Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Cinco anos de um viés sólido

Confecção de camisetas com o logo da revista fazem parte da feirinha. (Foto: Dairan Paul)
Confecção de camisetas com o logo da revista fazem parte da feirinha. (Foto: Dairan Paul)

Há meia década, a revista o Viés atua em Santa Maria com publicações online semanais. Uma forma alternativa de jornalismo, prioriza pautas locais, com um enfoque mais humanizado ao que acontece na cidade e região.

O aniversário da revista passou e para não deixá-lo em branco, a equipe do Viés reuniu várias parcerias para uma comemoração que aconteceu dia 16 de novembro na Concha Acústica do Parque Itaimbé. O evento foi pensado desde agosto quando o novo site foi lançado e a equipe de trabalho passou de 7 para 31 membros.

Chamar todos que estão na rua e ocupar um espaço público que está deteriorado, com o objetivo de comemorar os cinco anos da revista e ao mesmo tempo manifestar, foi a ideia do Viés e de seus parceiros. “Um protesto sem que seja preciso gritar contra alguém e sim com as bandas e amigos”, complementa Bibiano Girard, um dos redatores do Viés. “Todos que desejam parabéns para mim e aos redatores do site eu digo parabéns para nós, pois todo mundo aqui já colaborou de alguma forma”, completa.

“O Viés” teve apoio de vários institutos da cidade para realizar o evento, como a melhoria do ambiente e na confecção da decoração. “A cultura local precisa de apoio, a gurizada tem condições e sabe o que tem que fazer e o Café Cristal ajuda nesses eventos culturais, desde que sejam de Santa Maria” afirma o proprietário do Café, Rafael Bordin, que ofereceu o gerador.

A ASSUFSM (Associação dos Servidores da Universidade Federal de Santa Maria) ficou responsável pelos banheiros, a SINPROSM (Sindicato dos Professores Municipais de Santa Maria) foi com a equipe da revista para comprar materiais decorativos na Subsolo Art que por sua vez ajudou com um desconto nessa compra, a Guantánamo Groove com  equipamento de palco, a Geringonça com maquinário de música e som.

Geringonça recebendo aplausos depois de sua apresentação. (Foto: Dairan Paul)
Geringonça recebendo aplausos depois de sua apresentação. (Foto: Dairan Paul)

As Atrações

Apresentação da Rima Suprema (Foto por: Dairan Paul)
Apresentação da Rima Suprema (Foto por: Dairan Paul)

Mais de 3 mil pessoas compareceram ao evento. Diversas tribos convivendo em harmonia e assistindo às apresentações de bandas como Geringonça, Guantánamo Groove, Dance Crazy Soul, Jotape, Estamopa da Quebrada, Nova Beat, além de uma apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria foram algumas das atrações do evento que ocorreu na Concha Acústica. Além disso, o parque Itaimbé continha 28 expositores de produtos e artesanato – a feirinha – uma das atrações. Ela foi uma forma de incentivo ao trabalho e á livre expressão de arte .

Apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria na comemoração do Viés.  (Foto: Dairan Paul)
Apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria na comemoração do Viés. (Foto: Dairan Paul)

“Acho que o pessoal da revista está de parabéns, tanto pela organização e sucesso do aniversário quanto por esses 5 anos de atividade. Principalmente pelo conteúdo que disponibilizam de forma gratuita com excelente qualidade” destaca Luciana Carvalho, professora no Centro Universitário Franciscano.

“O encontro reuniu expressões artísticas das mais variadas”, lembrou Jonathan Pereira, estudante de Administração da UFSM.  Ele ainda afirma que o evento foi engrandecedor na cidade cultura, que carece de movimentos desse gênero.

 

A Revista O Viés

“Criar uma ideia de colaboração e de uma sociedade mais comunitária parece redundante, mas devemos reconhecer o próximo como vizinho e fazer com que a cidade faça parte de todo mundo”, comenta Bibiano. A revista o Viés busca esse objetivo a cada matéria produzida, traz à tona assuntos pouco valorizados pelas mídias tradicionais, como as questões dos indígenas, a comunidade LGBT e transporte.  Também é abordada questões como a oportunidade de trabalho,  de moradia e desigualdade social nas seções: “Mundo do trabalho”e “Tecido urbano”.

A revista nada mais é do que o encontro daqueles que querem falar além. “A pergunta que nos trouxe até aqui sempre foi o “por quê?”. Por que as obras estão paradas? Por que as leis não são cumpridas pelos poderosos? Por que a homofobia ainda não é crime? Por que os ruralistas colocam indígenas e pequenos agricultores em guerra? Não nos bastam os fatos. É preciso compreendê-los. E por compreendermos que uma revista como a Viés só se constrói na pluralidade, na roda da rua, no samba da esquina, no debate da praça” conforme edital da revista.

Democratizar o próprio Viés é um dos objetivos da revista, conversar com  organizações dos mais diversos tipos, saber a opinião e dar voz para pessoas que nas mídias gerais não teriam essa possibilidade. O trabalho do viés é colaborativo, o espaço para escrever é de todos, qualquer ideia pode ser válida. Quando um texto chega na revista ele é avaliado e publicado na revista.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=Gz0-2ISxaKU”]

Por Leonardo Bedin Jordão para a disciplina de Jornalismo Online

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Confecção de camisetas com o logo da revista fazem parte da feirinha. (Foto: Dairan Paul)
Confecção de camisetas com o logo da revista fazem parte da feirinha. (Foto: Dairan Paul)

Há meia década, a revista o Viés atua em Santa Maria com publicações online semanais. Uma forma alternativa de jornalismo, prioriza pautas locais, com um enfoque mais humanizado ao que acontece na cidade e região.

O aniversário da revista passou e para não deixá-lo em branco, a equipe do Viés reuniu várias parcerias para uma comemoração que aconteceu dia 16 de novembro na Concha Acústica do Parque Itaimbé. O evento foi pensado desde agosto quando o novo site foi lançado e a equipe de trabalho passou de 7 para 31 membros.

Chamar todos que estão na rua e ocupar um espaço público que está deteriorado, com o objetivo de comemorar os cinco anos da revista e ao mesmo tempo manifestar, foi a ideia do Viés e de seus parceiros. “Um protesto sem que seja preciso gritar contra alguém e sim com as bandas e amigos”, complementa Bibiano Girard, um dos redatores do Viés. “Todos que desejam parabéns para mim e aos redatores do site eu digo parabéns para nós, pois todo mundo aqui já colaborou de alguma forma”, completa.

“O Viés” teve apoio de vários institutos da cidade para realizar o evento, como a melhoria do ambiente e na confecção da decoração. “A cultura local precisa de apoio, a gurizada tem condições e sabe o que tem que fazer e o Café Cristal ajuda nesses eventos culturais, desde que sejam de Santa Maria” afirma o proprietário do Café, Rafael Bordin, que ofereceu o gerador.

A ASSUFSM (Associação dos Servidores da Universidade Federal de Santa Maria) ficou responsável pelos banheiros, a SINPROSM (Sindicato dos Professores Municipais de Santa Maria) foi com a equipe da revista para comprar materiais decorativos na Subsolo Art que por sua vez ajudou com um desconto nessa compra, a Guantánamo Groove com  equipamento de palco, a Geringonça com maquinário de música e som.

Geringonça recebendo aplausos depois de sua apresentação. (Foto: Dairan Paul)
Geringonça recebendo aplausos depois de sua apresentação. (Foto: Dairan Paul)

As Atrações

Apresentação da Rima Suprema (Foto por: Dairan Paul)
Apresentação da Rima Suprema (Foto por: Dairan Paul)

Mais de 3 mil pessoas compareceram ao evento. Diversas tribos convivendo em harmonia e assistindo às apresentações de bandas como Geringonça, Guantánamo Groove, Dance Crazy Soul, Jotape, Estamopa da Quebrada, Nova Beat, além de uma apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria foram algumas das atrações do evento que ocorreu na Concha Acústica. Além disso, o parque Itaimbé continha 28 expositores de produtos e artesanato – a feirinha – uma das atrações. Ela foi uma forma de incentivo ao trabalho e á livre expressão de arte .

Apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria na comemoração do Viés.  (Foto: Dairan Paul)
Apresentação especial da Juventude Negra Feminina de Santa Maria na comemoração do Viés. (Foto: Dairan Paul)

“Acho que o pessoal da revista está de parabéns, tanto pela organização e sucesso do aniversário quanto por esses 5 anos de atividade. Principalmente pelo conteúdo que disponibilizam de forma gratuita com excelente qualidade” destaca Luciana Carvalho, professora no Centro Universitário Franciscano.

“O encontro reuniu expressões artísticas das mais variadas”, lembrou Jonathan Pereira, estudante de Administração da UFSM.  Ele ainda afirma que o evento foi engrandecedor na cidade cultura, que carece de movimentos desse gênero.

 

A Revista O Viés

“Criar uma ideia de colaboração e de uma sociedade mais comunitária parece redundante, mas devemos reconhecer o próximo como vizinho e fazer com que a cidade faça parte de todo mundo”, comenta Bibiano. A revista o Viés busca esse objetivo a cada matéria produzida, traz à tona assuntos pouco valorizados pelas mídias tradicionais, como as questões dos indígenas, a comunidade LGBT e transporte.  Também é abordada questões como a oportunidade de trabalho,  de moradia e desigualdade social nas seções: “Mundo do trabalho”e “Tecido urbano”.

A revista nada mais é do que o encontro daqueles que querem falar além. “A pergunta que nos trouxe até aqui sempre foi o “por quê?”. Por que as obras estão paradas? Por que as leis não são cumpridas pelos poderosos? Por que a homofobia ainda não é crime? Por que os ruralistas colocam indígenas e pequenos agricultores em guerra? Não nos bastam os fatos. É preciso compreendê-los. E por compreendermos que uma revista como a Viés só se constrói na pluralidade, na roda da rua, no samba da esquina, no debate da praça” conforme edital da revista.

Democratizar o próprio Viés é um dos objetivos da revista, conversar com  organizações dos mais diversos tipos, saber a opinião e dar voz para pessoas que nas mídias gerais não teriam essa possibilidade. O trabalho do viés é colaborativo, o espaço para escrever é de todos, qualquer ideia pode ser válida. Quando um texto chega na revista ele é avaliado e publicado na revista.

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=Gz0-2ISxaKU”]

Por Leonardo Bedin Jordão para a disciplina de Jornalismo Online