Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Manchete

Dezembro Vermelho: último mês do ano marca o combate das ISTs

A campanha do Dezembro Vermelho, que vem ao combate às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), foi promulgada em 2017 no Brasil e visa conscientizar, por meio de ações públicas, que abordam sobre a importância da assistência, prevenção

Saiba tudo sobre o Vestibular de Verão 2024 da UFN

Neste sábado, dia 18 de novembro, ocorre o Vestibular de Verão da UFN, que espera mais de mil candidatos para a realização da prova. A UFN oferece 32 cursos, sendo 25 presenciais, 5 semipresenciais e 2

UFN TV comemora 15 anos de história

A emissora de televisão da UFN (Universidade Franciscana) teve a sua 1 º transmissão em 19 de maio de 2008 como TV UNIFRA, sendo inaugurada como um dos laboratórios de ensino para os acadêmicos dos cursos

Religião brasileira completa 114 anos de existência

”A umbanda é paz e amor; é um mundo cheio de luz”. Assim diz o hino da umbanda, composto por José Manoel Alves (letra) e Dalmo da Trindade Reis (música), em 1961. A umbanda, religião que

A campanha do Dezembro Vermelho, que vem ao combate às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), foi promulgada em 2017 no Brasil e visa conscientizar, por meio de ações públicas, que abordam sobre a importância da assistência, prevenção e proteção dos direitos das pessoas infectadas com HIV. A iniciativa, realizada em todo o país, abrange o Sistema Único de Saúde (SUS) em parceria com administração pública de cada estado e cidade. Originalmente, a campanha foi instituída através da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1991. A denominação ISTs substituiu a sigla DSTs, Doenças Sexualmente Transmissíveis, e é usada como meio de explicar a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir a infecção, mesmo ela não tendo sinais ou sintomas.

Dia 1 de dezembro é a data que marca a importância a conscientização sobre precauções, sintomas e tratamento da AIDS. Foto: Freepik

As ISTs são causadas por vírus, bactérias ou microrganismos transmitidas por meio de relações sexuais (oral, vaginal, anal) sem o uso de preservativo masculino ou feminino com a pessoa que está infectada. A transmissão pode ocorrer também de maneira não-sexual através do contato de mucosas ou pele não íntegra com secreções corporais contaminadas.

Entre os sintomas das ISTs estão feridas, corrimento, verrugas anogenitais, dor pélvica, lesões de pele e aumentos de ínguas. Alguns tipos de ISTs são: herpes genital, sífilis, gonorreia, tricomoníase, infecção pelo HIV, hepatites virais B e C , entre outros. O tratamento pode ser realizado de forma gratuita através do SUS.

HIV ainda preocupa

A AIDS ou HIV é uma IST causada por meio da infecção do Vírus da Imunodeficiência Humana, conhecida também por HIV. O Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, 1º de dezembro, foi instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma data simbólica de conscientização para todos os povos sobre a epidemia de Aids.

A transmissão ocorre devido a relações sexuais sem o uso do preservativo masculino ou feminino, uso de seringa por mais de uma pessoa, transmissão de sangue contaminado, da mãe infectada para seu filho durante gravidez no parto ou amamentação, e por instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Os primeiros sintomas da doença surgem entre duas e quatro semanas após o contato com o vírus e são parecidos com os de gripe. A próxima fase é caracterizada pela alta interação entre as células do corpo e as mutações do vírus, e é quando o corpo fica assintomático. Mais tarde, o ataque às células aumenta o gera um desgaste no corpo, o que deixa o sistema imunológico mais sensível a várias infecções. Em um estágio mais avançado o paciente pode desenvolver hepatites virais. O diagnóstico da doença é realizado por meio de um teste a partir da coleta de sangue ou fluido oral de forma gratuita pelo SUS.

O tratamento é realizado mediante o uso de medicamentos antiretrovirais (ARV) que surgiram na década de 80 e impedem a multiplicação do HIV no organismo, o que evita o enfraquecimento do sistema imunológico. Desde 1996, o Brasil disponibiliza de forma gratuita os ARV e, na atualidade, existem 22 medicamentos. Em 2022, a AIDS entrou oficialmente na Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças, que tem por objetivo auxiliar o planejamento de saúde, definir prioridades de intervenção e permitir o impacto que estas intervenções trazem para a erradicação da doença.

No Rio Grande do Sul, a implementação dessas medidas vem acompanhada de outras estratégias, como a manutenção do Projeto Geração Consciente, iniciativa da Secretaria Estadual da Saúde em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, UNESCO, UNAIDS e RS Seguro, dirigido a jovens estudantes de escolas estaduais e municipais em que um dos eixos trabalhados é a saúde sexual e reprodutiva.

Entre as capitais do país, Porto Alegre é a que apresentou maior índice de infectados em um levantamento dos últimos cinco anos (2018 a 2022) que leva em consideração as taxas de detecção na população geral , mortalidade e detecção em menores de 5 anos. Até junho de 2023, o estado do Rio Grande do Sul registrou 1.206 casos de AIDS. Em relação ao coeficiente de mortalidade, o RS apresenta o maior do país: 7,3 óbitos por 100 mil habitantes, enquanto a média nacional é de 4,1.

Neste sábado, dia 18 de novembro, ocorre o Vestibular de Verão da UFN, que espera mais de mil candidatos para a realização da prova. A UFN oferece 32 cursos, sendo 25 presenciais, 5 semipresenciais e 2 EaD.

A prova de Medicina consiste em 50 questões objetivas sendo 5 questões de cada disciplina, sendo elas língua portuguesa, matemática, física, biologia, língua estrangeira, química, literatura brasileira, geografia, história e filosofia, mais a prova de redação. A prova será realizada das 13h30 até as 17h30, com duração de 4h, no Conjunto III, prédio 13.

Já a prova para os demais cursos é de redação e tem duração de 2h, começando as 13h30 e terminando as 15h30. A prova será aplicada no prédio 14 do Conjunto III. Candidatos com necessidades especiais tem uma hora a mais de prova.

Vestibular de Verão UFN 2024. Imagem: site da UFN.

O gabarito preliminar da prova de Medicina será divulgado no dia 18 de novembro (sábado), a partir das 18h30 no site. Já o gabarito definitivo, transcorrido o prazo para recurso, será disponibilizado no site do Vestibular da UFN até às 18h do dia 20 de novembro (segunda-feira). A lista dos aprovados em todos os cursos será divulgada no dia 24 de novembro (sexta-feira) às 15h, de forma presencial no Hall do Prédio 15 da UFN. A partir da 16h o resultado estará disponível no site da UFN (www.ufn.edu.br/vestibular) para consulta individual dos candidatos.

Já a matrícula para o curso de Medicina na primeira chamada ocorre de forma presencial nos dias 28 e 29 de novembro, das 8h às 18h, na Central de Atendimento da UFN, localizada à Rua Dos Andradas, nº 1614. Já para os demais cursos, as matrículas serão feitas de forma digital por meio do acesso individual do candidato ao Portal do Aluno (www.ufn.edu.br/Minhaufn),  nos dias 28 e 29 de novembro de 2023, no horário das 8h às 18h.

A UFN oferece na modalidade presencial os cursos de Administração (Diurno), Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Design, Design de Moda, Direito (Diurno e Noturno), Enfermagem, Engenharia Biomédica, Engenharia Civil, Engenharia Química, Engenharia de Produção, Farmácia, Física Médica, Fisioterapia, Jogos Digitais, Jornalismo, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Publicidade e Propaganda, Radiologia e Sistemas de Informação. No modo semipresencial são oferecidos Filosofia, História, Letras Português e Inglês, Matemática e Pedagogia. Já em EaD os estudantes podem cursar Gestão de Recursos Humanos e Pedagogia.

A Universidade Franciscana realiza o Vestibular de Inverno na próxima segunda-feira, dia 5 de junho. Para o curso de Medicina a prova é presencial. São 817 candidatos inscritos para o curso de Medicina, com horário de começo das provas previsto para 13h30. Ao meio-dia e meio os portões do conjunto III, onde ocorrem as provas, serão abertos. Os candidatos tem até às 17h30 para finalizar, sendo que àqueles com necessidades especiais têm uma hora a mais.

Provas do vestibular de Medicina

  • Prova objetiva com 50 questões mais uma prova de redação
  • Redação
  • Língua portuguesa: cinco questões
  • Matemática: cinco questões
  • Física: cinco questões
  • Biologia: cinco questões
  • Língua estrangeira: cinco questões
  • Química: cinco questões
  • Literatura brasileira: cinco questões
  • Geografia: cinco questões
  • História: cinco questões
  • Filosofia: cinco questões

O gabarito será divulgado a partir das 18h30 pelo www.ufn.edu.br. A divulgação digital dos aprovados em Medicina será no dia 12 de junho, segunda-feira, às16h no site www.ufn.edu.br/vestibular .

Para os demais cursos, o processo seletivo é por meio de redação on-line UFN, que acontece em fluxo contínuo até o preenchimento das vagas. Também foi possível concorrer as vagas destes cursos por meio da utilização da nota de redação do ENEM de 2016 a 2022 ou do aproveitamento da nota de Redação UFN de 2019 a 202.

A emissora de televisão da UFN (Universidade Franciscana) teve a sua 1 º transmissão em 19 de maio de 2008 como TV UNIFRA, sendo inaugurada como um dos laboratórios de ensino para os acadêmicos dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, segundo nos relata a coordenadora Bruna Taschetto.

A UFN TV atualmente conta com 6 programas: Coma Bem, Universo Acadêmico, Provoc[a]rte, Novas Fronteiras, O Tema é Direito e Saúde em Foco. Também apresenta interprogramas e drops semanais, como o “Minutos de Sabedoria”, da Pastoral Universitária.

Ao longo de 15 anos, vários profissionais e acadêmicos passaram pelos estúdios da TV universitária e levam com carinho os ensinamentos deste tempo em que estiveram praticando na UFN TV, como é o caso da repórter Laiz Lacerda que é egressa do curso de Jornalismo da UFN e apresentadora do programa de saúde mental e ciência Novas Fronteiras. “Quando eu era estudante, gravava o programa Informação na rádio, e ele era replicado na TV, os cinegrafistas vinham e faziam as imagens”

Repórter Laiz Lacerda é integrante da equipe da UFN TV . Foto: Fernanda Mezenes/ASSECOM

Segundo Laiz, participar desta transição entre rádio e TV ainda na época de aluna foi muito especial, pois através disto muito do que ela aprendeu aqui na UFN, hoje é utilizado no seu trabalho como repórter e apresentadora da UFN TV. Ela ainda conta que sempre brincou com os professores que um dia iria voltar à universidade e isto aconteceu quando Laiz retornou a UFN TV em 2021. “Ver todo o reconhecimento do meu trabalho e poder replicar tudo que eu pude aprender aqui dentro, levar informação não só para os acadêmicos , como também para o público externo, é muito gratificante”. Por meio da sua profissão, Laiz enfatiza a importância da veracidade da informação. ” Esse é o nosso papel, levar todos os dias a informação de qualidade com muita credibilidade para falar sobre aquilo que acontece tanto aqui dentro, como fora”

A diretora da emissora, Bruna Taschetto, concorda que o papel da UFN TV é de levar informação com credibilidade e apresentar os eventos em múltiplos formatos importantes para a comunidade. “Tem muitos eventos importantes científicos e acadêmicos que não podem ficar só aqui na instituição e devem ser levados para fora”

A trajetória de Bruna se funde com a da UFN TV pois ela começou em 2017 como repórter, e em 2021 assumiu a missão de comandar a equipe da UFN TV. Ela comentou que foi um grande desafio: ” Eu sou muito grata a Universidade Franciscana por ter me dado oportunidade de poder estar aqui comunicando o cotidiano da universidade para toda comunidade interna e externa”

Bruna também ressalta o papel da UFN TV para os próximos 5 anos que é destacar a importância do papel do jornalista na sociedade atual. Segundo a diretora, sempre foi fundamental o trabalho do jornalista na sociedade, mas este papel se tornou essencial especialmente por conta das mídias digitais que potencializam a desinformação, em que qualquer pessoa pode compartilhar algo sem verificar a fonte, o que pode vir a causar diversos prejuízos na sociedade.

Diretora da UFN TV Bruna Taschetto. Foto: Luiza Silveira / LABFEM

Já para a vice – reitora da UFN, professora Solange Fagan, a área da TV como um todo sofre impacto por meio das tecnologias digitais, que nos últimos 15 anos mudaram completamente a relação das pessoas. A própria UFN TV também precisou buscar outras maneiras de se comunicar não só com a própria UFN, mas também com o público de fora. “A TV amplia o relacionamento da UFN com a comunidade”, afirma a professora.


Durante as comemorações foi realizada a gravação do Universo Acadêmico, que foi ao ar na última quinta – feira (18). O momento festivo contou com a presença dos cantores Daiane Diniz e Rodrigo Cunha. O bolo foi produzido pela equipe do programa de alimentação saudável Coma Bem da UFN TV.

Equipe da UFN TV: Daniel Quartiero, Márcio Santos. Manoel Vicente, Bruna Taschetto, Jefferson Andrade, Laiz Lacerda, Vinícius Fonseca, Juliana Farias, Denzel Valente e Caroline Freitas. Foto: Laura Fabrício/LABFEM

Confira o Universo Acadêmico na íntegra gravado durante o evento.

”A umbanda é paz e amor; é um mundo cheio de luz”. Assim diz o hino da umbanda, composto por José Manoel Alves (letra) e Dalmo da Trindade Reis (música), em 1961. A umbanda, religião que surgiu no Brasil em 15 de novembro de 1908, completou seus 114 anos ontem.  Com forte influência de outras religiões, ela mistura elementos do candomblé, do espiritismo e do catolicismo.

Com diversas linhas de trabalho, essa religião busca trazer conforto espiritual e material para os necessitados, por meio da incorporação de espíritos de luz em médiuns. Mediunidade é a capacidade que muitas pessoas têm de se comunicar com os desencarnados, seja por meio da visão, da audição, de sonhos ou até mesmo da incorporação. 

A falta de conhecimento sobre a religião faz com que muitas pessoas tenham medo de frequentar os terreiros, ou templos, como são chamados os espaços destinados à prática da umbanda. É importante dizer que na incorporação não acontece de a alma do médium sair do corpo para que outra possa entrar, muito menos de qualquer espírito ”incorporar “. O  que ocorre, depois da preparação e do desenvolvimento do médium, é a ligação entre a alma do médium e do espírito de luz (guia ou entidade). Isso só deve ocorrer com a permissão de um Pai de Santo e de um Diretor Espiritual em algum terreiro que seja preparado.

Sessão de Preto Velho aberta ao público no Centro de Umbanda Caboclo Tupiriciguá e Pai Benedito de Aruanda.

Muitas vezes, a umbanda é confundida com outras religiões como o candomblé. Entre suas diferenças, está a origem. O Candomblé é uma religião afro-brasileira, originária da África, trazida pelos povos escravizados e sofreu algumas alterações ao chegar no Brasil. Enquanto isso, a Umbanda é uma religião brasileira, que começou no Rio de Janeiro. Dentre outras diferenças das religiões, o Candomblé trabalha com pontos (cantigas) em iorubá (língua nígero-congolesa), e nas incorporações os médiuns ficam inconscientes e incorporam o próprio orixá. Já na Umbanda, os pontos cantados são em português e não há incorporação de orixás, pois acredita-se que nenhum ser humano poderia receber a energia divina deles, então, quem incorpora são espíritos de luz que vibram na força de um dos orixás.

A umbanda trabalha com diversas linhas e as mais conhecidas são os caboclos (espíritos de índios), os pretos-velhos (espíritos de negros que foram escravizados) e os exus (espíritos que buscam a redenção de seus erros por meio da caridade). O principal lema da religião é o amor e a caridade, por isso, em casas de Lei*, não são feitos de forma alguma trabalho para prejudicar alguém. Acredita-se que o livre-arbítrio deve ser respeitado e o universo irá devolver as energias que você emana.

Os passes podem ser coletivos e individuais.

Segundo Ronaldo Dias Gonçalves, de 61 anos, dirigente do Centro de Umbanda Caboclo Tupiriciguá e Pai Benedito de Aruanda, e Pai de Santo há mais de 40 anos, a umbanda representa os caminhos da evolução moral e espiritual, por meio da pregação da fé, do amor, da humildade e da caridade. Com a mistura de ritos e dos orixás do candomblé, sincretizados com os santos católicos e com a ideia de reencarnação do espiritismo, surge a umbanda.

Pai Ronaldo incorporado do Pai Benedito de Aruanda.

O começo da Umbanda

Em meados de 1907, o jovem Zélio Fernandino de Moraes, de 16 anos, começou a apresentar comportamentos estranhos, como mudar a personalidade e a voz. Ele foi levado ao médico e não foi identificada nenhuma doença. O médico recomendou que ele procurasse um padre, mas a família resolveu buscar ajuda em um centro espírita. Muitas vezes espíritos ancestrais de índios e negros escravizados tentavam se manifestar nas mesas, mas eram ‘’mandados embora’’ por serem considerados maus ou ignorantes, devido ao preconceito contra esses povos na época.  Em 15 de novembro de 1908, em uma sessão mediúnica na Federação Espírita de Niterói, se manifesta, no médium Zélio, o Caboclo das 7 Encruzilhadas, espírito de um indígena que determinou a criação da umbanda, para que todos os espíritos, sejam encarnados ou desencarnados, brancos ou pretos, pudessem buscar a evolução espiritual. 

O Caboclo colocou algumas premissas: assegurou que todas as entidades seriam ouvidas, orientou que os umbandistas deveriam aprender com os espíritos que soubessem mais e ensinar aos que soubessem menos, instruiu que não deveriam virar as costas para ninguém e nem dizer não, pois esta era a vontade do Pai Celestial e preconizou que o verdadeiro umbandista viveria para a umbanda, e não da umbanda. Além disso, o Caboclo vinha para criar uma nova religião, fundamentada no Evangelho de Jesus, e que teria Cristo como seu maior mentor.

Vela, arruda e água são alguns dos elementos utilizados para o trabalho.

Imagens: Camilla Motta

*casas de Lei são as que trabalham com entidades apenas para a prosperidade, por meio da caridade, sem fazer trabalhos para prejudicar outrem. Além disso, elas devem ser legalizadas nos órgãos competentes, o que garante a seriedade do trabalho prestado.

Cada curso de graduação tem uma cor e símbolo que os representa. Eles servem para dar uma identidade ao curso e aos alunos. Nos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Universidade Franciscana não é diferente. Por isso, a Equipe da Agência CentralSul resolveu pesquisar sobre as simbologias dos cursos de comunicação do UFN.

Símbolo utilizado por outras instituições para o curso de jornalismo

Jornalismo

Em várias universidades, o símbolo utilizado para o Jornalismo é a folha de papel, a pena e o termo ”lex”, que significa ”lei”. Na Universidade Franciscana, a professora Sione Gomes, coordenadora do curso de Jornalismo, explica: ”O curso nunca usou esses símbolos clássicos. Desde nosso surgimento, em 2003, temos o curso irmão PP junto conosco. Assim, desde o primeiro momento, tivemos identidade visual própria, criada por eles. A primeira era mais abstrata, lembrava o J de Jornalismo, já com as cores branco, laranja e a palavra em preto. Na época dos 10 anos dos cursos, adotamos uma identidade conjunta, associando as identidades de Jornal e de PP. Depois, foi criada a raposinha. A Raposa sugere sagacidade, astúcia, aquela esperteza boa para perceber as coisas, identificar o que precisa ser noticiado. Foi uma escolha, dentro dessa ideia de parceria com o curso de PP.” Quanto às cores, ela conta que foi embasado na psicologia das cores, onde o laranja está associado ao marketing.

Símbolo utilizado pela UFN para o curso de jornalismo

Publicidade e Propaganda

A coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda da UFN, professora Graziela Knoll, contou que o símbolo utilizado pelo curso é o Galo: ” O símbolo do galo é utilizado há bastante tempo nos cursos de Publicidade e Propaganda como referência ao fato de que o galo anuncia o novo dia. É aquele que comunica a novidade. Já o laranja é uma cor característica da comunicação, pois é uma cor quente e solar, que tem como significados energia, movimento e transformação. É a cor das folhas quando caem, então é bastante associado à transformação e tem relação com a comunicação. O roxo, usado pela atlética do curso é uma cor ligada à criatividade.”

Símbolo do curso de Publicidade e Propaganda da UFN.

Colaborou: Yasmin Zavareze

Inter SM jogou pela primeira vez no estádio Presidente Vargas com o uso da máscara totalmente liberado ao público. O time jogou contra o Pelotas, o estádio que tem uma lotação maxima de 6.600 pessoas reuniu aproximadamente 1700, não possuindo limitações quanto ao número de torcedores dentro do estádio.

Imagem: Renata Medina

De acordo com a assessora do clube, Renata Medina, durante o período da partida notava-se poucas pessoas ainda utilizando a proteção.

O torcedor Patrício Dias não fez uso da máscara em nenhum momento. “Os demais torcedores também não estavam usando. Em todo o setor das sociais eu vi apenas um homem, já idoso, com o equipamento de proteção”, completa ele.

Patrício Dias no estádio assistindo o jogo do Inter SM. Imagem: Patrício Dias

Esse foi o primeiro jogo que Patrício participou depois de dois anos de pandemia, para ele “Foi como um retorno à normalidade de antes da covid”, concluiu.

Nas arquibancadas o clima era tanto de festa, quanto frustrante o time santamariense ficou apenas no empate com o pelotas mesmo tendo um à mais em campo desde os 19 min do primeiro tempo. O jogo só abriu o placar os 35 min do segundo tempo quando Balbino fez um gol para o Inter SM mas o empate não demorou a chegar logo no reinício da partida Jarro fez um para o Pelotas, ele que também foi um dos nomes do jogo, avançou em uma jogada individual, driblou o goleiro alvirrubro tirando os zagueiros de cena.

O resultado do jogo foi um empate de 1 a 1, mas nas arquibancadas foi uma vitória para a despedida das máscaras.

FICHA TÉCNICA

Inter-SM: Lúcio; Luvas Evangelista (Balbino), Negretti (Théo), Boré e Rafinha (Salib); Thiago Costa, Tony Júnior, Everton Sena, Yuri Souza (Vinicius) e Saldanha (Gabriel); Henrique Bahia
Técnico: Leocir Dall’Astra

Pelotas: Cetin; Raphinha (Murilo), Cambuci, Léo Kanu, Vavá (Maicon); Igor Silva, João Vitor (Itaqui), Jardel e Eliomar (Sapeka); Otávio e Caíque (Jarro)
Técnico: Antônio Pícoli

Arbitragem: Vinícius Oliano, auxiliado por Douglas Vidarte e Dakimalo Gomes

Gols: Balbino (I) e Jarro (P)

Local: Estádio Presidente Vargas

Colaboração: Luiza Silveira