Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

As primeiras impressões sobre a prova do vestibular

Vestibulandos deixam   as salas após realizarem o vestibular (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Vestibulandos deixam as salas após realizarem o vestibular (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Depois de mais de três horas de prova, às 17h 30min foi dado o sinal para os vestibulandos deixarem as salas onde realizaram o vestibular de verão 2017 do Centro Universitário Franciscano. Ao saírem, a maioria estava cansada e, muitos, sem vontade de conversar.  Nesse momento, professores e familiares puderam saber as impressões de quem fez o vestibular.

Bianca Caldeira, 21 anos, vestibulanda de Arquitetura e Urbanismo. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Bianca Caldeira, 21 anos, vestibulanda de Arquitetura e Urbanismo. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Bianca Caldeira, 21 anos, veio de Manoel Viana, foi uma das primeiras vestibulandas a sair da sala de prova. Para ela,  “Não estava difícil a prova, o que mais complicou foi o tema da redação”. Bianca busca uma vaga no curso de Arquitetura e Urbanismo.

Iasmin Quevedo, 20 anos, prestou vestibular para Biomedicina. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Iasmin Quevedo, 20 anos, prestou vestibular para Biomedicina. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Iasmin Quevedo, 20 anos, diz que já esperava por esse tema na redação. “É o que a gente vive atualmente. O jogo está por todos os lados”, diz a estudante que prestou vestibular para Biomedicina.

Maria Manoela, 18 anos, veio de Rio Pardo para realizar a prova. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Maria Manoela, 18 anos, veio de Rio Pardo para realizar a prova. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Já para Maria Manoela, 18 anos, natural de Rio Pardo, não esperava o tema da redação. “Foi uma boa prova, com uma temática diferente”.

O tema da redação do vestibular de verão 2017 da Unifra teve um caráter interpretativo. O texto de apoio que buscou refletir os impactos sociais do jogo Pokémon Go, foi complementado com um enunciado que pedia o desenvolvimento de uma proposta de intervenção social, visando o bem-estar coletivo.

LEIA TAMBÉM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vestibulandos deixam   as salas após realizarem o vestibular (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Vestibulandos deixam as salas após realizarem o vestibular (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Depois de mais de três horas de prova, às 17h 30min foi dado o sinal para os vestibulandos deixarem as salas onde realizaram o vestibular de verão 2017 do Centro Universitário Franciscano. Ao saírem, a maioria estava cansada e, muitos, sem vontade de conversar.  Nesse momento, professores e familiares puderam saber as impressões de quem fez o vestibular.

Bianca Caldeira, 21 anos, vestibulanda de Arquitetura e Urbanismo. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Bianca Caldeira, 21 anos, vestibulanda de Arquitetura e Urbanismo. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Bianca Caldeira, 21 anos, veio de Manoel Viana, foi uma das primeiras vestibulandas a sair da sala de prova. Para ela,  “Não estava difícil a prova, o que mais complicou foi o tema da redação”. Bianca busca uma vaga no curso de Arquitetura e Urbanismo.

Iasmin Quevedo, 20 anos, prestou vestibular para Biomedicina. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Iasmin Quevedo, 20 anos, prestou vestibular para Biomedicina. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Iasmin Quevedo, 20 anos, diz que já esperava por esse tema na redação. “É o que a gente vive atualmente. O jogo está por todos os lados”, diz a estudante que prestou vestibular para Biomedicina.

Maria Manoela, 18 anos, veio de Rio Pardo para realizar a prova. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)
Maria Manoela, 18 anos, veio de Rio Pardo para realizar a prova. (Foto: Bibiana Iop/ Laboratório de Fotografia e Memória)

Já para Maria Manoela, 18 anos, natural de Rio Pardo, não esperava o tema da redação. “Foi uma boa prova, com uma temática diferente”.

O tema da redação do vestibular de verão 2017 da Unifra teve um caráter interpretativo. O texto de apoio que buscou refletir os impactos sociais do jogo Pokémon Go, foi complementado com um enunciado que pedia o desenvolvimento de uma proposta de intervenção social, visando o bem-estar coletivo.