Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

“O riso é a palavra da alma”

Nesta sexta-feira (6) é comemorado o Dia Nacional do Riso. Kauanni Piaia faz parte da ONG Infância-Ação desde 2010. Ela iniciou como voluntária de projetos e depois ingressou administração. Hoje, ela é uma das coordenadoras do projeto Fazendo Rir. Segundo Kauanni, o principal objetivo da ONG é fazer parte de uma corrente do bem.  “As crianças são o futuro e precisamos cuidar do futuro”, diz.

Plano Americano (2)
Palhaços alegrando os santa-marienses na Praça Saldanha Marinho (Foto: Laboratório de Fotografia e Memória)

Para isso, o projeto tenta mudar de alguma maneira a vida das crianças, através da dedicação, da boa vontade e do amor. Os projetos que a ONG desempenha são o Clubinho de Línguas, Eureka!, Fazendo Rir, Parceria Amor-Exigentinho, Saúde em Ação, Turma do Chiquinho.

Daniela Sopezki, psicóloga, instrutora de yoga e mindfulness explica que, as razões que despertam o riso são muito subjetivas,  depende do senso de humor, das preferências das pessoas e da flexibilidade psicológica. Mas, estar aberto é condição essencial. “O simples ato de sorrir pode o deixar mais alegre, mesmo que forçado. E que se você sorri, outros também sorrirão de volta, reforçando sua alegria. É um ciclo virtuoso. Por isso existem clubes de risada em alguns países do mundo, as pessoas se reúnem para dar gargalhada. Primeiro basta querer, depois dar uma forçadinha e o clima vai contagiando”.

“Se eu tivesse que aconselhar alguém que passa por um momento difícil, eu diria que o sofrimento não passa de uma hora para a outra e que às vezes ele pode permanecer ali,  que nem tudo é justo nesse mundo. Mas a gente aprende com o sofrimento e assim se torna mais forte. Diria, na verdade, para essa pessoa não desistir nem desanimar, pois somente assim é possível amenizar o sofrimento e lutar contra ele”, disse Kauanni.

DSC_0031
Palhaços alegrando os Santamarienses na Praça Saldanha Marinho (Foto: Laboratório de Fotografia e Memória).

A psicóloga também destaca que a outra forma de despertar a alegria é querendo! O corpo é extremamente sensível aos mais sutis sinais das emoções que circulam através da mente. “O corpo detecta os pensamentos quase antes de terem sido conscientemente registrados por  nós mesmos e muitas vezes reage como se eles fossem sólidos e reais eventos a combater,  independentemente se os pensamentos reflitam o mundo  com precisão ou não”, explica. Sabendo disso, alguns experimentos foram realizados para identificar a relação do movimento com o humor. Daí também deriva o yoga do riso, sabemos que movimentos e posturas tem um reflexo emocional, por isso as posturas no yoga são chamadas de psico-físicas.

Para a voluntária da ONG Infância-Ação, o riso é a palavra da alma. É uma das maneiras de enxergar o mundo de outra perspectiva, onde tudo parece ter uma solução. É o instante onde se esquece dos problemas e onde a felicidade toma conta.

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nesta sexta-feira (6) é comemorado o Dia Nacional do Riso. Kauanni Piaia faz parte da ONG Infância-Ação desde 2010. Ela iniciou como voluntária de projetos e depois ingressou administração. Hoje, ela é uma das coordenadoras do projeto Fazendo Rir. Segundo Kauanni, o principal objetivo da ONG é fazer parte de uma corrente do bem.  “As crianças são o futuro e precisamos cuidar do futuro”, diz.

Plano Americano (2)
Palhaços alegrando os santa-marienses na Praça Saldanha Marinho (Foto: Laboratório de Fotografia e Memória)

Para isso, o projeto tenta mudar de alguma maneira a vida das crianças, através da dedicação, da boa vontade e do amor. Os projetos que a ONG desempenha são o Clubinho de Línguas, Eureka!, Fazendo Rir, Parceria Amor-Exigentinho, Saúde em Ação, Turma do Chiquinho.

Daniela Sopezki, psicóloga, instrutora de yoga e mindfulness explica que, as razões que despertam o riso são muito subjetivas,  depende do senso de humor, das preferências das pessoas e da flexibilidade psicológica. Mas, estar aberto é condição essencial. “O simples ato de sorrir pode o deixar mais alegre, mesmo que forçado. E que se você sorri, outros também sorrirão de volta, reforçando sua alegria. É um ciclo virtuoso. Por isso existem clubes de risada em alguns países do mundo, as pessoas se reúnem para dar gargalhada. Primeiro basta querer, depois dar uma forçadinha e o clima vai contagiando”.

“Se eu tivesse que aconselhar alguém que passa por um momento difícil, eu diria que o sofrimento não passa de uma hora para a outra e que às vezes ele pode permanecer ali,  que nem tudo é justo nesse mundo. Mas a gente aprende com o sofrimento e assim se torna mais forte. Diria, na verdade, para essa pessoa não desistir nem desanimar, pois somente assim é possível amenizar o sofrimento e lutar contra ele”, disse Kauanni.

DSC_0031
Palhaços alegrando os Santamarienses na Praça Saldanha Marinho (Foto: Laboratório de Fotografia e Memória).

A psicóloga também destaca que a outra forma de despertar a alegria é querendo! O corpo é extremamente sensível aos mais sutis sinais das emoções que circulam através da mente. “O corpo detecta os pensamentos quase antes de terem sido conscientemente registrados por  nós mesmos e muitas vezes reage como se eles fossem sólidos e reais eventos a combater,  independentemente se os pensamentos reflitam o mundo  com precisão ou não”, explica. Sabendo disso, alguns experimentos foram realizados para identificar a relação do movimento com o humor. Daí também deriva o yoga do riso, sabemos que movimentos e posturas tem um reflexo emocional, por isso as posturas no yoga são chamadas de psico-físicas.

Para a voluntária da ONG Infância-Ação, o riso é a palavra da alma. É uma das maneiras de enxergar o mundo de outra perspectiva, onde tudo parece ter uma solução. É o instante onde se esquece dos problemas e onde a felicidade toma conta.