Hoje Eu Quero Voltar Sozinho


Por Elizabeth Lima

 

Público assiste ao filme exibido
Foto: Juliano Dutra

A AFAB e  Espaço Nise da silveira realizaram na tarde de hoje, 31, mais uma edição do CineMental, evento que ocorre na sala 315 do Antigo Hospital Universitário, na última quinta de cada mês. O filme escolhido para essa tarde foi “Hoje eu quero voltar sozinho”.
O estudante Igor Sastro Nunes, 20 anos, que cursa o 5 semestre de Serviço Social na UFSM e é um dos organizadores do projeto,contou um pouco sobre seu surgimento e organização.

ACS – O que exatamente é a AFAB e qual seu propósito?
Igor- É uma extensão da UFSM que já funciona há vinte anos, e serve como  espaço de acolhimento pra pessoas que tem algum tipo de sofrimento psíquico. Nela se desenvolvem um grupo terapêutico, familiar, além do grupo de cinema.

ACS – E o espaço Nise da Silveira?
Igor–  É uma extensão da AFAB que nasceu para articular com a rede de saúde mental de Santa Maria e expandir a AFAB. Criado há dois anos é o promotor do CineMental.

ACS –Como surgiu o projeto CineMental?
Igor– A psiquiatra do HUSM, Marta Helena Noal sempre teve essa vontade de trabalhar com cinema e saúde mental, e certo dia em conversa comigo e com o psicólogo Dione Lemos ela comentou a ideia e pensamos em idealizar o CineMental, posteriormente a psicóloga Letícia Chagas se juntou ao projeto.

ACS – Quantos filmes já foram exibidos?
Igor- Já exibimos dezessete filmes.

ACS – Qual é a média de público?
Igor- Varia entre 12 e 30 pessoas, mas já tivemos público de 60 pessoas.

ACS – E a escolha do filme de hoje “Hoje eu quero voltar sozinho”, como foi?
Igor– Esse filme foi indicação minha, por conta do mês da diversidade em que os espaços em geral tem debatido essa temática.

ACS- E como ele se encaixa no espaço?
Igor- Questão da deficiência ligada á sexualidade e a saúde mental, pensando na saúde mental LGBT e da população com deficiência.

ACS – Como foi a recepção ao filme?
Igor- Muito boa, as pessoas que trabalham na área são muito abertas em relação aos temas.

ACS – E depois da exibição de cada filme?
Igor- Após o filme, realizamos um debate, em cima do tema, as pessoas falam se já passaram por algo assim, se conheceram alguém e o que acham do tema. A partir dos filmes o público expressa suas vivências.

ACS – E quais são os efeitos observados após essas exibições?
Igor- Efeitos positivos, pois os filmes se tornam uma ferramenta de debates dando abertura para as pessoas com dificuldades de se expressar.

ACS – Quando será a próxima sessão?
Igor- Será no dia 28/09, trazendo reflexões com relação ao Setembro Amarelo (campanha de conscientização a prevenção do suicídio).

ACS – Qual filme será exibido?
Igor- Amy. Um documentário sobre a cantora Amy Winehouse, para debatermos a questão do suicídio.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *