Expectativa e responsabilidade caminham juntas na hora de escolher uma profissão


Por Elizabeth Lima

 

A escolha de um curso carrega muitos sonhos. Foto: Beatriz Bessow LABFEM

A escolha da profissão é um dos momentos mais difíceis e importantes na vida de uma pessoa, é necessário que o vestibulando reflita sobre suas aptidões, gostos e expectativas antes de finalmente tomar uma decisão. Em dia de vestibular, os estudantes chegam entusiasmados e, muitas vezes, totalmente apaixonados pela opção de curso que escolheram.

Vestibulanda do curso de Medicina, o mais concorrido da instituição, Clara de Freitas Trindade, natural de Santa Maria, afirma que desde criança sente a necessidade de cuidar e ajudar as pessoas. Ela conta ainda que a ideia de se sentir responsável pelo bem estar de outras pessoas a fez se apaixonar pela profissão.

Juliane de Andrades, natural de Santa Maria, tenta pela segunda vez ingressar no curso de Odontologia da Universidade Franciscana. Ela explica que seu interesse pela profissão vem da noção de que ela proporciona uma das coisas mais importantes do ser humano que é o sorriso. Juliane garante saber o quanto o curso pode ser desafiador e que isso a motiva ainda mais.

Sofia presta seu primeiro vestibular. Foto: Patrício Freitas LABFEM

Sofia Alana Lee Pippi nasceu nos Estados Unidos. De família paterna brasileira, ela hoje reside em Santa Maria e escolheu a Universidade Franciscana para prestar seu primeiro vestibular. Filha de arquiteto, Sofia pretende seguir os passos do pai e afirma se identificar muito com a Arquitetura por gostar de desenho e matemática e, principalmente, por sempre ter acompanhado os projetos desenvolvidos pelo pai. Neste processo seletivo, ela escolheu o curso de Psicologia, já que as vagas para o curso de Arquitetura e Urbanismo são ofertadas somente no vestibular de verão.

Prestando seu primeiro vestibular, a santa-mariense Luana Faria Magalhães conta ter escolhido o curso de Biomedicina por sonhar em ajudar a descobrir novos medicamentos e auxiliar na cura de muitas doenças. Ela explica também que sua identificação pela Biologia foi determinante para essa decisão.

Vinda de São Pedro do Sul, Amanda Fernandes presta seu primeiro vestibular para Direito. Ela confessa ter tido muitas dúvidas de qual profissão escolher, mas que, durante um trabalho vocacional no final do ensino médio, percebeu a importância de saber e exercer seus direitos civis. A existência de matérias como Sociologia e História na grande curricular do curso de Direito também contribuíram para sua escolha.

 

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *