“Esperança, a mãe das ações” é documentário lançado ontem


Por Rafael Finger

 

Documentário discute o uso de drogas durante a gestação. Foto: Thaís Trindade

 

O documentário “Esperança, a mãe das ações” que aborda o uso de drogas lícitas e ilícitas na gestação  foi lançado nesta quarta-feira, 31, no Salão de Atos do Prédio 13, no Conjunto III da UFN. O documentário é iniciativa da farmacêutica Bianca Vendruscolo Bianchini junto aos cursos de Publicidade e Propaganda, foi desenvolvido no Mestrado Profissional em Saúde Materno Infantil.

Durante a apresentação do documentário estiveram presentes a pediatra Martinez de Oliveira, a psicóloga Natalia Ruviaro, o enfermeiro Jeferson Ventura, a enfermeira Amanda Marchinski e a psicanalista Fátima Militz que debateram sobre o uso de drogas durante a gestação.

Bianca iniciou a conversa com uma pergunta: “qual a importância do pré-natal?”. Para a pediatra, Martinez de Oliveira, o pré-natal funciona como uma medida eficaz para prevenir e identificar problemas de saúde ou complicações que coloquem a vida da mãe ou do bebê em risco. “O pré-natal é o acompanhamento médico que toda gestante deve ter, a fim de manter a integridade das condições de saúde da mãe e do bebê. Ao preparar a mãe para a gestação, são realizados exames para identificar e tratar de doenças que podem trazer prejuízos à saúde da mãe e da criança”, afirma a pediatra.

Em relação ao uso das drogas durante a gestação, o enfermeiro, Jeferson Ventura, destacou que é prejudicial para a saúde de quem as usa e para a formação do feto. “No pré-natal é aconselhado que os profissionais da áreas da saúde identifiquem que tipo de droga que a gestante  usou, seja álcool ou tabaco, para que possa ser tratada e ver os tipos de efeitos causados durante a gestação”, conclui o enfermeiro.

Segundo a enfermeira, Amanda Marchinski, no decorrer do tratamento, é fundamental o acolhimento das pacientes com históricos de drogas durante a gestação. “Com o acolhimento desde a chegada da gestante na unidade de saúde, ela expressará o que motivou a usar a droga”, explica a enfermeira. Ela também ressalta que é cada vez mais frequente e importante a participação do companheiro ou parente no pré-natal.

Também, ao longo do pré-natal, a psicóloga, Natalia Ruviaro, explica que a finalidade do trabalho de um psicólogo é auxiliar em forma de uma entrevista para que busque um vínculo para compreender o contexto da mulher do uso da droga.  Para finalizar, ela afirma que a entrada das mulheres para mundo das drogas é devido a influência dos companheiros ou na fase da adolescência.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *