Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Salão lotado no debate sobre ZH Digital

Salão Acústico lotado na palestra no Conjunto III, na Unifra. Foto: Carolina Busatto Teixeira
A editora Bárbara Nickel, na Unifra, após apresentar o vídeo com as reformulações de ZH Digital. Foto: Luzieine Rodrigues
A editora Bárbara Nickel, na Unifra, após apresentar o vídeo com as reformulações de ZH Digital. Foto: Luzieine Rodrigues

Os alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) receberam a editora-chefe de ZH Digital Barbara Nickel para um bate-papo, na noite dessa segunda-feira, 18.

No encontro, Nickel apresentou as mudanças para a versão digital propostas em 2014, data em que a publicação completa 50 anos, pensadas a partir das análises de comportamento dos leitores e das métricas de audiência. Com o sistema de verificação da audiência, é possível saber a frequência, os conteúdos mais acessados e por meio de quais dispositivo (smartphone, tablet ou desktop) são acessados.

Segundo a editora, os acessos durante o período da manhã são liderados por smartphones, à tarde pelos desktops e, à noite, por tablets. Outros aspectos levantados no debate com os alunos e professores, que participaram com diversas perguntas, foram o papel, usos e aplicações dos sites das redes sociais no compartilhamento das notícias. “O abastecimento de conteúdo nas redes sociais é prioridade”, destaca.

A respeito das mudanças na plataforma da ZH digital, Nickel salienta que o objetivo dessas inovações é propor novos conteúdos com aparência e abordagem diferenciadas do jornal impresso. “A gente não quer fazer um jornal”, declara.

Conteúdo com qualidade e informações precisas são características essenciais que independem de profissionais com conhecimentos técnicos apenas. “O digital precisa ter conteúdo bom. Precisamos ter os melhores repórteres, não importa a idade e o nível de conhecimento tecnológico”, enfatiza a editora.

A conversa com Bárbara Nickel se estendeu por mais de uma hora e meia e teve cobertura instantânea dos alunos da disciplina de Jornalismo Online, pela conta do Facebook Central Sul e do Twitter @centralsul da Agência Central Sul de Notícias. Este é o segundo ano que o jornal realiza a parceria com as faculdades de Jornalismo no Estado, com objetivo de aproximar os profissionais do jornal Zero Hora dos futuros colegas, como parte da sua programação de comemoração dos 50 anos.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Salão Acústico lotado na palestra no Conjunto III, na Unifra. Foto: Carolina Busatto Teixeira
A editora Bárbara Nickel, na Unifra, após apresentar o vídeo com as reformulações de ZH Digital. Foto: Luzieine Rodrigues
A editora Bárbara Nickel, na Unifra, após apresentar o vídeo com as reformulações de ZH Digital. Foto: Luzieine Rodrigues

Os alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) receberam a editora-chefe de ZH Digital Barbara Nickel para um bate-papo, na noite dessa segunda-feira, 18.

No encontro, Nickel apresentou as mudanças para a versão digital propostas em 2014, data em que a publicação completa 50 anos, pensadas a partir das análises de comportamento dos leitores e das métricas de audiência. Com o sistema de verificação da audiência, é possível saber a frequência, os conteúdos mais acessados e por meio de quais dispositivo (smartphone, tablet ou desktop) são acessados.

Segundo a editora, os acessos durante o período da manhã são liderados por smartphones, à tarde pelos desktops e, à noite, por tablets. Outros aspectos levantados no debate com os alunos e professores, que participaram com diversas perguntas, foram o papel, usos e aplicações dos sites das redes sociais no compartilhamento das notícias. “O abastecimento de conteúdo nas redes sociais é prioridade”, destaca.

A respeito das mudanças na plataforma da ZH digital, Nickel salienta que o objetivo dessas inovações é propor novos conteúdos com aparência e abordagem diferenciadas do jornal impresso. “A gente não quer fazer um jornal”, declara.

Conteúdo com qualidade e informações precisas são características essenciais que independem de profissionais com conhecimentos técnicos apenas. “O digital precisa ter conteúdo bom. Precisamos ter os melhores repórteres, não importa a idade e o nível de conhecimento tecnológico”, enfatiza a editora.

A conversa com Bárbara Nickel se estendeu por mais de uma hora e meia e teve cobertura instantânea dos alunos da disciplina de Jornalismo Online, pela conta do Facebook Central Sul e do Twitter @centralsul da Agência Central Sul de Notícias. Este é o segundo ano que o jornal realiza a parceria com as faculdades de Jornalismo no Estado, com objetivo de aproximar os profissionais do jornal Zero Hora dos futuros colegas, como parte da sua programação de comemoração dos 50 anos.