Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Santa Maria ganhou 49,5 mil veículos em pouco mais de 6 anos

F01-5065
Neste ano a cidade registrou 138.810 mil veículos até setembro, segundo DETRAN-RS. Foto: Larissa Mayer/PrefeituraSM

Em 6 anos e 9 meses, as ruas de Santa Maria tiveram um aumento de 65% de veículos. No total foram 49,5 mil veículos a mais em circulação na cidade, conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (DETRAN-RS) de setembro de 2014. O número de veículos nas vias da cidade saltou de 89.231, em 2007, para 138.810 até o mês de Setembro, de 2014, conforme balanço do DETRAN-RS. Os condutores habilitados para dirigir em Santa Maria aumentaram em média de 3,8% ao ano neste período. Em quase 7 anos foram 26.415 novos motoristas. O crescimento foi substancial. Saiu dos 93.786 motoristas, em 2007, e passou para 120.201 até junho deste ano.

Com o crescimento de carros nas ruas, os problemas como os congestionamentos em horários de pico também cresceram. Para o presidente da Associação dos Taxistas de Santa Maria (ATASM), Volmar Arruda, quem dirige na cidade percebe o acréscimo de quase 50 mil veículos. Uma sugestão para evitar o tráfego dos veículos pesados na zona urbana, o que piora ainda mais a situação, é a criação de um porto seco, no qual os caminhões de carga deixariam os produtos no local e veículos menores fariam o transporte até as lojas. Desta forma os caminhões não entrariam na cidade para fazer a carga e descarga.

“Realmente teve um crescimento demasiado de carros e o trânsito fica mais complicado. Uma das coisas que eu sempre comentei é que Santa Maria deveria ter um porto seco. Acho que amenizaria essa questão, já que as mercadorias seriam descarregadas neste local e assim os carros pequenos ou Kombis fariam o transporte até as lojas. Se não tem o porto seco, o caminhão tem que entrar na cidade ”, declarou Arruda, presidente da ATASM.

Imagem/Prefeitura SM
Zona de Restrição de veículos pesados no centro de Santa Maria. Imagem: Divulgação Prefeitura

Para dar mais fluidez ao trânsito no centro da cidade, o prefeito César Schirmer assinou um Decreto Executivo Número 082, o qual determina que veículos com mais de 7,5 toneladas de peso bruto total e 9 metros de comprimento não podem trafegar na Zona de Restrição de Operação de Carga e Descarga (ZRCD) das 8h às 20h, em dias de semana, e das 8h às 14h, aos sábados. Nos feriados nacionais o trânsito de veículos pesados será liberado.

A lei entrou em vigor oficialmente no dia 6 de novembro e quem for flagrando dirigindo caminhões pesados pelas ruas proibidas será multado.

Coleta do lixo bloqueia o trânsito no centro

A coleta de lixo dos contêineres no centro da cidade é outro fator que prejudica o trânsito. Segundo o taxista, como algumas ruas são estreitas, os caminhões da empresa responsável pelo recolhimento de lixo obstruem a via para efetuar o processo.

“Coleta de lixo tem que ser à noite. Lógico que a cidade tem que ser limpa, mas o recolhimento dos contêineres deveria ser feito em horários com menos movimento. Fazer às 11h30min da manhã não dá, pois esses caminhões grandes ficam no meio na rua para fazer a coleta. Algumas vias são estreias e atrapalha o trânsito”, afirmou Volmar.

Táxi: A saída para os congestionamentos

Taxista desde 20 de setembro de 1990, Volmar Arruda já trabalhou em três pontos: na Rio Branco, no central e por último na rodoviária. Em função das questões administrativas da ATASM, ele deixou de dirigir táxis há pouco mais de um ano. Mas o uso do serviço ainda é uma das ótimas saídas para os congestionamentos.

“Creio que o fluxo de carros também aumentou pela falta de táxis. Hoje há famílias que tem 3 carros em caso. Se tivesse mais táxis, as pessoas deixariam os carros em casa e sairiam de táxis. Mas devemos ter em Santa Maria também um serviço à altura do usuário, para que a pessoa deixe o carro em casa e seja bem atendida pelo motorista.  Não adiante ter táxis e ter um serviço péssimo. O atendimento ter que ser prioridade”, frisou o presidente da Associação dos Taxistas de Santa Maria, Volmar Arruda.

A prefeitura de Santa Maria pretende licitar ainda neste ano 116 novos prefixos, além de quatro prefixos já existentes e que atualmente estão fora de circulação. A cidade conta atualmente com uma frota de 210 táxis. A Lei municipal de Ampliação da Frota de Táxis de Santa Maria (nº 5863) foi sancionada no dia 9 de Maio.

Atenção e prudência no trânsito para evitar acidentes

Com mais veículos nas ruas, os motoristas devem ter paciência e atenção redobradas no trânsito. Quem trabalha cobrindo as principais vias da cidade percebe o mau comportamento de determinadas pessoas ao volante. O repórter da unidade móvel, da Rádio Imembuí, 960 AM, Jean Romero, 30 anos, frisa que é preciso ter muito preparo.

“Realmente nosso trânsito é bastante difícil, especialmente porque algumas ruas são estreitas e a sinalização não é adequada. O mau comportamento de determinados motoristas também não colabora. Alguns dirigem no meio da via e não dividem os espaços. Para o trânsito ser tranquilo, com mais segurança é preciso um preparo melhor ”, afirmou, o repórter Jean Romero. O jornalista, que dirige desde os 18 anos na cidade, destaca que a imprudência e a falta de atenção contribuem para os acidentes em um trânsito com crescimento intenso.

“A imprudência e a falta de atenção. Têm motoristas que mexem no celular dentro do veículo e, até mesmo, motociclistas falando ao aparelho ou tentando digitar algum número”, contou, Romero.

Conforme o repórter de trânsito da Rádio Imembuí, não é possível generalizar, mas alguns condutores perdem a paciência nas ruas. Outra questão, segundo ele, que prejudica o fluxo de veículos são os motociclistas que fazem zig-zag entre os carros.

O que diz o Secretário de Mobilidade Urbana de Santa Maria 

Fotos Renan Mattos e Smed (divulgação)
Secretário Miguel Passini participa de atividade educativa no centro da cidade. Foto: Renan Mattos/Smed/Divulgação

De acordo com Secretário Miguel Caetano Passini, os investimentos no trânsito da cidade são realizados para facilitar o deslocamento das pessoas. Ele destaca a duplicação da Avenida Hélvio Basso e o asfaltamento da Avenida Liberdade. De acordo com Passini, outras intervenções foram realizadas, como a retirada de estacionamento de algumas ruas, como na Silva Jardim, onde é proibido estacionar a esquerda durante o dia:

“A perimetral da Hélvio Basso e Avenida Liberdade vai ligar até a zona norte. Há uma ideia de fazer uma perimetral na Castro Alves, um túnel ligando a Salgado Filho para que a gente possa fazer um anel para melhorar a fluidez. Estamos fazendo mudanças pontuais tirando estacionamentos de ruas e as conversões a esquerda. Apesar de todas as medidas, em determinados horários e quando chove a gente sente o trânsito pesado”, destacou Passini.

Conforme o titular da pasta, um dos motivos para esse incremento de 49,5 mil veículos das ruas são os incentivos do governo federal na indústria automobilística, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A medida visa baixar o preço dos automóveis para os consumidores, aumentando as vendas.

“Hoje praticamente a capacidade total das ruas estão esgotadas. Nós temos algumas questões que necessitam ser melhoradas, como o transporte público que precisa ser dada uma preferência, pois com incentivo no transporte coletivo, diminui o uso de carros. Também incentivar o uso de bicicletas, já que é um transporte altamente sustentável” – analisou.

Ônibus rápidos serão um divisor de águas, afirma Secretário

foto julio soares - marcopolo
Até o final do ano prefeitura espera ter contrato aprovado com a Caixa Econômica Federal. Foto: Júlio Soares/Marcopolo

Nos próximos anos, Santa Maria contará com o Bus Rapid Transit (BRT). O investimento será de 218 milhões de reais e o projeto de implantação já foi aprovado pelo Ministério das Cidades. O transporte ligará as regiões Leste e Oeste de Santa Maria, isto é, os bairros Camobi e Tancredo Neves, passando pelo Centro. A linha possuirá 43,2 quilômetros de extensão e irá contar com 20 estações de embarque e desembarque e 18 veículos, sendo alguns com 120 lugares. A estimativa é que englobe até 80% dos usuários do transporte coletivo novo modal. Para o secretário Miguel Passini, o BRT será o maior investimento em trânsito já realizado:

“Seria o maior investimento e o divisor de águas. Vai ser o antes e o depois desta grande obra, que saíra da Tancredo Neves e vai até a Universidade Federal de Santa Maria com ônibus modernos, movidos a bateria e para 150 pessoas. Terá corredores exclusivos, com embarque e desembarque cobertos. Sem falar que vai diminuir o tempo de viagem da Tancredo Neves até a UFSM em 26 minutos”, observou o secretário.

Depois de licitado o projeto, a empresa responsável terá dois anos para colocar em prática. A expectativa de Passini é que até o final de 2016 a obra seja entregue a população.

“No momento em que for disponibilizado o projeto e licitado terá dois anos para ser colocado em prática. Provavelmente no fim de 2016, será entregue a população essa obra com ônibus novos que vai transformar Santa Maria em uma referência como Curitiba no transporte Urbano”, revelou o titular da pasta de mobilidade urbana da cidade.

Plano Diretor de Mobilidade Urbana

O Plano Diretor de Mobilidade promete ordenar o trânsito da cidade pelas próximas décadas. Algumas medidas já estão sendo adotadas, conforme o secretário, entre elas a restrição do embarque e desembarque de cargas de caminhões pesados nas ruas centrais. O plano também apontou outras medidas mais drásticas como a restrição de veículos particulares durante o dia na rua do Acampamento e transformar a via exclusiva para ônibus e táxi. Outro apontamento mudaria o sentido das Avenidas Nossa Senhora da Medianeira e Presidente Vargas, ambas teriam sentido único. Na Medianeira, o sentido seria bairro-Cento, e, na Presidente Vargas, Centro-bairro. Contudo, de acordo com Passini, essas alterações mais profundas precisam ser analisadas. Elele ressalva que o Plano de Mobilidade Urbana é para os próximos 20 anos:

“Na rua do Acampamento, a proposta apresentada, na época, não achei viável. E transformar a Presidente Vargas e Medianeira em mãos únicas precisa de mais estudos e de verbas para fazer a ligação entre as duas. Agora, é um plano para o futuro, para 20 anos. Por enquanto, não vejo necessidade de tomarmos essa medida.” – finalizou Passini.

Coleta de Lixo e Porto Seco 

Motoristas reclamam que a manutenção e recolhimento de lixo em horários de grande movimento, atrapalham o trânsito. Foto: João Alves/Prefeitura SM
Motoristas reclamam que a manutenção e recolhimento de lixo dos contêineres, em horários de grande movimento, atrapalham o trânsito. Foto: João Alves/Prefeitura SM

Sobre a coleta de lixo dos contêineres no centro da cidade, onde os caminhões da empresa responsável pelo recolhimento acabam bloqueando o trânsito, o município pretende adequar os horários para evitar congestionamentos em horários de grande movimento.

“Já se tentou fazer de noite coleta de lixo, mas as pessoas reclamam que faz muito barulho. Claro que temos uma necessidade de deixar a cidade limpa. O que precisamos fazer é uma adequação nos horários das coletas. Isso nós podemos fazer”, afirmou o secretário de Mobilidade.

A necessidade da construção de um Porto Seco para que os caminhões não façam a descarga direto nos estabelecimentos é uma iniciativa que depende de verbas do governo federal:

“Há muito tempo se vem buscando essa iniciativa. Em Camobi, os valores dos imóveis estão muito altos para viabilizar esse projeto, pois precisa de uma área muito grande. Esse porto seco é necessário. Seria possível só com investimentos do governo federal, já que todos os impostos vão para o governo federal” – declarou Passini.

De acordo com titular da pasta de Mobilidade Urbana, o limite máximo de velocidade nas ruas de Santa Maria é 40km/h. Para Passini, é preciso humanizar cada vez mais o trânsito do país.

2

 

Sem título

 

Ouça a entrevista com o Secretário de Mobilidade Urbana, Miguel Caetano Passini : 

Ouça o que disse sobre o trânsito da cidade o repórter da Rádio Imembuí, 960 AM, Jean Romero:

Por Tiago Wennesheimer Nunes, para a disciplina de Jornalismo Online

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

F01-5065
Neste ano a cidade registrou 138.810 mil veículos até setembro, segundo DETRAN-RS. Foto: Larissa Mayer/PrefeituraSM

Em 6 anos e 9 meses, as ruas de Santa Maria tiveram um aumento de 65% de veículos. No total foram 49,5 mil veículos a mais em circulação na cidade, conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (DETRAN-RS) de setembro de 2014. O número de veículos nas vias da cidade saltou de 89.231, em 2007, para 138.810 até o mês de Setembro, de 2014, conforme balanço do DETRAN-RS. Os condutores habilitados para dirigir em Santa Maria aumentaram em média de 3,8% ao ano neste período. Em quase 7 anos foram 26.415 novos motoristas. O crescimento foi substancial. Saiu dos 93.786 motoristas, em 2007, e passou para 120.201 até junho deste ano.

Com o crescimento de carros nas ruas, os problemas como os congestionamentos em horários de pico também cresceram. Para o presidente da Associação dos Taxistas de Santa Maria (ATASM), Volmar Arruda, quem dirige na cidade percebe o acréscimo de quase 50 mil veículos. Uma sugestão para evitar o tráfego dos veículos pesados na zona urbana, o que piora ainda mais a situação, é a criação de um porto seco, no qual os caminhões de carga deixariam os produtos no local e veículos menores fariam o transporte até as lojas. Desta forma os caminhões não entrariam na cidade para fazer a carga e descarga.

“Realmente teve um crescimento demasiado de carros e o trânsito fica mais complicado. Uma das coisas que eu sempre comentei é que Santa Maria deveria ter um porto seco. Acho que amenizaria essa questão, já que as mercadorias seriam descarregadas neste local e assim os carros pequenos ou Kombis fariam o transporte até as lojas. Se não tem o porto seco, o caminhão tem que entrar na cidade ”, declarou Arruda, presidente da ATASM.

Imagem/Prefeitura SM
Zona de Restrição de veículos pesados no centro de Santa Maria. Imagem: Divulgação Prefeitura

Para dar mais fluidez ao trânsito no centro da cidade, o prefeito César Schirmer assinou um Decreto Executivo Número 082, o qual determina que veículos com mais de 7,5 toneladas de peso bruto total e 9 metros de comprimento não podem trafegar na Zona de Restrição de Operação de Carga e Descarga (ZRCD) das 8h às 20h, em dias de semana, e das 8h às 14h, aos sábados. Nos feriados nacionais o trânsito de veículos pesados será liberado.

A lei entrou em vigor oficialmente no dia 6 de novembro e quem for flagrando dirigindo caminhões pesados pelas ruas proibidas será multado.

Coleta do lixo bloqueia o trânsito no centro

A coleta de lixo dos contêineres no centro da cidade é outro fator que prejudica o trânsito. Segundo o taxista, como algumas ruas são estreitas, os caminhões da empresa responsável pelo recolhimento de lixo obstruem a via para efetuar o processo.

“Coleta de lixo tem que ser à noite. Lógico que a cidade tem que ser limpa, mas o recolhimento dos contêineres deveria ser feito em horários com menos movimento. Fazer às 11h30min da manhã não dá, pois esses caminhões grandes ficam no meio na rua para fazer a coleta. Algumas vias são estreias e atrapalha o trânsito”, afirmou Volmar.

Táxi: A saída para os congestionamentos

Taxista desde 20 de setembro de 1990, Volmar Arruda já trabalhou em três pontos: na Rio Branco, no central e por último na rodoviária. Em função das questões administrativas da ATASM, ele deixou de dirigir táxis há pouco mais de um ano. Mas o uso do serviço ainda é uma das ótimas saídas para os congestionamentos.

“Creio que o fluxo de carros também aumentou pela falta de táxis. Hoje há famílias que tem 3 carros em caso. Se tivesse mais táxis, as pessoas deixariam os carros em casa e sairiam de táxis. Mas devemos ter em Santa Maria também um serviço à altura do usuário, para que a pessoa deixe o carro em casa e seja bem atendida pelo motorista.  Não adiante ter táxis e ter um serviço péssimo. O atendimento ter que ser prioridade”, frisou o presidente da Associação dos Taxistas de Santa Maria, Volmar Arruda.

A prefeitura de Santa Maria pretende licitar ainda neste ano 116 novos prefixos, além de quatro prefixos já existentes e que atualmente estão fora de circulação. A cidade conta atualmente com uma frota de 210 táxis. A Lei municipal de Ampliação da Frota de Táxis de Santa Maria (nº 5863) foi sancionada no dia 9 de Maio.

Atenção e prudência no trânsito para evitar acidentes

Com mais veículos nas ruas, os motoristas devem ter paciência e atenção redobradas no trânsito. Quem trabalha cobrindo as principais vias da cidade percebe o mau comportamento de determinadas pessoas ao volante. O repórter da unidade móvel, da Rádio Imembuí, 960 AM, Jean Romero, 30 anos, frisa que é preciso ter muito preparo.

“Realmente nosso trânsito é bastante difícil, especialmente porque algumas ruas são estreitas e a sinalização não é adequada. O mau comportamento de determinados motoristas também não colabora. Alguns dirigem no meio da via e não dividem os espaços. Para o trânsito ser tranquilo, com mais segurança é preciso um preparo melhor ”, afirmou, o repórter Jean Romero. O jornalista, que dirige desde os 18 anos na cidade, destaca que a imprudência e a falta de atenção contribuem para os acidentes em um trânsito com crescimento intenso.

“A imprudência e a falta de atenção. Têm motoristas que mexem no celular dentro do veículo e, até mesmo, motociclistas falando ao aparelho ou tentando digitar algum número”, contou, Romero.

Conforme o repórter de trânsito da Rádio Imembuí, não é possível generalizar, mas alguns condutores perdem a paciência nas ruas. Outra questão, segundo ele, que prejudica o fluxo de veículos são os motociclistas que fazem zig-zag entre os carros.

O que diz o Secretário de Mobilidade Urbana de Santa Maria 

Fotos Renan Mattos e Smed (divulgação)
Secretário Miguel Passini participa de atividade educativa no centro da cidade. Foto: Renan Mattos/Smed/Divulgação

De acordo com Secretário Miguel Caetano Passini, os investimentos no trânsito da cidade são realizados para facilitar o deslocamento das pessoas. Ele destaca a duplicação da Avenida Hélvio Basso e o asfaltamento da Avenida Liberdade. De acordo com Passini, outras intervenções foram realizadas, como a retirada de estacionamento de algumas ruas, como na Silva Jardim, onde é proibido estacionar a esquerda durante o dia:

“A perimetral da Hélvio Basso e Avenida Liberdade vai ligar até a zona norte. Há uma ideia de fazer uma perimetral na Castro Alves, um túnel ligando a Salgado Filho para que a gente possa fazer um anel para melhorar a fluidez. Estamos fazendo mudanças pontuais tirando estacionamentos de ruas e as conversões a esquerda. Apesar de todas as medidas, em determinados horários e quando chove a gente sente o trânsito pesado”, destacou Passini.

Conforme o titular da pasta, um dos motivos para esse incremento de 49,5 mil veículos das ruas são os incentivos do governo federal na indústria automobilística, como a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A medida visa baixar o preço dos automóveis para os consumidores, aumentando as vendas.

“Hoje praticamente a capacidade total das ruas estão esgotadas. Nós temos algumas questões que necessitam ser melhoradas, como o transporte público que precisa ser dada uma preferência, pois com incentivo no transporte coletivo, diminui o uso de carros. Também incentivar o uso de bicicletas, já que é um transporte altamente sustentável” – analisou.

Ônibus rápidos serão um divisor de águas, afirma Secretário

foto julio soares - marcopolo
Até o final do ano prefeitura espera ter contrato aprovado com a Caixa Econômica Federal. Foto: Júlio Soares/Marcopolo

Nos próximos anos, Santa Maria contará com o Bus Rapid Transit (BRT). O investimento será de 218 milhões de reais e o projeto de implantação já foi aprovado pelo Ministério das Cidades. O transporte ligará as regiões Leste e Oeste de Santa Maria, isto é, os bairros Camobi e Tancredo Neves, passando pelo Centro. A linha possuirá 43,2 quilômetros de extensão e irá contar com 20 estações de embarque e desembarque e 18 veículos, sendo alguns com 120 lugares. A estimativa é que englobe até 80% dos usuários do transporte coletivo novo modal. Para o secretário Miguel Passini, o BRT será o maior investimento em trânsito já realizado:

“Seria o maior investimento e o divisor de águas. Vai ser o antes e o depois desta grande obra, que saíra da Tancredo Neves e vai até a Universidade Federal de Santa Maria com ônibus modernos, movidos a bateria e para 150 pessoas. Terá corredores exclusivos, com embarque e desembarque cobertos. Sem falar que vai diminuir o tempo de viagem da Tancredo Neves até a UFSM em 26 minutos”, observou o secretário.

Depois de licitado o projeto, a empresa responsável terá dois anos para colocar em prática. A expectativa de Passini é que até o final de 2016 a obra seja entregue a população.

“No momento em que for disponibilizado o projeto e licitado terá dois anos para ser colocado em prática. Provavelmente no fim de 2016, será entregue a população essa obra com ônibus novos que vai transformar Santa Maria em uma referência como Curitiba no transporte Urbano”, revelou o titular da pasta de mobilidade urbana da cidade.

Plano Diretor de Mobilidade Urbana

O Plano Diretor de Mobilidade promete ordenar o trânsito da cidade pelas próximas décadas. Algumas medidas já estão sendo adotadas, conforme o secretário, entre elas a restrição do embarque e desembarque de cargas de caminhões pesados nas ruas centrais. O plano também apontou outras medidas mais drásticas como a restrição de veículos particulares durante o dia na rua do Acampamento e transformar a via exclusiva para ônibus e táxi. Outro apontamento mudaria o sentido das Avenidas Nossa Senhora da Medianeira e Presidente Vargas, ambas teriam sentido único. Na Medianeira, o sentido seria bairro-Cento, e, na Presidente Vargas, Centro-bairro. Contudo, de acordo com Passini, essas alterações mais profundas precisam ser analisadas. Elele ressalva que o Plano de Mobilidade Urbana é para os próximos 20 anos:

“Na rua do Acampamento, a proposta apresentada, na época, não achei viável. E transformar a Presidente Vargas e Medianeira em mãos únicas precisa de mais estudos e de verbas para fazer a ligação entre as duas. Agora, é um plano para o futuro, para 20 anos. Por enquanto, não vejo necessidade de tomarmos essa medida.” – finalizou Passini.

Coleta de Lixo e Porto Seco 

Motoristas reclamam que a manutenção e recolhimento de lixo em horários de grande movimento, atrapalham o trânsito. Foto: João Alves/Prefeitura SM
Motoristas reclamam que a manutenção e recolhimento de lixo dos contêineres, em horários de grande movimento, atrapalham o trânsito. Foto: João Alves/Prefeitura SM

Sobre a coleta de lixo dos contêineres no centro da cidade, onde os caminhões da empresa responsável pelo recolhimento acabam bloqueando o trânsito, o município pretende adequar os horários para evitar congestionamentos em horários de grande movimento.

“Já se tentou fazer de noite coleta de lixo, mas as pessoas reclamam que faz muito barulho. Claro que temos uma necessidade de deixar a cidade limpa. O que precisamos fazer é uma adequação nos horários das coletas. Isso nós podemos fazer”, afirmou o secretário de Mobilidade.

A necessidade da construção de um Porto Seco para que os caminhões não façam a descarga direto nos estabelecimentos é uma iniciativa que depende de verbas do governo federal:

“Há muito tempo se vem buscando essa iniciativa. Em Camobi, os valores dos imóveis estão muito altos para viabilizar esse projeto, pois precisa de uma área muito grande. Esse porto seco é necessário. Seria possível só com investimentos do governo federal, já que todos os impostos vão para o governo federal” – declarou Passini.

De acordo com titular da pasta de Mobilidade Urbana, o limite máximo de velocidade nas ruas de Santa Maria é 40km/h. Para Passini, é preciso humanizar cada vez mais o trânsito do país.

2

 

Sem título

 

Ouça a entrevista com o Secretário de Mobilidade Urbana, Miguel Caetano Passini : 

Ouça o que disse sobre o trânsito da cidade o repórter da Rádio Imembuí, 960 AM, Jean Romero:

Por Tiago Wennesheimer Nunes, para a disciplina de Jornalismo Online