Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Serviço Social e a Redução da Maioridade Penal

Na manhã desta sexta-feira,10, no Salão Azul do Conjunto I do Centro Universitário Franciscano, ocorreu a aula inaugural do curso de Serviço Social. Na oportunidade, o tema Redução da Maioridade Penal e seu impacto para a sociedade foi debatido. Participaram do debate o diretor da CASE ,Robson Zinn, as assistentes sociais Socorro Portollann e Leila Moura.

Socorro Portollann, representante do Cededica (Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente), defende que os jovens de 12 anos já pagam pelos seus atos por meio das medidas sócio educativas. No entendimento da assistente social,  é dessa forma que esses jovens são punidos.

Robson Zinn e Leila Moura comentaram que a entidade abrange cerca de 40 municípios. A assistente social Leila acredita que se aprovada esse projeto, não vai diminuir a criminalidade.

Segundos dados do Programa de Oportunidade e Direitos, com ajuda da Secretária Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos, por volta de 65% dos jovens atendidos pela Case saíram trabalhando.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação do Centro Universitário Franciscano

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Na manhã desta sexta-feira,10, no Salão Azul do Conjunto I do Centro Universitário Franciscano, ocorreu a aula inaugural do curso de Serviço Social. Na oportunidade, o tema Redução da Maioridade Penal e seu impacto para a sociedade foi debatido. Participaram do debate o diretor da CASE ,Robson Zinn, as assistentes sociais Socorro Portollann e Leila Moura.

Socorro Portollann, representante do Cededica (Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente), defende que os jovens de 12 anos já pagam pelos seus atos por meio das medidas sócio educativas. No entendimento da assistente social,  é dessa forma que esses jovens são punidos.

Robson Zinn e Leila Moura comentaram que a entidade abrange cerca de 40 municípios. A assistente social Leila acredita que se aprovada esse projeto, não vai diminuir a criminalidade.

Segundos dados do Programa de Oportunidade e Direitos, com ajuda da Secretária Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos, por volta de 65% dos jovens atendidos pela Case saíram trabalhando.

 

Com informações da Assessoria de Comunicação do Centro Universitário Franciscano