Festa Literária recebeu Letícia Wierzchowski


Por Emanuely Guterres

 

Encerrando a noite de quinta-feira,12, a Festa Literária de Santa Maria recebeu a autora de “A Casa das Sete Mulheres”, Letícia Wierzchowski, para contar ao público sobre a alegria da escrita na sua carreira. O encontro estava marcada para às 19 horas, na Cesma e foi mediado por Gérson Werlang. 

Escritora e roteirista, Letícia é uma das grandes vozes do romance contemporâneo no nosso estado. Gaúcha, nascida em Porto Alegre, é a grande mulher por trás da obra que fez sucesso e encantou o Brasil inteiro, A casa das Sete Mulheres.

Escritora Letícia Wierzchowski encerrando a noite de quinta-feira da FLISM. Foto: Lavignea Witt

A escritora contou de onde surgiu a origem da ficção que fez sucesso e de onde saiu toda sua inspiração para escrever o livro que antes mesmo de chegar ao fim, estava confirmado como minissérie na rede globo. 

Letícia ainda participou no trabalho do roteiro que originou a minissérie ‘O tempo e o Vento”, de Érico Veríssimo – do qual é “super” fã – em conjunto com Tabajara Ruas. Totalizando 28 títulos lançados, entre romances, contos e literatura infanto-juvenil, a escritora relata na FLISM o início de sua carreira e como nasceu o amor que tem em escrever e criar histórias. 

Ainda pequena com seis anos aprendeu a ler. Embora sua família tivesse pouco contato com a leitura, sempre buscou ler muito. Após várias escolhas que não o trouxeram amor profissional, achou na escrita o seu futuro ideal. Com 22 anos ficcionou pela primeira vez. Foi quando viu que era o que realmente gostava e dedicou-se fortemente àquilo. Letícia fala que no início recebeu muitos “não”.  Embora na época não existisse internet e contato era mais complicado, ela nunca desistiu de correr atrás de seu sonho. Após receber o sim, Letícia não parou mais e seu crescimento veio à tona quando escreveu a obra baseada na literatura gaúcha e na voz feminina, A Casa das Sete Mulheres. 

A autora, ainda fala na importância da persistência que os jovens devem ter para com seus sonhos realizar. Além de expressar o quanto gosta de escrever ficções ambientadas nas sua terra, assim criando personagens e fatos que embora não existam, transmitem sentidos aos que leem e passam a existir na memória.  Ao final da noite, houve o lançamento do mais novo livro de Letícia, “O menino que comeu uma biblioteca”, com seção de vendas e autógrafos.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *