Dia dos Finados ocasiona diferentes vivências e sentimentos


Por Laura Antunes Gomes

 

O dia 2 de novembro é considerado feriado nacional e é celebrado o Dia dos Finados. Nessa data, são realizadas homenagens para as pessoas que já morreram, com a visita às sepulturas, colocação de enfeite com flores nos túmulos e velas com orações nos cemitérios do país. Apesar de ser um feriado católico, o dia também é significativo para outras religiões.

De qualquer forma, o Dia dos Finados evoca diferentes sentimentos nos brasileiros que vivenciam a data. Julienne Oliveira Camargo, estudante de Design, 19 anos, relata que em Finados lembra das pessoas que já se foram e os momentos bons juntos. Para a universitária, neste momento estão misturados sentimentos de saudade e culpa, pois sempre carrega o pensamento de que poderia ter aproveitado mais com aquela pessoa.

A estudante Rafaela Nogueira, do curso de Engenharia Química, 19 anos, considera esse dia como indiferente. “Uma data específica não vai me fazer pensar mais ou sentir mais falta das pessoas que já morreram. É um sentimento que se carrega junto, mas respeito a data”, comenta. Explana ainda que nesse dia as pessoas se fecham mais para os seus sentimentos em relação às pessoas que elas perderam.

A manicure Rosana da Rosa, 51 anos, declara que prefere não pensar muito nesse dia e o seu significado para evitar pensamentos ruins sobre os que já se foram. Mesmo assim, acredita que esse dia é movido pela saudade, tradição da data.

A acadêmica Leticia Marczewski, de Engenharia de Produção, 20 anos, conta que não tem o costume de vivenciar a data por meio de algum ritual ou algo parecido porque para ela o feriado é visto como um dia comum, e que não pensa muito no significado do dia em si. A estudantes comunica que isso acontece porque não tem nenhum parente muito próximo que já tenha falecido, apenas os bisavós, com os quais não teve muito contato. Relata que quando uma pessoa próxima morre não é necessário um dia para lembrar disso, pois ela sempre vai fazer falta e vai ser lembrada de alguma forma. “Na minha família, por exemplo, meus avós tratam o dia como se fosse um dia de respeito, visitam cemitério, mas em outras culturas as pessoas realmente celebram esse dia como se fosse uma coisa boa, o dia de festejar e lembrar as pessoas que já se foram. Talvez essa ideia seja mais legal”, compara.

Nicole Schneider, estudante de Design, 20 anos, entende que o sentimento que move as pessoas é a saudade. Expressa que é período para relembrar momentos vivenciados com as pessoas importantes que já se foram. “Dizem que recordar é viver, e acredito que isso faça muito sentido. O Dia dos Finados também me faz lembrar como a vida é breve e rara. É o momento para aproveitarmos a companhia de quem está vivo ao nosso lado, valorizar e agradecer por isso”, afirma Nicole.

Sobre o autor:

Laura Antunes Gomes

Acadêmica de Jornalismo na Universidade Franciscana (UFN).

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *