O trabalho dos mesários nas eleições 2018


Por Emanuely Guterres

 

Em primeiro plano, mulher sentada de costas auxiliando outra mulher, em pé, a utilizar a biometria

Mesária realizando seu trabalho durante o segundo turno das eleições 2018 na escola Cândido Genro em Santiago. Foto: Emanuely Guterres

Aproximadamente 2 milhões de brasileiros foram convocados para trabalhar como mesários nas eleições de 2018. A participação do mesário no serviço eleitoral é importante, juntamente com os servidores da Justiça Eleitoral, tem a função de garantir a  segurança e normalidade da seção eleitoral, possibilitando ao eleitor se manifestar, de forma tranquila, livre e soberana seu direito de votar.

O mesário é o representante da Justiça Eleitoral que compõe a mesa receptora de votos. A administradora Carla Souza de Matos, 25, está na sua 4º eleição como mesária, junto com sua equipe de seção, na Escola Cândido Genro, em Santiago.O trabalho começou às 7h, com a busca das urnas e a organização do local para receber os eleitores das 8h às 17h.

Na sua seção em que atuou são quatro pessoas: o secretário, que organiza a fila e libera a entrada do eleitor; o 1º e o 2º mesários, que auxiliam o presidente ao identificar o eleitor e, o presidente, responsável por inserir os dados do eleitor no terminal conectado à urna.

Acresce-se a gratificação no exercício do mesário, desde os atos preparatórios, ainda nos encontros junto ao Tribunal Regional Eleitoral com as informações e conhecimentos recebidos, como na atividade propriamente dita desenvolvida no decorrer do dia das eleições. O trabalho culmina com a entrega do resultado da respectiva Seção Eleitoral, com a responsabilidade inerente a cada ato para atingir o resultado final. Esse trabalho autoriza que o resultado do pleito seja divulgado minutos ou horas após encerrada a votação, o que já é mais do que suficiente para enobrecer a tarefa.

Direitos

Boa parte dos mesários está regularmente empregada e, ao ser chamada pela Justiça Eleitoral, passa a ter alguns direitos previstos na Lei Eleitoral (Lei 9.504/97).Quem foi mesário nas eleições adquire um bônus em caso de empate em provas de concurso público e dois dias de folga no trabalho. Esses e outros benefícios servem para compensar o dia de trabalho. No entanto, segundo Carla, a maior vantagem é a contribuição com o processo eleitoral democrático, prestando um serviço à nação e contribuindo com a transparência.

Preparação    

A Justiça Eleitoral promove treinamentos na modalidade presencial e a distância para que os mesários desempenhem suas funções com excelência no dia da eleição. Para fazer o treinamento a distância é necessário uma chave de inscrição fornecida pelo cartório eleitoral. E, para facilitar, a atuação do mesário foi elaborado para auxiliar quanto ao fluxo de votos e para tirar dúvidas o Aplicativo Mesário, disponibilizado pela Justiça Eleitoral.

 Voluntariado

Para ser mesário voluntário basta entrar em contato com o TRE do Estado, por meio da internet ou pessoalmente. Mesmo que o TRE não tenha o programa Mesário Voluntário é possível se inscrever e se colocar à disposição, entrando em contato com o cartório eleitoral.

Ausência do mesário

Quando o mesário não pode atuar, segundo o art.  120,4º, do Código Eleitoral, tem o prazo de, no máximo, 5 dias após a convocação para alegar as razões de seu impedimento. Para isso, deve-se encaminhar a justificativa ao juiz da zona eleitoral em que está inscrito e aguardar a resposta que pode ser aceita ou não.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *