De asfalto aos buracos: as ruas de Santa Maria


Por Allysson Marafiga

 

Cidade Universitária, Cidade Cultura, a Capital dos Blindados, o Coração do Rio Grande do Sul ou Santa Maria da Boca do Monte. Esses são algumas das denominações usadas para se referir ao município. Mas, além desses títulos, é comum ouvir por aqui outra nomenclatura, a de “Santa Maria, a cidade dos Buracos”, devido ao vários exemplares, dos pequenos aos grandes, encontrados em qualquer rua no município. Este é um problema tanto para quem dirige quanto para quem caminha por essas vias. 

A Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, responsável por realizar as melhorias na pavimentação das ruas, recentemente divulgou o asfaltamento do trecho da Rua do Acampamento que fica entre a Rua José Bonifácio e a Avenida Medianeira e da Rua Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde toda a via foi pavimentada. De acordo com  o titular da pasta, Francisco Severo, diversas outras ruas estão no planejamento da secretaria para serem revitalizadas. Severo afirma ainda que diversas ruas tiveram o processo de licitação iniciado para a realização do contrato, para que assim seja dada a emissão da ordem de serviço para o início das melhorias. “A estimativa da secretaria é que até o mês de março trinta ruas na região centro da cidade sejam recuperadas, através da pavimentação asfáltica”, destaca o secretário.

Mas mesmo assim…

Essas melhorias destacam o empenho da secretaria de melhorar a qualidade das ruas para a população. Mas não muito distante é possível encontrar várias ruas com condições precárias. Como o caso da Rua Pedro Gauer, no bairro Perpétuo Socorro, que se encontra em péssimas condições de pavimentação. De acordo com os moradores, depois do início das obras de recuperação da rua, iniciada pelo Executivo Municipal no começo de agosto deste ano, o acesso às residências ficaram precárias, dificultando a mobilidade da população. 

Via localizada na Rua Pedro Gauer, no bairro Perpétuo Socorro. Foto: Allysson Marafiga / LABFEM

Um buraco aberto na Rua Pedro Gauer com a travessa João Linck Sobrinho atrapalha a entrada e a saída do funcionário público, Sandro Finger, de sua casa. “Só tinha uma ondulação na rua. Simplesmente, veio a patrola aqui com caminhões da prefeitura e arrancaram, fizeram um buraco e deixaram assim. A minha casa, que tinha uma ondulação, agora tem um buraco. E sou eu que coloco cascalho para poder sair ou entrar em casa”, queixa-se o morador.

Situação semelhante vive a dona de casa Cleize Mara Barroso que, em função das obras, realiza um desvio para acessar a casa em que mora. Ela relata ainda que faz uns 20 dias que não há continuidade na revitalização da rua. “Antes, a nossa rua não tinha quase nada de problemas. Aí vieram esses maquinários que abriu crateras e com a chuva abriu esse valetão, que não tem como eu chegar na minha casa pelo caminho mais curto”, reclamou.

Diversos moradores do local tem dificuldades de locomoção ao longo da rua. Foto: Allysson Marafiga / LABFEM

O município de Santa Maria tem o total de 280 mil habitantes, segundo dados de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo considerada uma cidade média e de grande influência na região central do estado. Mas, além disso, esse número representa pessoas que sofrem diariamente com esses problemas. Pensar em soluções rápidas para resolver essas demandas não é uma tarefa fácil. Para isso, é importante pensar nos deveres e obrigações, tanto do poder executivo, quanto da população, para que assim a pavimentação das ruas seja realizada, e haja melhorias para ambos.    

Texto produzido na disciplina de Jornalismo III, no 2º semestre de 2019 e supervisionado pela professora Glaíse Palma.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *