Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

11 piores frases já ditas por jogadores de futebol (e dirigentes também)

Em busca de um sonho de criança, centenas de pessoas largam os estudos em busca de uma carreira futebolística. Talvez por isso, a imensa maioria destes, provinda geralmente de famílias extremamente carentes, nunca se caracterizou pelas suas habilidades discursivas. Porém, existem ocasiões em que estes se superam, seja pelo cansaço, pela falta de argumentos ou pelo baixo nível educacional. Tal se reflete até mesmo em dirigentes, por vezes tão amadores que falam mais do que devem.

O professor de jornalismo da Unifra Gilson Piber acredita que muito disso se deve ao baixo aprendizado escolar da considerável maioria dos atletas: “A maioria dos jogadores tem um grau de instrução muito baixo. Então, muitos se atrapalham quando dão entrevistas, repetem muitas frases e ferem o uso da Língua Portuguesa. O mesmo ocorre com alguns dirigentes, também formados na dita “escola da vida”. E completa: “As frases fazem parte do folclore do futebol brasileiro. Seria interessante os jogadores também estudarem. Até porque a carreira de jogador tem um limite e muitos gastam o dinheiro ganho e não se preparam para o futuro. Quando a carreira acaba, alguns atletas ficam em dificuldades até para a manutenção básica.”

Elaboramos uma lista com 11 frases que simplesmente não fazem sentido algum.

11. “Clássico é clássico e vice-versa” – Jardel, ex-atacante de Grêmio, Sporting, Porto e da Seleção Brasileira.

Jardel não se destacou apenas por seu desempenho em campo. Foto: Arquivo LANCE!
Jardel não se destacou apenas por sua habilidade com a bola (Foto: Arquivo LANCE!)

Jardel ficou conhecido tanto por seu grande desempenho em campo como também pelas frases inusitadas. No caso, a frase havia sido dita às vésperas de um clássico.

Posteriormente, negou a autoria da frase.

10. “A gente vem jogar aqui na Paraíba, escalam um juiz paraíba e acontece isso” – Edmundo, ex-atacante e atual comentarista da TV Bandeirantes.

O “animal”, como era apelidado, foi uma das figuras mais polêmicas da história do futebol brasileiro. Provocou rivais e até mesmo companheiros, como Romário quando ambos estavam no Vasco. Em 1997, o jogador fora expulso em partida no nordeste. Tudo bem, o jogador estava bravo e acabou exagerando na fala, certo? Até pode ser. O único problema é que o jogo foi contra o América-RN… em Natal. Sabe o que é o pior? O árbitro era cearense.

De cabeça fria, Edmundo tentou justificar que costuma chamar todas as pessoas vindas do nordeste de “paraíba”. Bom, foi meio difícil convencer alguém disso. Confira no vídeo acima.

9. “O difícil, como vocês sabem, não é fácil” – Vicente Matheus, empresário espanhol e presidente do Corinthians por 8 mandatos.

vicentematheus
Irreverente, Vicente Matheus colecionou frases bizarras

Vicente Matheus foi uma figura folclórica dentro do futebol. Gilson Piber pontua que ele sempre esteve nas principais listas de frases engraçadas. Dirigente à moda antiga, muitas pessoas próximas afirmam que certas máximas criadas por ele eram propositais. Nesse caso, é bem possível que tenha sido isso.

8. “Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja” – Jardel, o Machado de Assis incompreendido.

Na imagem, Jardel (mais à esquerda), Dinho (também à esquerda), Carlos Miguel (centro), Paulo Nunes (à direita) e Danrlei (mais da direita). Foto: Lucas Uebel
Na imagem, Jardel (mais à esquerda), Dinho (também à esquerda), Carlos Miguel (centro), Paulo Nunes (à direita) e Danrlei (mais da direita) (Foto: Lucas Uebel)

Eis aí um curioso caso de alguém que não sabe contar. Ou não faz ideia do que seja uma DUPLA. Jardel nega a autoria da frase.

7. “Esse juiz é ladrão, tem que chamar o FMI” – Dimba, atual atacante do Sobradinho com 41 anos.

No jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil de 2007, o Brasiliense foi até o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense e saiu com uma derrota por 4 a 2. A arbitragem, fortemente questionada, foi alvo da fúria de Dimba, atacante da equipe na época, na entrevista pós-jogo. Só faltou utilizar os termos corretos. Afinal, a instituição financeira da ONU não vai ajudar muito nesse caso…

6.O futebol é um esporte terrestre” – Antônio Lopes, atual gerente de futebol do Botafogo.

Conhecido por seus métodos rígidos de treinamento, por vezes se excedeu nas palavras. Foto: Site oficial do Atlético-PR/Divulgação
Conhecido por seus métodos rígidos de treinamento, por vezes se excedeu nas palavras (Foto: Site oficial do Atlético-PR/Divulgação)

Existe a lenda de que o ex-delegado teria dito isso para pedir que seus comandados jogassem com a bola no chão. Sua origem é desconhecida e não se sabe por qual dos mais de 20 clubes por onde passou. No final das contas, não deixa de estar certo.

5. “Que merda, hein? Sabia não” – Marinho, meia do Cruzeiro.

Ao final da partida contra o Santa Cruz, em jogo válido pela Série B em 2015, Marinho é informado que está fora do próximo jogo do Ceará pelo Brasileirão, por ter sofrido o terceiro cartão amarelo. O resto você confere no vídeo.

4. “Quero agradecer à Antarctica pelas Brahmas que nos enviou” – novamente ele, Vicente Matheus.

É preciso comentar?

3. “O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.” – Vicente Matheus. Não, não estamos tentando pegar no pé dele não.

Sócrates comemorando um gol sobre o Santos no Campeonato Paulista de 1981. Foto: Folhapress
Sócrates comemorando um gol sobre o Santos no Campeonato Paulista de 1981 (Foto: Folhapress)

Em meados da década de 1980, Sócrates vinha sendo almejado por grandes clubes europeus. Vicente Matheus, folclórico presidente do clube na época, desferiu essa bela pérola. “A frase sobre o Sócrates foi sensacional. Na realidade, ele quis dizer que o jogador não seria vendido nem emprestado a outro clube”, constata Gilson Piber, professor de Jornalismo.

Se a frase teve real efeito na prática, não se sabe. Fato mesmo foi que Sócrates deixou o Corinthians para atuar pela Fiorentina-ITA em 1984, encerrando seu ciclo na equipe paulista com 172 gols em 289 jogos.

2. “A moto eu vou vender, e o rádio eu vou dar pra minha tia” – Biro Biro, carismático atacante do Corinthians entre 1978 e 1988.

Ok, entendi. Foto: Sergio Berezovsky
Quem não erra, né? (Foto: Sergio Berezovsky)

Em certa partida, Biro Biro recebeu o prêmio de melhor jogador: um motorádio. Perguntado sobre o que iria fazer com isto, pensou que havia ganho uma moto E um rádio. Sim. E o desconhecimento o levou a proferir esta frase.

1. “Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG.” – Mengálvio, meio-campista campeão da Copa do Mundo de 1962

Mengálvio (o 2º da esquerda para a direita) também foi bicampeão mundial com o Santos em 1962 e 1963. Foto: Museu dos Esportes.
Mengálvio (o 2º da esquerda para a direita) também foi bicampeão mundial com o Santos em 1962 e 1963 (Foto: Museu dos Esportes)

Sim, ele fez isso. Em viagem à Europa, resolveu comunicar a sua chegada ao Brasil nesse dia, nessa data, nesse voo. Isso chega a ser tão ridículo que não duvido que alguém tenha escrito o “de surpresa” antes do envio do telegrama.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Em busca de um sonho de criança, centenas de pessoas largam os estudos em busca de uma carreira futebolística. Talvez por isso, a imensa maioria destes, provinda geralmente de famílias extremamente carentes, nunca se caracterizou pelas suas habilidades discursivas. Porém, existem ocasiões em que estes se superam, seja pelo cansaço, pela falta de argumentos ou pelo baixo nível educacional. Tal se reflete até mesmo em dirigentes, por vezes tão amadores que falam mais do que devem.

O professor de jornalismo da Unifra Gilson Piber acredita que muito disso se deve ao baixo aprendizado escolar da considerável maioria dos atletas: “A maioria dos jogadores tem um grau de instrução muito baixo. Então, muitos se atrapalham quando dão entrevistas, repetem muitas frases e ferem o uso da Língua Portuguesa. O mesmo ocorre com alguns dirigentes, também formados na dita “escola da vida”. E completa: “As frases fazem parte do folclore do futebol brasileiro. Seria interessante os jogadores também estudarem. Até porque a carreira de jogador tem um limite e muitos gastam o dinheiro ganho e não se preparam para o futuro. Quando a carreira acaba, alguns atletas ficam em dificuldades até para a manutenção básica.”

Elaboramos uma lista com 11 frases que simplesmente não fazem sentido algum.

11. “Clássico é clássico e vice-versa” – Jardel, ex-atacante de Grêmio, Sporting, Porto e da Seleção Brasileira.

Jardel não se destacou apenas por seu desempenho em campo. Foto: Arquivo LANCE!
Jardel não se destacou apenas por sua habilidade com a bola (Foto: Arquivo LANCE!)

Jardel ficou conhecido tanto por seu grande desempenho em campo como também pelas frases inusitadas. No caso, a frase havia sido dita às vésperas de um clássico.

Posteriormente, negou a autoria da frase.

10. “A gente vem jogar aqui na Paraíba, escalam um juiz paraíba e acontece isso” – Edmundo, ex-atacante e atual comentarista da TV Bandeirantes.

O “animal”, como era apelidado, foi uma das figuras mais polêmicas da história do futebol brasileiro. Provocou rivais e até mesmo companheiros, como Romário quando ambos estavam no Vasco. Em 1997, o jogador fora expulso em partida no nordeste. Tudo bem, o jogador estava bravo e acabou exagerando na fala, certo? Até pode ser. O único problema é que o jogo foi contra o América-RN… em Natal. Sabe o que é o pior? O árbitro era cearense.

De cabeça fria, Edmundo tentou justificar que costuma chamar todas as pessoas vindas do nordeste de “paraíba”. Bom, foi meio difícil convencer alguém disso. Confira no vídeo acima.

9. “O difícil, como vocês sabem, não é fácil” – Vicente Matheus, empresário espanhol e presidente do Corinthians por 8 mandatos.

vicentematheus
Irreverente, Vicente Matheus colecionou frases bizarras

Vicente Matheus foi uma figura folclórica dentro do futebol. Gilson Piber pontua que ele sempre esteve nas principais listas de frases engraçadas. Dirigente à moda antiga, muitas pessoas próximas afirmam que certas máximas criadas por ele eram propositais. Nesse caso, é bem possível que tenha sido isso.

8. “Eu, o Paulo Nunes e o Dinho vamos fazer uma dupla sertaneja” – Jardel, o Machado de Assis incompreendido.

Na imagem, Jardel (mais à esquerda), Dinho (também à esquerda), Carlos Miguel (centro), Paulo Nunes (à direita) e Danrlei (mais da direita). Foto: Lucas Uebel
Na imagem, Jardel (mais à esquerda), Dinho (também à esquerda), Carlos Miguel (centro), Paulo Nunes (à direita) e Danrlei (mais da direita) (Foto: Lucas Uebel)

Eis aí um curioso caso de alguém que não sabe contar. Ou não faz ideia do que seja uma DUPLA. Jardel nega a autoria da frase.

7. “Esse juiz é ladrão, tem que chamar o FMI” – Dimba, atual atacante do Sobradinho com 41 anos.

No jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil de 2007, o Brasiliense foi até o Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense e saiu com uma derrota por 4 a 2. A arbitragem, fortemente questionada, foi alvo da fúria de Dimba, atacante da equipe na época, na entrevista pós-jogo. Só faltou utilizar os termos corretos. Afinal, a instituição financeira da ONU não vai ajudar muito nesse caso…

6.O futebol é um esporte terrestre” – Antônio Lopes, atual gerente de futebol do Botafogo.

Conhecido por seus métodos rígidos de treinamento, por vezes se excedeu nas palavras. Foto: Site oficial do Atlético-PR/Divulgação
Conhecido por seus métodos rígidos de treinamento, por vezes se excedeu nas palavras (Foto: Site oficial do Atlético-PR/Divulgação)

Existe a lenda de que o ex-delegado teria dito isso para pedir que seus comandados jogassem com a bola no chão. Sua origem é desconhecida e não se sabe por qual dos mais de 20 clubes por onde passou. No final das contas, não deixa de estar certo.

5. “Que merda, hein? Sabia não” – Marinho, meia do Cruzeiro.

Ao final da partida contra o Santa Cruz, em jogo válido pela Série B em 2015, Marinho é informado que está fora do próximo jogo do Ceará pelo Brasileirão, por ter sofrido o terceiro cartão amarelo. O resto você confere no vídeo.

4. “Quero agradecer à Antarctica pelas Brahmas que nos enviou” – novamente ele, Vicente Matheus.

É preciso comentar?

3. “O Sócrates é invendável, inegociável e imprestável.” – Vicente Matheus. Não, não estamos tentando pegar no pé dele não.

Sócrates comemorando um gol sobre o Santos no Campeonato Paulista de 1981. Foto: Folhapress
Sócrates comemorando um gol sobre o Santos no Campeonato Paulista de 1981 (Foto: Folhapress)

Em meados da década de 1980, Sócrates vinha sendo almejado por grandes clubes europeus. Vicente Matheus, folclórico presidente do clube na época, desferiu essa bela pérola. “A frase sobre o Sócrates foi sensacional. Na realidade, ele quis dizer que o jogador não seria vendido nem emprestado a outro clube”, constata Gilson Piber, professor de Jornalismo.

Se a frase teve real efeito na prática, não se sabe. Fato mesmo foi que Sócrates deixou o Corinthians para atuar pela Fiorentina-ITA em 1984, encerrando seu ciclo na equipe paulista com 172 gols em 289 jogos.

2. “A moto eu vou vender, e o rádio eu vou dar pra minha tia” – Biro Biro, carismático atacante do Corinthians entre 1978 e 1988.

Ok, entendi. Foto: Sergio Berezovsky
Quem não erra, né? (Foto: Sergio Berezovsky)

Em certa partida, Biro Biro recebeu o prêmio de melhor jogador: um motorádio. Perguntado sobre o que iria fazer com isto, pensou que havia ganho uma moto E um rádio. Sim. E o desconhecimento o levou a proferir esta frase.

1. “Chegarei de surpresa dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG.” – Mengálvio, meio-campista campeão da Copa do Mundo de 1962

Mengálvio (o 2º da esquerda para a direita) também foi bicampeão mundial com o Santos em 1962 e 1963. Foto: Museu dos Esportes.
Mengálvio (o 2º da esquerda para a direita) também foi bicampeão mundial com o Santos em 1962 e 1963 (Foto: Museu dos Esportes)

Sim, ele fez isso. Em viagem à Europa, resolveu comunicar a sua chegada ao Brasil nesse dia, nessa data, nesse voo. Isso chega a ser tão ridículo que não duvido que alguém tenha escrito o “de surpresa” antes do envio do telegrama.