Projeto Narrativas em Movimento promove Cineclube da Boca e Colóquio Memória e Territórios no Audiovisual


Por Emanuely Guterres

 

Ilustração com informações sobre o evento. Foto: TV OVO

Promovido pela TV OVO, o Cineclube da Boca estará de volta em conjunto com o Colóquio Memória e Territórios no Audiovisual, em mais uma atividade do Projeto Narrativas em Movimento 2019. Na quarta-feira, 18, será exibido o documentário “Martírio” de Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida. A atividade ocorrerá no auditório do prédio 67 da Universidade Federal de Santa Maria, às 18h, de maneira gratuita. As atividades se estendem até quinta-feira, 19, no auditório da Cesma, com o Colóquio Memória e Territórios no Audiovisual, recebendo a presença de Vincent Carelli, às 19h, também com entrada franca.

Segundo divulgação, o Colóquio tem como objetivo promover a discussão sobre o papel do audiovisual no registro das memórias e identidades de sujeitos ligados a territórios geográficos e simbólicos, formando uma reflexão a respeito da relação dos brasileiros com a natureza, seus habitantes e como o audiovisual pode dar uma visibilidade maior para isso, principalmente, após o Brasil virar manchete no mundo todo por conta das queimadas na Amazônia.

Chamada para exibição do documentário “Martírio”. Foto: TV OVO

Vincent é antropólogo, indigenista, documentarista e idealizador do Vídeo nas Aldeias – projeto audiovisual que visa mostrar a realidade dos indígenas no Brasil. Em meio à diversas produções, muitas já foram premiadas em eventos nacionais e internacionais como o Prêmio UNESCO na 6ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico, por conta de uma produção sobre a diversidade cultural e a busca pelas relações de paz.

Dessa vez Vincent trás “Martírio“, um documentário que promove uma análise da violência que o grupo Guarani Kaiowá sofre. O grupo é um dos maiores no número de componentes que vivem no país atualmente. Habitando nas terras do centro-oeste brasileiro, acaba entrando em constante conflito com as forças de repressão e opressão, organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros que circulam na região.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *