Feminino substantivo: mulher, luta e resistência


Por Natália Venturini

 

Mulheres, idades, etnias, raças, pensamentos, ideologias, todas com um mesmo foco: lutar e resistir.  A integrante da TV OVO e professora da UFN, doutora em Comunicação, Neli Mombelli assina a direção do documentário Feminino Substantivo, que será exibido na Praça Saldanha Marinho, hoje (01), a partir das 19h. As imagens foram gravadas numa das maiores manifestações de mulheres registradas na história do Brasil, denominada “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”. O dia em que elas saíram às ruas para lutar por seus direitos.

A manifestação de mulheres que tomou as ruas  de grande parte das cidades brasileiras, em  Santa Maria reuniu por mais de 3 horas, cerca de 7 mil pessoas concentradas na Praça Saldanha Marinho. Mulheres, crianças, bebês, idosas e homens entoaram gritos de ordem #ELENÃO e passaram pelas principais vias do centro da cidade em uma hora de caminhada.

O movimento foi organizado ainda via Facebook, após grupos  de quase 3 milhões de mulheres   nas redes sociais, sofrerem uma tentativa de silenciamento, ataques cibernéticos e agressões por parte da oposição.

Movida por tentar descrever o que é ser mulher, Neli realizou um documentário de quase 10 minutos, reunindo o depoimento de mulheres de todas as idades sobre o que é ser mulher. Beatriz, Olga, Janine, Lourdes, Liliane, Maria Clara e Paola, com a pequena Khloe nos braços, com suas vivências e experiências, foram unânimes em dizer que ser mulher é resistir e lutar.

Cena do curta Feminino Substantivo

Conforme Neli, o filme fala sobre ser mulher. Para ela, isso é muito complexo, porque a mulher sente todas as mudanças e violências na mente, mas principalmente no corpo.  “Se fala cada vez mais sobre o que é ser mulher na sociedade. Eu já pensava em fazer um documentário sobre o assunto porque circulo por diferentes locais, desde escolas urbanas até mesmo as rurais para dar aulas. Conheço diferentes mulheres com várias instruções escolares, pensamentos e formas de viver. O movimento #ELENÃO foi um estopim para a indignação de todas essas mulheres que se reuniram para exigir o respeito que elas (nós) merecem”, reflete ela.

O filme tem produção de Tayná Lopes e Bruna Mombelli, direção de fotografia e finalização de Marcos Borba, trilha sonora original de Rodrigo Tranquilo e roteiro, montagem, direção e desenho de som de Neli Mombelli.

Feminino Substantivo, título dado ao curta, está concorrendo como melhor filme na categoria Júri Popular.

 

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *