Como surgiu o Colóquio 100/20


Por Multijor

 

DSC_1991

Marcelo Canellas foi o idealizador do colóquio (Foto: Roger Haeffner/Laboratório de Fotografia e Memória)

A TV OVO, o Curso de Jornalismo do Centro Universitário Franciscano e o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFSM promoveram o Colóquio 100/20, na última quinta-feira (12), no Theatro Treze de Maio.

Para Neli Mombeli, professora de Jornalismo e uma das organizadoras, o colóquio serve para pensar como se dá a prática do jornalismo diante das transformações tecnológicas. “Essa proposta surgiu a partir do Marcelo Canellas, porque estávamos organizando as atividades do aniversário da TV Ovo. Ele veio com esta ideia já que o jornalismo é uma intersecção, algo que une a TV Ovo e o Marcelo para além do audiovisual”, comenta.
O Colóquio 100/20 recebeu este nome em virtude dos 100 anos do Sobrado que é a atual sede da TV OVO. O patrimônio histórico foi comprado pelo jornalista Marcelo Canellas e 20, pelo vigésimo aniversário da TV.
O evento teve diferentes parcerias.“Conseguimos parceiros como o curso de Jornalismo da Unifra, o curso de Pós-Graduação da UFSM e também da Secretaria da Cultura nos sedento uma data ao Theatro. Todas essas pessoas fizeram parte da organização do Colóquio”, relata Neli.
O colóquio discutiu o jornalismo na era digital e teve a mediação do idealizador, o repórter Marcelo Canellas, por meio de bate-papo com o jornalista Moisés Mendes, ex-colunista da Zero Hora, e o professor Francisco Karam, da UFSC, que discutiram: “Novas plataformas, debate público e agendamento na era da internet”. Na parte da noite, Mauri König, da Folha de S. Paulo, Humberto Trezzi, de Zero Hora, e Andrea Dip, da Agência Pública, debateram o tema: “Novas plataformas, investigação e grande reportagem na era da internet”.
Segundo Neli, a proposta era convidar jornalistas admirados pelos membros da TV OVO e que fazem um trabalho importante.“Inicialmente a ideia era fazer a escolha de especialistas apreciado por nós, com exemplos que tangem ao jornalismo e que também fossem, como o Marcelo falou, da geração dele.Pegar uma geração mais da idade dele para poder falar de todas essas transformações, desde a abertura democrática. Tudo que vem acontecendo, tudo que vem mudando e como eles veem hoje, como estão no mercado trabalhando com tanta mudança acontecendo”, complementa.
Para assistir ao debate era necessário retirar senhas na bilheteria do Theatro Treze de Maio para o público em geral e aos acadêmicos na coordenação da faculdade. Houve também transmissão online, pelo site da TV OVO, com sessões à tarde, na Sala 601, à noite, no Salão Acústico, do Prédio 14, do Conjunto III do Centro Universitário Franciscano. Voluntário do Multijor e alunos de Jornalismo e Mídias Sociais fizeram cobertura em tempo real para Facebook do Multijor e do Curso de Jornalismo, para o Twitter do Multijor e para o Instagram do Multijor.
 Por Luana Oliveira e Francisco Montserat para a disciplina de Jornalismo Digital I

 

Sobre o autor:

Multijor

Multijor é o Laboratório de Jornalismo Multimídia do Curso de Jornalismo da Unifra. O laboratório é responsável pela produção de conteúdos digitais e pela gestão de mídias sociais.

Um Trackback

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *