Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

“SAL”, um western latino-americano

Gravar um filme no estilo western, caubói, no deserto do Atacama no Chile parece algo impossível, pelo menos para Sergio, o personagem central do filme “Sal”(2011) de Diego Rougier.

Sergio, um roteirista e diretor, leva sua ideia a várias produtoras, e cansado de ouvir não, vai ao deserto de Atacama em busca de inspiração para o roteiro. Lá é confundido com Diego, criminoso que mantinha uma relação com a esposa do homem mais temido da região. Com isso, ele tem um bom roteiro, mas acaba se tornando o protagonista da história e uma espécie de anti-herói na trama emaranhada e original.

O longa, exibido durante o FAM, é o primeiro do diretor, uma coprodução Chile-Argentina-Espanha, rodada no Deserto de Atacama, no Chile, já recebeu 41 prêmios em festivais, como de Melhor Filme no Mexico International Film Festival 2012 e uma série de prêmios no Los Angeles Movie Awards, entre eles Melhor Filme, Diretor e Fotografia.

O produtor, Mário Rit, esteve presente na exibição do filme e também participou do Fórum Audiovisual do Mercosul no painel “Acordos bilaterais e a experiência de coprodução”, onde observou que realizar filmes em parceria com outros países é um processo lento, no caso de Sal levou um ano e meio, e é necessário enfrentar burocracias. “Na Argentina, por exemplo, o sistema de fomento foi um grande entrave, pois para poder acessar os fundos é preciso já ter começado a filmar, e isso é inacreditável”. Apesar das dificuldades, o filme levou apenas três anos para ser realizado.

“SAL” envolve humor com suspense, incorporando nos dias de hoje um cenário faroeste, com vingança e duelo. O olhar do diretor faz lembrar filmes de Tarantino. As atuações contribuíram para o resultado do filme, como a do protagonista Sergio/Diego, interpretado pelo espanhol Fele Martínez, ganhador do prêmio Goya da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha, ator de “Abre los Ojos”, de Alejandro Amenábar, “Fale com ela” e “La Mala Educación” de Almodóvar.

 

Alguns prêmios:

Melhor Opera Prima, Melhor Fotografia no First Time Fest New York 2012
Melhor Filme, Ficção, Diretor, Atriz Coadjuvante, Fotografia, Desenho de Produção e Figurino no Los Angeles Movie Awards 2012
Melhor Filme, Melhor Western no WorldFest Houston 2012
Melhor Filme no Mexico International Film Festival 2012

Site do filme:
http://www.sal-lapelicula.cl/

Por Melina Guterres, jornalista, especial para ACS.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gravar um filme no estilo western, caubói, no deserto do Atacama no Chile parece algo impossível, pelo menos para Sergio, o personagem central do filme “Sal”(2011) de Diego Rougier.

Sergio, um roteirista e diretor, leva sua ideia a várias produtoras, e cansado de ouvir não, vai ao deserto de Atacama em busca de inspiração para o roteiro. Lá é confundido com Diego, criminoso que mantinha uma relação com a esposa do homem mais temido da região. Com isso, ele tem um bom roteiro, mas acaba se tornando o protagonista da história e uma espécie de anti-herói na trama emaranhada e original.

O longa, exibido durante o FAM, é o primeiro do diretor, uma coprodução Chile-Argentina-Espanha, rodada no Deserto de Atacama, no Chile, já recebeu 41 prêmios em festivais, como de Melhor Filme no Mexico International Film Festival 2012 e uma série de prêmios no Los Angeles Movie Awards, entre eles Melhor Filme, Diretor e Fotografia.

O produtor, Mário Rit, esteve presente na exibição do filme e também participou do Fórum Audiovisual do Mercosul no painel “Acordos bilaterais e a experiência de coprodução”, onde observou que realizar filmes em parceria com outros países é um processo lento, no caso de Sal levou um ano e meio, e é necessário enfrentar burocracias. “Na Argentina, por exemplo, o sistema de fomento foi um grande entrave, pois para poder acessar os fundos é preciso já ter começado a filmar, e isso é inacreditável”. Apesar das dificuldades, o filme levou apenas três anos para ser realizado.

“SAL” envolve humor com suspense, incorporando nos dias de hoje um cenário faroeste, com vingança e duelo. O olhar do diretor faz lembrar filmes de Tarantino. As atuações contribuíram para o resultado do filme, como a do protagonista Sergio/Diego, interpretado pelo espanhol Fele Martínez, ganhador do prêmio Goya da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha, ator de “Abre los Ojos”, de Alejandro Amenábar, “Fale com ela” e “La Mala Educación” de Almodóvar.

 

Alguns prêmios:

Melhor Opera Prima, Melhor Fotografia no First Time Fest New York 2012
Melhor Filme, Ficção, Diretor, Atriz Coadjuvante, Fotografia, Desenho de Produção e Figurino no Los Angeles Movie Awards 2012
Melhor Filme, Melhor Western no WorldFest Houston 2012
Melhor Filme no Mexico International Film Festival 2012

Site do filme:
http://www.sal-lapelicula.cl/

Por Melina Guterres, jornalista, especial para ACS.