagem, 53 estavam ocupadas, mas não há registro de uma média diária de veículos. A hora custa R$ 0,75 para motos e R$ 1,50 para carros e o horário de funcionamento vai das 7h às 23h.

Por outro lado, no estacionamento localizado na Rua Silva Jardim 1003, o movimento é bem menor e diminuiu muito após a conclusão das obras do estacionamento do Complexo III. O empresário Benjamin Carvalho, 48 anos, relata que 15 carros em média utilizam o serviço por dia, das 50 vagas disponíveis. Devido à proximidade com a universidade, a maioria dos clientes durante o ano são estudantes e professores. “O movimento caiu 60% por causa do estacionamento novo”, declara. Segundo o proprietário, o movimento tem uma grande queda nas férias universitárias.

Além da concorrência, um dos motivos da baixa rotatividade pode ser o preço cobrado, pois a hora cobrada é superior ao da Instituição de ensino: custa R$ 2,00 para carros e R$1,00 para motocicletas. O turno custa R$ 4,00 para carros e R$ 2,00 para motocicletas, sendo que mensalistas pagam R$ 90,00.

O estudante do Curso de Administração, Augusto Castro, 19 anos, diz que guarda sua moto sempre no Estacionamento do Rosário. No período que não tem aulas vai ao centro e deixa na rua, o que não faria se fosse perto da Instituição. “Até aqui no estacionamento já está difícil, imagina na rua, é muito perigoso”, relata. Considera que os R$ 30,00 mensais para deixar durante a noite é caro e o número de estacionamentos no bairro é o suficiente.

 

Por Pedro Piegas, Patrese Lehnhart Rabenschlag

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Foto: Pedro Lenz Piegas

Nos meses de janeiro e fevereiro, estudantes, funcionários e professores do Centro Universitário Franciscano (Unifra) estão de férias, o que reflete na economia dos estacionamentos rotativos próximos à instituição, localizada no Bairro Rosário em Santa Maria.

Segundo Tércio Michael Eickhoff, Coordenador adjunto do SER Unifra, o Centro Universitário dispõe de 33 cursos de graduação e 19 de pós-graduação, divididos em três conjuntos e onze prédios. São 6.430 alunos, 425 professores e 223 funcionários que frequentam o local no período de aulas, de março a dezembro. Durante o recesso –  janeiro e fevereiro –  poucos acadêmicos se inscrevem nas disciplinas ofertadas, momento em que diminui também o movimento da região.

O funcionário do estacionamento do Conjunto III, Eduardo Carneiro, 19 anos, conta que a maioria dos usuários sâo professores devido ao convênio que possuem. “Isso tem a ver com o fato de que o estabelecimento abre somente durante as aulas”, explica Eduardo que cursa o segundo semestre do Curso de Direito. Carlos Giovane Rodrigues, 34 anos, responsável pelo Departamento na Unifra informa que o local suporta 120 vagas. No momento da reportagem, 53 estavam ocupadas, mas não há registro de uma média diária de veículos. A hora custa R$ 0,75 para motos e R$ 1,50 para carros e o horário de funcionamento vai das 7h às 23h.

Por outro lado, no estacionamento localizado na Rua Silva Jardim 1003, o movimento é bem menor e diminuiu muito após a conclusão das obras do estacionamento do Complexo III. O empresário Benjamin Carvalho, 48 anos, relata que 15 carros em média utilizam o serviço por dia, das 50 vagas disponíveis. Devido à proximidade com a universidade, a maioria dos clientes durante o ano são estudantes e professores. “O movimento caiu 60% por causa do estacionamento novo”, declara. Segundo o proprietário, o movimento tem uma grande queda nas férias universitárias.

Além da concorrência, um dos motivos da baixa rotatividade pode ser o preço cobrado, pois a hora cobrada é superior ao da Instituição de ensino: custa R$ 2,00 para carros e R$1,00 para motocicletas. O turno custa R$ 4,00 para carros e R$ 2,00 para motocicletas, sendo que mensalistas pagam R$ 90,00.

O estudante do Curso de Administração, Augusto Castro, 19 anos, diz que guarda sua moto sempre no Estacionamento do Rosário. No período que não tem aulas vai ao centro e deixa na rua, o que não faria se fosse perto da Instituição. “Até aqui no estacionamento já está difícil, imagina na rua, é muito perigoso”, relata. Considera que os R$ 30,00 mensais para deixar durante a noite é caro e o número de estacionamentos no bairro é o suficiente.

 

Por Pedro Piegas, Patrese Lehnhart Rabenschlag