Operação tapa-buracos em Santa Maria prossegue em 2019


Por ariadne.marin

 

A responsabilidade de manter as ruas da cidade  conservadas e sem buracos é do poder público, porém, esse assunto é pautado em Santa Maria com frequência. A agência Central Sul, publicou a matéria “Santa Maria dos buracos de monte” em 2017, onde conversaram com o secretário de Infraestrutura e Serviços públicos da Prefeitura Municipal, Paulo Roberto de Almeida Rosa, que no dia 23 de novembro oficializou sua saída da secretaria. O vice-prefeito Sergio Cechin assumiu a secretaria.

Desde o início de seu mandato em 2017, o atual prefeito de Santa Maria Jorge Pozzobom, realizou poucas melhorias na infraestrutura das vias públicas que já estavam em péssimo estado devido ao descaso, não somente do governo, mas também de seus antecessores.

No plano de governo de Pozzobom, a restauração, revitalização, renovação e manutenção da infraestrutura são temas tratados. As propostas incluem: programa de gradual da infraestrutura urbana; estudo para garantir constante manutenção das estradas de acesso aos distritos; Fortalecimento e nova estrutura do Departamento Municipal de Trânsito e monitoramento da execução do Plano Municipal de Mobilidade Urbana.

Segundo o Instituto de Planejamento (IPLAN), o Plano Diretor de Mobilidade Urbana é um projeto com o objetivo de melhorar, de forma sustentável, o fluxo das pessoas e transportes nas vias urbanas da cidade. As linhas estratégicas básicas incluem: Fazer do pedestre o principal protagonista da mobilidade; incentivar o uso de transporte público; favorecer o uso de transportes alternativos como a bicicleta; Empreender de forma que ajude na circulação de veículos.

Somente no final de 2018, o prefeito Jorge Pozzobom começou com a Operação tapa buracos que dá prioridade a avenidas e ruas em situação crítica, mas também está ocorrendo em bairros fora do centro da cidade. Este projeto só foi possível devido ao contrato oficializado no início do mês de novembro pela prefeitura e a Caixa Econômica Federal que garante o empréstimo de R$ 28 milhões, conquistados através do programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). O recurso será utilizado para a repavimentação e manutenção das vias urbanas, recuperação de estradas rurais além de compra de equipamentos e renovação das paradas de ônibus. O empréstimo é apenas uma das partes dos valores, a segunda parte de até R$ 50 milhões é disponibilizada pelo programa Avançar Cidades do Governo Federal. Do empréstimo da Caixa, R$ 21 milhões serão usados para recuperação de ruas pavimentadas e não pavimentadas. Em agosto deste ano, o Diário de Santa Maria noticiou que seria feito um diagnóstico de 64 ruas da cidade, um estudo feito por uma empresa contratada e com orçamento de R$ 1,25 milhão. O estudo foi bancado com dinheiro federal, do programa Avançar Cidades e levaria seis meses para ser concluído. O diagnóstico levou em consideração a circulação de ônibus, fluxo de veículos e condições do asfalto. Saiba quais foram as ruas escolhidas para participar do estudo:

 

Arte: Mariana Olhaberriet

As ruas Euclides da Cunha e Serafim Valandro (entre a rua Bozano e Venâncio Aires), já foram asfaltadas, e  também a avenida Nossa Senhora da Medianeira, restaurada para 75ª Romaria Estadual de Nossa Senhora da Medianeira de Todas as Graças.

Todos esses gastos poderiam ser evitados se houvesse a manutenção constante do asfalto, que é um processo de baixo custo, em que se usam retardadores de trinca, agentes rejuvenescedores e drenagem, também sendo necessário a avaliação para o uso de materiais precisos e de qualidade que garantem a sua durabilidade, já que há muitos agentes externos responsáveis pelo seu desgaste. Outro problema no asfaltamento das vias públicas, causador dos famosos buracos, é a terraplanagem incorreta ou a falta dela.

A terraplanagem é a escavação ou preenchimento de terra em uma determinada área, fazendo com que o terreno fique nivelado. É um dos principais elementos da engenharia civil, é feita para obras de engenharia do solo, que é o caso das rodovias.

Outra medida aprovada pela prefeitura de Santa Maria e com parte da coordenação feita pela IPLAN, foi o projeto escolhido por votação popular, para revitalização da 2ª quadra da rua Dr. Bozano. O projeto vencedor é dos alunos de Arquitetura e Urbanismo da UFN, Caroline Silveira, Gabriela Cezar, Gabrielle Minuzzi, Maysson Carvalho e Simone Rubin. A ideia apresentada utiliza cores alegres para momentos de lazer e descanso, o projeto conta com “ilhas de refúgios” com cores frias, pallets, guarda-sóis e vegetação. Locais para Food Truck e com lixeiras de tambores de óleo de 200L, que serão disponibilizados para artistas grafitarem.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *