Evento de criatividade em São Paulo atrai estudantes e profissionais de Santa Maria


Por Amanda Souza

 

Francesco assina a revista Tupi, que é semestral. Foto: Rodrigo Savian/ Laboratório de Fotografia e Memória.

Francesco assina a revista Tupi, que é semestral. Foto: Rodrigo Savian/ Laboratório de Fotografia e Memória.

Faculdade, cursos, moda, live painting, design, arte, decoração, são temas abordados pelo maior evento de criatividade da América Latina, o Pixel Show – Conferência de Criatividade. Francesco Ferrrari, publicitário egresso do Centro Universitário Franciscano, foi no 12ª edição do evento, em São Paulo. Multidisciplinar, dinâmico, Pixel Show é composto por palestras, workshops e oficinas. Iniciativas e projetos de criatividade de ilustradores, jornalistas, publicitários, musicista, que criam ou usam artifícios e plataformas criativos, vêm até São Paulo para falar sobre o tema. Francesco foi motivado pelo seu gosto por ilustrações, mas não sabia quem seriam os palestrantes. Ele já assina a revista que promove o evento, Zupi, desde o ano passado, quando foi também no Pixel.

“Vi o Vj Spetto, responsáveis pelas projeções do Mappin da abertura das olimpíadas, o Roger Ranch, ilustrador americano que trabalhou para a BBC. Gosto muito dos trabalhos do Ranch, pois ele trabalha com retas e seu estilo é parecido com o ‘Onde está Wally’, uma ilustração mais publicitária. Também vi temas mais artísticos, do coletivo DOMA, do designer, grafiteiro e publicitário argentino, Julian Manzelli, conhecido como Chu, que fazem intervenções de arte de rua embasadas em fatos políticos, como guerras, queda das Torres Gêmeas”, afirma.

O dono do coletivo faz uma arte mais divertida e leve, no DOMA, ele e mais sete artistas fazem algo mais engajado politicamente. Por exemplo, eles fizeram uma intervenção em Berlim, na Alemanha, com um tanque de guerra almofadado, pois é um país totalmente bélico. A instalação propunha repensar sobre a utilização de equipamentos bélicos, os artistas andaram pela cidade com a almofada gigante de tanque, criticando o endeusamento do país pela questão dos armamentos, era como se eles dissessem ”olha, isso não funciona, não muda nada”, conta Francesco. Eles têm um site, onde você pode visitar e conhecer mais dessa arte.

O próximo Pixel Show será em outubro do ano que vem. Foto: reprodução/Facebook.

O próximo Pixel Show será em outubro do ano que vem. Foto: reprodução/Facebook.

Entre os brasileiros, estava o Spetto, os quadrinistas Gabriel Bá e  Fábio Moon, e muitos outros. As palestras eram ministradas pelos ilustradores e publicitários, e os workshops ocorriam paralelamente. Francesco conta que a apresentação do holandês, sobre jogos e educação, ele abordou a questão de utilizar jogos criativos para serem usados na educação de forma dinâmico, em plataformas online e offline. Jogos que podem ser usados tanto para atividade lúdicas, para graduação, crianças com problemas motores, trabalhos acadêmicos. E é algo interessante para quem trabalha com ensino, segundo o publicitário. Na página do evento é possível ver um pouco do que foi feito no PS. O publicitário foi com mais dois colegas do Centro Universitário Franciscano.
O Show ocorre todos os anos, em São Paulo, capital. As inscrições podem ser feitas pelo site, e assinantes da revista Zupi têm desconto.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *