Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Palestra sobre a escrita acadêmica abre o XVI InLetras, I SIEHL e VIII PIBID

Conferência de abertura do XVI In Letras, I SIEHL e VII PIBID. Foto: Juliano Dutra, Labfem

Na noite da terça-feira,22, ocorreu a conferência de abertura do XVI InLetras, I Seminário Interdisciplinar de Ensino de Humanidades e Linguagens (SIEHL) e VII Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID), realizada no Salão de Atos do prédio 13 da Unifra e com o tema “Para além da alfabetização acadêmica: as funções da escrita no ensino superior”.

O evento foi coordenado pela professora Valéria Bortoluzzi e organizado pela professora Najara Pinheiro Ferrari, tendo Federico Navarro como convidado.

Navarro  é licenciado em Letras pela Universidade de Buenos Aires, diplomado em Estudos Avançados e doutor em Análise do Discurso pela Universidade de Valladolid na Espanha. Se especializou em análise, ensino, gestão da leitura, escrita e oralidade acadêmicas e profissionais em educação média e superior. É investigador docente regular da Universidade de Buenos Aires e do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (CONICET); sendo diretor do projeto de investigação na Universidade do Chile. Além disso, é criador da oficina de leitura e escrita de gêneros acadêmicos e do Programa de escrita na escola e representante argentino da Rede Internacional de Investigações e Iniciativas de Leitura e Escrita na Educação Superior em Latinoamérica (ILEES).

A palestra foi organizada a partir de três questões principais: O que é a escrita? O que é a escrita na educação superior? Quais as funções da escrita no formação acadêmica?.

O palestrante explicou cada uma das perguntas de maneira geral durante o evento, destacando nove “ideias-força” sobre a importância da escrita. Federico a definiu como empoderadora, epistêmica, expressiva, habilitante e retórica; defendendo a necessidade de semear o aprendizado da escrita no meio acadêmico, para que as universidades não reproduzam a situação qualitativa social.

Matéria realizada em conjunto com Elizabeth Lima

 

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conferência de abertura do XVI In Letras, I SIEHL e VII PIBID. Foto: Juliano Dutra, Labfem

Na noite da terça-feira,22, ocorreu a conferência de abertura do XVI InLetras, I Seminário Interdisciplinar de Ensino de Humanidades e Linguagens (SIEHL) e VII Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID), realizada no Salão de Atos do prédio 13 da Unifra e com o tema “Para além da alfabetização acadêmica: as funções da escrita no ensino superior”.

O evento foi coordenado pela professora Valéria Bortoluzzi e organizado pela professora Najara Pinheiro Ferrari, tendo Federico Navarro como convidado.

Navarro  é licenciado em Letras pela Universidade de Buenos Aires, diplomado em Estudos Avançados e doutor em Análise do Discurso pela Universidade de Valladolid na Espanha. Se especializou em análise, ensino, gestão da leitura, escrita e oralidade acadêmicas e profissionais em educação média e superior. É investigador docente regular da Universidade de Buenos Aires e do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas (CONICET); sendo diretor do projeto de investigação na Universidade do Chile. Além disso, é criador da oficina de leitura e escrita de gêneros acadêmicos e do Programa de escrita na escola e representante argentino da Rede Internacional de Investigações e Iniciativas de Leitura e Escrita na Educação Superior em Latinoamérica (ILEES).

A palestra foi organizada a partir de três questões principais: O que é a escrita? O que é a escrita na educação superior? Quais as funções da escrita no formação acadêmica?.

O palestrante explicou cada uma das perguntas de maneira geral durante o evento, destacando nove “ideias-força” sobre a importância da escrita. Federico a definiu como empoderadora, epistêmica, expressiva, habilitante e retórica; defendendo a necessidade de semear o aprendizado da escrita no meio acadêmico, para que as universidades não reproduzam a situação qualitativa social.

Matéria realizada em conjunto com Elizabeth Lima